Guerras podem ter ocasionado o surgimento de civilizações

Por , em 28.07.2011

Será que as guerras podem resultar em alguma coisa positiva? Novas descobertas arqueológicas no Peru indicam que sim: civilizações podem ter surgido motivadas por conflitos entre diferentes estados.

Esse pode ser o caso da primeira civilização da bacia do Titicaca, no sul do Peru. Ela pode ter se desenvolvido graças a uma guerra desencadeada por conflitos políticos, entre o século V a.C. e o primeiro século d.C.

Pesquisadores usaram evidências arqueológicas da bacia, que abrigou uma série de prósperas e complexas sociedades, para traçar a evolução dos dois maiores estados dominantes na região: Taraco e Pukura.

Escavações em Taraco, realizadas entre 2004 e 2006, mostraram sinais de um grande incêndio que se alastrou em algum momento do primeiro século d.C., reduzindo grande parte do que foi um estado a cinzas e escombros. Os pesquisadores acreditam que o incêndio foi resultado de uma guerra, e não um acidente ou ritual, devido à amplitude e extensão da destruição.

Evidências iconográficas em pedras, tecidos e cerâmica sugerem que a destruição de Taraco foi precedida por vários séculos de invasões. As provas incluem representações de cabeças seguradas como troféus e indivíduos vestidos com peles de felinos decapitando pessoas.

A queda de Taraco, que foi lar de cerca de cinco mil pessoas, coincidiu com a ascensão de seus vizinhos de Pukara como a força política dominante na região. Os pesquisadores acreditam que a guerra entre os dois estados poderia ter levado a ataques surpresas que moldaram as primeiras paisagens políticas do norte da bacia do Titicaca.

Habitada entre 500 a.C. e 200 d.C, Pukara foi o primeiro centro populacional nas regiões montanhosas dos Andes. Durante o seu auge, foi habitada por aproximadamente 10 mil pessoas, incluindo burocratas, sacerdotes, artesãos, agricultores, pastores e possivelmente guerreiros.

As ruínas da civilização incluem impressionantes esculturas monolíticas com variedade de imagens geométricas, zoomórficas e antropomórficas, e ainda cerâmicas multicoloridas usadas em rituais ou para uso doméstico.

A guerra pode ter desempenhado um papel civilizador semelhante na Mesoamérica e na Mesopotâmia. Para testar as novas teorias do surgimento das civilizações, pesquisadores começarão um projeto no próximo ano em um sítio neolítico na Armênia. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

11 comentários

  • leandro:

    A humanidade nunca sera estinta, mas sim a civilização como a conhecemos pode ser, pois sempre vai sobrar alguns pra reproduzir e começar tudo denovo…

  • Rod:

    Esta tese cai por terra com a análise da cidade mais antiga descoberta no Peru. O documentário ” As pirâmides perdidas de Caral” da BBC trata do assunto .De um lado um pesquisador com esta teoria de guerras como motivo da formação de cidades do outro as evidências contundentes de milenios de paz e comércio.

    http://www.youtube.com/watch?v=nQqkCA7MnsU

    Guerra é sempre barbarie nunca civilização.

  • Vitor:

    Quando era moleque..( faz tempo )..eu ganhei um livro de umas 400 páginas…o nome do livro: ” Homem,O Eterno Guerreiro “

  • Pensador®:

    É, e a guerra pode levar a humanidade à extinção.

  • Vitor:

    se tudo que eu escrevo vai para ” moderação “…dispenso comentar….e se continuar,bloqueio o email..

  • Vitor:

    Todos sabem…depois que o homem aprendeu á caçar,desenvolver ferramentas para agricultura,ele deixou de ser nômade e estabeleceram-se. Daí surgiu as primeiras guerras por posse te terras. Ou a expanção de quem ja tinha.
    O lado positivo: numa guerra o homem sempre vai tentar superar tecnologicamente seu adversário.
    Medicamentos, cirurgias, armas, táticas,etc…

  • Tamires:

    Fico pensando no conceito de civilização… o que garante que Taraco e Pukura não eram civilizações (Estads?) antes da guerra? Não terá sido exatamente por isso que eles realizaram a guerra?
    Enfim, tem que ver o conceito de civilização… se há preocupações políticas a ponto de levar a uma guerra, isso não pode ser considerado já uma consequência da civilização?

  • Roberto:

    O que levou às civilizações foi a ambição.

  • Tony Amorim:

    Tem lógica, é como dizem: “A união faz a força”, quem inventou essa frase parece já ter sacado esse aspecto da natureza humana.

  • José Calasans.:

    Tudo que existe tém uma utilidade,até o acaso não é por acaso.

  • drew:

    so sei que depois da guerra do poloponeso a Grecia nunca mais foi uma potencia como foi antes.

    nessa caso ai varia de acordo com a civilização.
    más também vale lembrar que a guerra trouxe varios avanços tecnológicos

Deixe seu comentário!