Acabamos de descobrir um planeta similar à Terra que não fica longe daqui

Por , em 16.11.2017

Um exoplaneta que pode ser muito similar à Terra foi descoberto na órbita da estrela Ross 128, a apenas 11 anos-luz de distância de nós.

Ross 128bv

Os pesquisadores usaram o instrumento HARPS do Observatório Europeu do Sul (ESO) para descobrir o planeta de baixa massa orbitando a anã vermelha Ross 128.
Notavelmente, o planeta tem uma massa semelhante à do nosso planeta. Também pode ter uma temperatura de superfície parecida.

Ross 128b, como é chamado, fica a 11 anos-luz do nosso sistema solar, tornando-se o segundo planeta temperado mais próximo de nós já detectado, atrás apenas de Proxima b.

“Esta descoberta é baseada em mais de uma década de monitoramento intensivo, juntamente com técnicas de análise de dados de última geração”, explicou um dos autores da pesquisa, Nicola Astudillo-Defru, da Universidade de Genebra (Suíça), em um comunicado de imprensa.

Hipóteses

A equipe por trás do estudo observa que, enquanto a maioria das anãs vermelhas liberam explosões solares extremas – chamas que banham seus planetas com uma radiação mortal -, Ross 128 é uma “estrela tranquila”.

Como resultado, os planetas que a orbitam podem ser locais confortáveis para a existência de vida alienígena.

A órbita de Ross 128b é 20 vezes mais próxima de sua estrela do que a distância entre a Terra e o sol, mas o planeta recebe apenas 1,38 vezes mais irradiação, o que mantém sua temperatura entre -60 °C e 20° C.

Enquanto os cientistas acreditam que ele é, de fato, um planeta temperado, ainda não temos confirmação de que ele esteja dentro da zona habitável de sua estrela, na qual a água líquida pode existir.

Confirmação

Em poucos anos, no entanto, teremos a chance de decifrar este curioso mundo com potenciais aliens vivendo nele.

“Para caracterizar o planeta, teremos que esperar pelo Telescópio Extremamente Grande do ESO, [que ficará pronto] em torno de 2025”, disse o principal pesquisador do estudo, Xavier Bonfils, do Instituto de Planetologia e Astrofísica de Grenoble (França). “Então, poderemos ver diretamente o planeta e analisar sua atmosfera”.

Enquanto este telescópio não fica pronto, precisamos melhorar nossos modelos teóricos para tentar elucidar se a água líquida pode ser encontrada na superfície do exoplaneta.

Apesar de estar atualmente a 11 anos-luz da Terra, Ross 128 está se movendo em nossa direção e, como resultado, um dia será nossa vizinha estelar mais próxima. Infelizmente, isso não vai acontecer em pelo menos 79.000 anos.

Aumentam as chances

As anãs vermelhas estão se revelando muito interessantes para os astrônomos em busca de exoplanetas terrestres.

Em junho, um foi descoberto na órbita de GJ 625, a cerca de 21 anos-luz de distância de nós, e, em agosto, um exoplaneta foi descoberto em um sistema que fica a apenas 16 anos-luz de distância de nós. A própria Ross 128 poderia ter mais exoplanetas terrestres.

A tecnologia atual oferece aos cientistas uma maior capacidade de estudar esses mundos, e sistemas ainda mais avançados estão no horizonte, especialmente o instrumento SPIRou do Telescópio Canadá-França-Havaí, e o instrumento NIRPS que irá complementar o Observatório Europeu do Sul.

“Estes dois instrumentos transporão para o infravermelho a precisão de HARPS na faixa visível. Pequenas estrelas como Ross 128 emitem a maior parte da luz no infravermelho, de modo que [os avanços] prometem mais descobertas”, acrescentou Bonfils. [Futurism]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (12 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!