Dispositivo gera energia a partir da respiração humana

Por , em 5.10.2011

O mesmo tipo de eletricidade utilizado na sua churrasqueira a gás – a piezoeletricidade – poderá, um dia, ativar e fornecer energia a sensores em nossos corpos através da respiração.

Cientistas criaram uma minúscula faixa de plástico que vibra quando é passada por um fluxo de ar de baixa velocidade, como a respiração humana. Em certos materiais utilizados no projeto, como o fluoreto de polivinilideno (PVDF), uma carga elétrica se acumula em resposta a pressão mecânica aplicada – isso é conhecido como efeito piezoelétrico.

Cientistas trabalharam em um PVDF para que ele pudesse gerar energia elétrica suficiente a partir da respiração operando em pequenos dispositivos eletrônicos.

“Basicamente, nós estamos colhendo energia mecânica a partir de sistemas biológicos. O fluxo de ar da respiração é tipicamente menor do que dois metros por segundo. Calculamos que, se pudermos fazer esse material fino o suficiente, pequenas vibrações poderiam produzir microwatts de energia elétrica que poderiam ser úteis para sensores ou outros dispositivos implantados no rosto”, explica o professor Xudong Wang, que lidera a equipe de pesquisa.

Os pesquisadores estão aproveitando os avanços da nanotecnologia e eletrônicos em miniatura para desenvolver uma série de dispositivos biomédicos que possam monitorar a glicemia para diabéticos ou manter a bateria de um marcapasso cardíaco carregado, sem precisar de substituição.

O que é necessário para dar vida a esses dispositivos minúsculos é uma fonte de energia que também seja minúscula. Neste caso é a respiração, mais outras fontes que poderiam ser utilizadas incluem a energia do fluxo de sangue, do movimento ou do calor. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • Leyde:

    Penso que o “Pum” ou a “defecação” é o caminho mais viável.

  • Cesar Rafael:

    Eu não vou andar com um tranbolho todos os dias no meu naris

    • Cesar Rafael:

      *Nariz
      *Trambolho. Desculpe!

  • wellington:

    É…acho que por ora não vai ter utilidade.
    Mas, de repente, alimentar uma bateria para um coração artificial.

  • Eu:

    Não sei porquê, mas não gosto muito disso…

  • vicente:

    grandes vantagem…quem vai querer uma parafernalha em seu corpo, igual ciborg.

Deixe seu comentário!