Em tempos de coronavírus, a Saudação Vulcana de Spock deve substituir os apertos de mão

Por , em 6.03.2020

O mundo globalizado e cheio de aglomerações é um lugar muito propício para um vírus se espalhar rapidamente.

É por isso que, em tempos de coronavírus, as organizações de saúde estão recomendando que as pessoas evitem contato com pacientes infectados e tenham boa higiene para minimizar o risco de pegar a doença.

Isso envolve, entre outras coisas, evitar apertos de mão e abraços para cumprimentar as pessoas.

Não é preciso se transformar em um cidadão frio que mal fala oi para os amigos, no entanto. Temos a solução: a Saudação Vulcana de Spock, da famosa série Star Trek (Jornada nas Estrelas).

Saudação Vulcana

Mesmo que você não seja fã da série ou de ficção científica, provavelmente conhece o gesto popularizado mundialmente a partir da atuação de Leonard Nimoy na década de 1960.

Ela consiste basicamente em levantar a palma da mão com o polegar estendido, enquanto os quatro outros dedos se separam no meio, com dois juntos de cada lado.

O próprio Nimoy, que faleceu em 2015, foi quem inventou o gesto. Ele é frequentemente acompanhado pelas palavras “vida longa e próspera”, e o ator contou ao jornal L. A. Times que o baseou em uma benção sacerdotal judaica que o impressionou quando ele era criança.

Não é a coisa mais simples do mundo, mas até o ex-presidente Barack Obama já usou a saudação para cumprimentar Nimoy, e o gesto está incluso nos emojis de smartphones. É engraçado, bem intencionado e livre de germes. Que melhor maneira há de se dizer “olá” a alguém? [Cnet]

Deixe seu comentário!