Estudo sugere que Alzheimer pode ser transmissível

Por , em 5.12.2011

Em alguns casos, o mal de Alzheimer pode ser resultado de uma infecção que pode ser transmissível, sugere um novo estudo com ratos de laboratório.

No estudo, ratos que foram injetados com tecido de cérebro humano de pacientes com Alzheimer desenvolveram a doença. Eles apresentaram características do Alzheimer e, ao longo do tempo, o dano se espalhou por todo cérebro.

Ratos que foram injetados com tecido cerebral de humanos saudáveis não mostraram sinais da doença.

Esses resultados mostram a possibilidade de que alguns casos esporádicos de Alzheimer surjam de um processo infeccioso, semelhante à maneira como a doença da vaca louca surge, a partir de uma infecção com proteínas doentes chamadas de príons.

O mecanismo subjacente do mal de Alzheimer é muito semelhante às doenças de príons. Trata-se de uma proteína normal que se torna disforme e é capaz de transformar outras proteínas normais em ruins. Essas proteínas ruins se acumulam no cérebro, formando depósitos de placas que se acredita que matam células dos neurônios nas pessoas afetadas com mal de Alzheimer.

No entanto, as novas descobertas são muito preliminares e ainda não ficou claro se esse mesmo processo pode acontecer em pessoas.

Além disso, a transmissão aconteceu em condições altamente artificiais, pouco prováveis de acontecer na vida real. Os pesquisadores estão agora fazendo experimentos para determinar se a transmissão da doença pode acontecer em condições normais. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • Rita:

    Perdi meu pai por causa desta doença. Imagino que o aluminio foi uma das causas.

  • Teresinha Augusta:

    Está fazendo um ano que perdi meu marido portador do Mal de Alzheimer,porém a causa da morte foi um cancer não diagnóticado com antecedência.Como a neurociencia está avançando muito, acredito que haverá muitas outras descobertas relacionadas as doenças do cérebro.A medicina ainda em passos de tartaruga em relação as doenças neurológicas degenerativas. Essas doenças são horríveis mais para quem está junto da pessoa. É bastante triste ver um cérebro do nosso ente querido se esvaicer, perdendo a consciencia da própria vida, principalmente quando este ser teve um vida intelectual bastante produtiva.Há incógnita quanto as causas para se buscar a cura ou pelo menos estancar o processo devastador dessa doença. Afinal de contas a vida é uma aventura e um risco permanente de sobrevivencia.

  • Elizabeth Rodrigues:

    Tenho mae com essa doença..Evitem alimentos embalados que contenha aluminio em contato com o alimento (leite,molhos em saches….saches em geral) enlatados…utilizem muito de oleoginosas (aqueles coquinhos do natal-todos) muito verde escuro….chocolate meio amargo, o cacau é mt melhor…pesquizem tudo sobre alimentação…posso garantir que é uma doença infernal…pra quem tem alzeimeniano em casa…Voces querem dar trabalho a seus filhos? então se cuidem… essa doença arranca a alma do doente e mata que o assite.

  • Roberto:

    A degeneração cerebral é a coisa mais terrível que nos espreita ao final de uma vida. Não se trata de nenhum “castigo” por não termos sido “castos” nem alguma “recompensa” a ser paga por nossos males, ou algo a ser resgatado na outra vida. Atinge a praticamente todos, sem qualquer distinção. É uma espécie de AIDS, de câncer, de leucemia no cérebro com o objetivo único de nos tornar presas fáceis aos nossos predadores. E atinge justamente a nossa melhor arma: o cérebro.

  • Luciene:

    Se realmente for constatada como doença contagiosa, imaginem só, idosos, crianças e jovens tendo q ficar longe de parentes q tenham a doença e mais, quem irá cuidar dos infectados? Sim porque todos os portadores de Alzheimer precisam ser cuidados por outras pessoas!!!

  • Horacio Filantropico:

    Este artigo nao tem cariz cientifico, pois revela duvidas e incertezas. Deveriam pensar mais antes de plublicar isto.
    Publicando esse tipo de coisas estao a demonstrar fragilidade em fazer ciencia e vossa reputacao entra em jogo….

  • eduardo:

    Apesar da infecção ter sido obtida por meio artificial é preocupante pensar que, talvez num futuro próximo, a natureza “encontre” uma forma de tornar essa doença contagiosa, tal qual uma gripe…
    Torço pra encontrarem a cura….

  • Walter, o Cavaleiro de Cristo:

    Olha, nós somos humanos, e ratos são apenas ratos. O diagnóstico de Alzheimer em humanos, é um tanto difícil de ser fazer quando o paciente está vivo. Será que ratos com Alzheimer se esquecem das coisas recentes e lembram apenas das antigas? Um dia desses, fiquei sabendo que, cientistas estão testando uma vacina contra AIDS em ratos. Oras, o HIV não afeta apenas os humanos? Eu não sabia que ratos podiam ficar aidéticos.

    • eduardo:

      Walter, não se estou enganado, mas esse vírus não se dá apenas em humanos… lembre-se, que na época em que essa doença foi identificada pela primeira vez, os especialistas especularam que essa enfermidade foi transmitida por macacos…
      E, pelo que ouvi uma vez de uma veterinária há variações dessa doença que afetam também os animais… em especial os gatos…

    • eduardo:

      Ops.:… não sei se estou enganado…

    • Walter, o Cavaleiro de Cristo:

      Eduardo, o que dizem de fato, é que o macaco verde teria transmitido um vírus para o homem e, teria sofrido uma mutação, passando a afetar os humanos. O vírus da AIDS Símia, é conhecido como SIV.

  • Alan:

    Se é muito cedo pra tirar conclusões talvez seja muito cedo pra publicar a notícia.

    • Julio:

      Preste atenção no título da noticia, o estudo sugere algo e não afirma que seja, as pesquisas são assim, dificilmente podemos afirmar algo como certo.

Deixe seu comentário!