EUA: negros sobrevivem mais dentro da prisão do que fora dela

Por , em 17.07.2011

Nos EUA, homens negros têm metade da probabilidade de morrer a qualquer momento se estiverem na prisão do que fora dela.

O estudo foi conduzido em uma prisão da Carolina do Norte. Os prisioneiros negros pareciam ser especialmente protegidos contra as mortes relacionadas a álcool e às drogas, bem como acidentes letais e certas doenças crônicas.

Mas esse padrão não se manteve para os homens brancos, que em geral eram ligeiramente mais propensos a morrer na prisão do que fora dela.

Segundo os pesquisadores, não é a primeira vez que um estudo encontrou taxas mais baixas de mortalidade entre certos grupos de presos, principalmente pessoas desfavorecidas, que podem obter proteção contra lesões violentas e assassinatos.

“Ironicamente, as prisões são muitas vezes o único fornecedor de assistência médica acessível para esses americanos carentes e vulneráveis”, disse o especialista Hung Sung-En. “Normalmente, os cuidados na prisão são mais abrangentes do que os que os presos receberam antes”.

100.000 homens entre 20 e 79 anos presos em algum momento entre 1995 e 2005 participaram do estudo. 60% eram negros.

Os cientistas analisaram registros estaduais de saúde para determinar quais dos presos morreram, e de que causa, durante sua estadia prisional. Em seguida, compararam esses números com óbitos de homens da mesma idade e raça na população em geral.

Menos de 1% dos homens morreram durante o encarceramento, e não houve diferença entre os presos negros e brancos. Mas, fora dos muros das prisões, os negros têm uma taxa de morte maior em qualquer idade do que os brancos.

Como na população em geral, câncer, doenças do coração e do sangue foram as causas mais comuns de morte entre os presos (representam mais de metade das mortes).

Prisioneiros brancos morreram de doenças cardiovasculares em uma taxa esperada e morreram de câncer um pouco mais frequentemente do que não prisioneiros.

Para os homens brancos, a taxa de mortalidade geral era ligeiramente maior – cerca de 12% – do que na população geral; essas taxas mais elevadas podem ser atribuídas a mortes por infecção, incluindo HIV e hepatite. Quando os pesquisadores separaram os presos por idade, as taxas de mortalidade mais elevadas se mantiveram apenas para prisioneiros brancos com 50 anos ou mais.

Os negros, ao contrário, tinham entre 30 e 40% menos probabilidade de morrer dessas causas do que os que não encarcerados. Eles também eram menos propensos a morrer de diabetes, causas relacionadas a álcool e drogas, doenças das vias respiratórias, acidentes, suicídio e assassinato do que homens negros não presos.

“Se somos capazes de igualar ou diminuir essas desigualdades de saúde por raça dentro de um lugar como a prisão, deveria ser também possível em lugares como um bairro pobre”, argumenta Evelyn Patterson, que estuda estabelecimentos correcionais.

A ideia dos pesquisadores é que a assistência médica deveria ser melhor para a população em geral.

Apesar dos resultados “positivos” para quem está dentro de quatro muros, os pesquisadores alertam que é importante lembrar que existem muitas possíveis consequências negativas da prisão também. Por exemplo, perda de relacionamentos, de oportunidades de emprego, e maior enraizamento na atividade criminal, que não estão refletidos no estudo, mas têm uma influência importante sobre a vida dos presos e sua saúde em geral.[Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

23 comentários

  • laender:

    Na realidade, nas prisões americanas o preso se é condenado a 50 anos de prisão, fica mesmo 50 anos preso. Enquanto que aqui com 6 ou 7 anos de bom comportamento um delinquente estrupador, assassino de crianças, etc e tal, mesmo se condenado a 300 anos, sai da cadeia e se der chance, nunca mais volta. Aqui o crime compensa e recompensa!
    Mas voltando ao assunto acima, as prisões americanas tem academia de ginástica e campos de futebol americano.Tem hambúrguer e Coca-cola sim! Afinal fica mais barato para o sistema prisional oferecer fast food americano e pelo jeito este papo de que faz mal é puro preconceito de terceiro mundo.

  • Eliana Margarete:

    Nunca li uma matéria tão ridícula… quer dizer que o negro tem que ficar preso para não sofrer violências devido ao preconceito? tem que ficar preso pra comer direito e receber assistência médica, ou se afastar de drogas e álcool?
    nossa, isso é bizarro!!!!!!

  • burro:

    Sobreviventes,guerreiros e discriminados.NEGROS são da nossa ‘raça mãe’e não temos respeito nenhum por eles…

  • ALX:

    MEIO RACISTA ESSA MATERIA NÃO ACHAM? PELO QUE JA OBSERVEI POR AI VI QUE OS NEGROS TEM MAIS PRECONCEITO DELES MESMO QUE OS BRANCOS DELES, TANTO QUE O CICLO DE AMIGOS E COSTUMES, FILMES MUSICAS SÃO TUDO DE NEGROS OU SEJA SO VIVEM NO MUNDO DELES COMO OS INDIOS, NOS BRANCOS Q “INVADIMOS” A AREA DELES. Espero que entendam minha colocação sem levar pra outro lado

    • Maria Emilia:

      CONCORDO PLENAMENTE, O MAIOR PRECONCEITO PARTE DELES MESMO.

  • mcaoquadrado:

    Nos Estados Unidos da América.. a cada 10 negros que jogam basquete, 5 jogam prum time e 5 jogam pro outro…

  • Bombs:

    Tava demorando… um fracassado em em comentário fracassado na tentativa de uma piada… fracassada

  • yefull:

    Que comentário racista, não tem moderação aqui não???

  • Bombs:

    A cultura dos negros é mais direcionada à extravagância, comparada com a dos brancos.

  • Alex Keher:

    Bizarro mesmo é um país em que existe um Auxílio-reclusão que garante 100% do salário de benefício cujo mínimo está atualmente em 862,60. Superior ao salário mínimo.

    Um país onde ser preso pode garantir uma renda permanente para seus dependentes quase igual ao salário de um bombeiro.

    Veja no site do Ministério da Previdência.

    • Wilian:

      Eu sei, e acho até que ja teve aumento esse ano. Uma vergonha.

    • Maria Emilia:

      É VERGONHOSO.

  • Roberto:

    Quando a vida é banalizada por um par de tênis, ou por uma suposta carteira recheada para comprar drogas, algo precisa ser revisto, ou extinguiremo-nos.
    Quando os filhos são deixados sós para trabalharmos ou para ficarmos por aí, algo precisa ser feito, ou extinguiremo-nos.
    Quando o ter é mais importante que o ser, é preciso pensarmos no que fazemos de errado, ou extinguiremo-nos.
    Quando trabalhar cansa mais do que roubar ou se drogar ….

  • Wilian:

    MATÉRIA MEIO RACISTA, NÃO É?

    • Alex Keher:

      O “medo” exacerbado do racismo não pode impedir a constatação de dados e estatísticas.
      Negros são mais propensos ao Glaucoma e ao Câncer de próstata. Negar fatos não é ser politicamente correto. É ser hipócrita.

      A Informação serve também para nos permitir verificar o que há de errado com nossa sociedade e corrigir ao invés de fingir que o problema não existe.

    • Igor:

      E os brancos ao câncer de pele e síndrome de down entre outras…

    • Jose51:

      Bem Racista

  • Edson:

    Espero que isso não seja mais um motivo para prenderem os negros.

  • Ferreira:

    Não só os negros os americanos em geral sobreviveriam mais nas prisão, la dentro não tem fast food e não servem BigMac e cocacola nas refeições.

  • Matheus:

    Eu ri.

    • Wilian:

      Racista neo-nazista!!!!

    • Alex Keher:

      Não vejo como isso pode ser motivo de risos.

      Só mostra que há algo profundamente errado e que precisa ser corrigido.

      Se sua leitura do fato é que os negros só prestam para estar presos garanto que essa é uma visão muito limitada.
      Eu leio como: O acesso aos Sistemas de Saúde vem sendo negado aos negros e isso poderia ser considerado um racismo em nível institucional.

    • Maria Emilia:

      ACESSO AO SISTEMA DE SAÚDE, VEM SENDO NEGADO A TODOS OS CIDADÕES BRASILEIROS, NÃO SOMENTE AOS NEGROS, ALIAS A POPULAÇAO BRASILEIRA É COMPOSTA POR MESTICOS. SOMENTE NO SUYL DO PAIS A POPULAÇÃO É UM POUCO MAIS CLARA, NÃO VEJO MOTIVO PARA TANTOS COMENTÁRIOS DE QUE A MATÉRIA É RACISTA. É APENAS UM FATO E PONTO FINAL.

Deixe seu comentário!