Gato de Schrödinger tem solução proposta por físico

Por , em 28.08.2013

Há mais de 80 anos, o físico alemão Erwin Schrödinger elaborou um experimento hipotético, baseado em princípios da física quântica, para ilustrar o estranho fenômeno da superposição, em que uma partícula estaria simultaneamente em duas situações distintas, até que uma medição feita por um observador externo fizesse com que esse estado duplo entrasse em colapso, e a partícula fosse vista em uma única situação.

Em artigo recente, o físico Art Hobson apresentou uma solução para o problema do gato de Schrödinger – a chave estaria na “não localidade” e no “emaranhamento“.

Resolvendo o problema do gato de Schrödinger

“A teoria quântica parece sugerir que, se você conectar um sistema microscópico a um aparelho de medição em larga escala que faça distinção entre os dois estados distintos do sistema microscópico, o aparelho também ficará ‘emaranhado’ em uma superposição de dois estados simultâneos”, explica. “Contudo, isso é algo que nunca foi observado e não é aceitável”.

No experimento, o gato estaria preso em uma caixa junto com um átomo radioativo, que, enquanto não fosse analisado, estaria em um estado de superposição, simultaneamente liberando e não liberando radiação (se liberasse, ativaria um mecanismo que envenenaria o gato, matando-o); paradoxalmente, o gato estaria vivo e morto ao mesmo tempo, enquanto o material não fosse medido e o estado de superposição não entrasse em colapso.

O “gato vivo” é um sinal de que o átomo não liberou radiação; o “gato morto” é um sinal de que o material liberou radiação. De acordo com Hobson, o gato e o átomo radioativo estariam “emaranhados” – e como consequência sofreriam efeitos da “não localidade”, em que alterações em um dos objetos automaticamente provocaria alterações no outro, mesmo a distância. “É um único objeto se comportando como um único objeto, mas em dois lugares diferentes”.

Seguindo esse raciocínio, o gato não estaria ao mesmo tempo vivo e morto: ele simplesmente estaria vivo OU morto de acordo com a situação do núcleo radioativo.

Hobson lembra que pelo menos três soluções similares foram propostas desde 1978, mas não receberam a devida atenção, “levando a confusões e até mesmo a afirmações pseudocientíficas sobre as consequências da física quântica”. “Tenho esperança de que essa solução para o problema da medição seja agora aceita pela comunidade científica. É importante organizar os fundamentos da física quântica”, disse. [ScienceDaily; Physical Review A]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

10 comentários

  • Ricardo Tavares:

    Muito interessante este site e o tema debatido, comentários intrigantes e sarcásticos a respeito do paradoxo gato de Schrodinger (que era austríaco e não alemão) foram postos na mesa,,,sempre achei que uma futura resposta para tal paradoxo motivo de inúmeras viagens mentais seria o próprio espaço-tempo, mas, como a chave sendo a “não-localidade” e o “emaranhamento quântico”, fenômenos ainda não explicados apenas evidenciados, NÃO desvenda ainda este paradoxo (creio eu), falta “girar” essa…

  • Gil Cleber:

    Consta que Schrodinger propôs essa questão porque ele próprio não aceitava essas implicações da física quântica. Foi uma ironia que ele fez, e acabou popularizada.

  • Tiago Debarba:

    Gente seguinte, é preciso ponderar nesse assunto. Esse artigo saiu no arxiv (http://arxiv.org/abs/1308.4055) a alguns dias. O arxiv é um banco de dados onde todos os cientistas podem armazenar seus trabalho. Os artigos publicados nesse banco de dados não passam pelo rígido processo de revisão que os trabalhos científicos são submetidos antes de serem publicados em revistas indexadas. Sendo os cientistas responsáveis por fazer esse filtro diariamente.

    As respostas, para antigos problemas da mecânica quântica, que esse artigo clama ter encontrado são todas conhecidas a pelo menos a 50 anos. Isso significa que não há paradoxo do gato, nem um enigma em aberto.

    Esse texto possui uma series de problemas conceituais, portanto tomem cuidado, ele não é uma boa fonte para se aprender mecânica quântica.

    Um bom texto para quem quiser ler a respeito da discussão sobre medição quântica pode ser encontrado gratuito no link
    http://www.theory.caltech.edu/people/preskill/ph229/notes/chap3.pdf
    Ai você pode encontrar uma discussão no final do capítulo dos problemas atuais e discussões a respeito do processo de medição da mecânica quântica.
    Esse é um capítulo das notas de aula do professor John Preskill, que é conhecida como uma fonte confiável para tal estudo.

  • Evandro Maggiore:

    Bom se o fóton segundo a física quântica age de forma que se vemos é x e se não vemos é y, ele sera sempre x por conta do gatos estar vendo ele sempre ou seja, esta certo ele poderia estar morto ou vivo dependendo da situação em que se encontra o gato!

  • Diego Borodiak de Araujo:

    Não achei que a teoria adicionou nada de novo ao problema, pois se não houver a radiação ou o gato, não tem experimento. Além do mais uma solução para o problema do gato não difere em nada ao problema da física quântica Real

  • Marcelo Freitas:

    Num entendi porra nenhuma, não vou mentir. E olha que gosto de física.

  • Gean Medeiros:

    eu juro q já cansei d ler sobre esse enigma e nunca consegui entender as referencias e nem a finalidade.. acho q posso desistir da carreira d físico ¬¬

    • lexscience:

      Pode desistir mesmo, porque so de olhar a figura consegui entender kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Igor.R:

      Procura sobre a equação de shrodinger, e a equação da incerteza que vc entende.

      Explicar fisica só na teoria é complicado mesmo.

    • Alessandro Silveira:

      Ahaha.
      Na verdade, se te causa tanto desentendimento há grande chance de ingressar na carreira de físico. Na verdade o Gato de Schrödinger é um exercício mental que leva a um paradoxo. Por traz deste singelo “enigma” a muita coisa mesmo, e muita coisa que dá nó nas cabeças de muitos físicos mundo a fora. Para tu teres uma ideia, o artigo original do prof Art Hobson tem cinco páginas bem complexas e 36 referências, estou lendo ele a dias.
      O Artigo original:
      http://physics.uark.edu/hobson/pubs/13.08.PRA.pdf
      Um tipico Gato de Schrödinger:
      http://www.socialsmiling.com/image/asset/737_schrodinger-you-bastard_447-590.jpg

Deixe seu comentário!