Fotos: estudantes de 123 países entraram em greve para proteger o clima

Por , em 21.03.2019

Em um movimento inspirador, 1,4 milhão de jovens em 123 países faltaram da escola na última sexta-feira (15 de março) para exigir melhores políticas climáticas, no que pode ser um dos maiores protestos ambientais da história.

“Esse movimento tinha que acontecer, nós não tínhamos escolha”, escreveu a ativista sueca e líder da greve global Greta Thunberg, de 16 anos, no jornal The Guardian.

Greta iniciou seus protestos em agosto, fazendo greve em frente ao parlamento da Suécia toda sexta-feira. Logo, tornou-se a voz do movimento “Fridays For Future” (em tradução livre, “sextas-feiras pelo futuro”), inspirando estudantes em todos os cantos do mundo.

“Nossa casa está em chamas”, disse ela em um discurso no Fórum Econômico Mundial em Davos, em janeiro. “Eu não quero que você tenha esperança. Eu quero que você entre em pânico. Eu quero que você sinta o medo que sinto todos os dias. E então eu quero que você aja”.

Greta também discursou em outros eventos internacionais, como a COP24, a Conferência do Clima da ONU. Na última quinta (14), foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz por três políticos noruegueses por causa da sua atuação na agenda ambiental.

Greta

Agenda do protesto

Em tempos de líderes mundiais infantilizados que negam a mudança climática e entregam nossas florestas ao desmatamento, resta às crianças serem os adultos responsáveis.

Os estudantes que saíram às ruas na sexta-feira tinham uma agenda clara: eles clamavam por medidas efetivas no combate às mudanças climáticas, como políticas para diminuir o uso de combustíveis fósseis, fim dos subsídios para a produção de energia suja e investimento pesado em energias renováveis.

“Mudança humana, não mudança climática”

No Brasil e no mundo

Ao todo, estavam previstos 2 mil eventos em 123 países, incluindo o Brasil, no qual 20 cidades tinham protestos agendados em aderência à greve estudantil internacional.

Em Belo Horizonte, por exemplo, um grupo de cerca de 100 pessoas se reuniu na Praça da Liberdade com cartazes pedindo mais atenção ao ambiente. Outras capitais tiveram protestos menores. No Rio de Janeiro, cerca de 40 jovens entre 15 e 25 anos se reuniram em frente à Assembleia Legislativa (Alerj), enquanto cerca de 30 estudantes se concentraram na Praça do Derby, em Recife.

“Se Greta conseguiu chamar tanta atenção sozinha e comover diversos países para entrarem no movimento com ela, por que não nos reunirmos em duas, três ou trinta [pessoas]? Meu sonho é ver a Agamenon Magalhães inundada de gente mostrando que temos que cuidar do Rio Capibaribe”, afirmou uma das organizadoras do evento em Recife, Luciana Naira, ao G1.

Fotos

Os estudantes empunhavam, em sua maioria, cartazes em inglês com frases como “Não há um planeta B”, “Por que devemos ir à escola se vocês não escutam aos educados?”, “Negação não é política”, “O futuro importa”, “Vocês estão matando a nossa mãe” e “Não precisamos de esperança, e sim de mudança”.

Confira algumas das melhores fotos da greve ao redor do mundo: [Vox, G1]

Sydney, Austrália

Roma, Itália

Rio de Janeiro, Brasil

Recife, Brasil

Belo Horizonte, Brasil

Seul, Coreia do Sul

Délhi, Índia

São Francisco, EUA

Londres, Inglaterra

Cidade do Cabo, África do Sul

Washington DC, EUA

Lisboa, Portugal

Dublin, Irlanda

Estocolmo, Suécia

Taipei, Taiwan

Quezon City, Filipinas

Dresden, Alemanha

Tóquio, Japão

Edimburgo, Escócia

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (15 votos, média: 4,53 de 5)

Deixe seu comentário!