Hospitais chineses negam tratamento para pacientes com AIDS

Por , em 17.05.2011

China, a nação mais populosa do mundo, com 1,34 bilhões de pessoas, possuía 740.000 pessoas infectadas com HIV, o vírus causador da AIDS, em 2009. E, segundo um novo estudo, todas essas milhares de pessoas são rotineiramente negadas para tratamento médico em hospitais, devido ao medo e ignorância sobre a doença.

A AIDS tornou-se um grande problema para a China nos anos 1990, quando centenas de milhares de agricultores na província de Henan se infectaram graças à esquemas de venda de sangue. Agora, o vírus está se espalhando no país principalmente através de contato sexual.

Baseado em entrevistas com 103 pessoas vivendo com HIV e 23 trabalhadores da área de saúde, pesquisadores concluíram que assistência médica tem sido recusada aos doentes, que são discriminados pelos profissionais de saúde.

E não só para o tratamento da AIDS. Um homem HIV positivo contou que não conseguiu tratamento médico para seu problema nas costas por causa de seu status de HIV.

Segundo ele, em um dos hospitais o médico disse que lá muitos pacientes necessitavam de cirurgia, e se outras pessoas fossem infectadas, seria muito ruim. Em outro hospital, o médico afirmou que simpatizava com seu sofrimento, mas por causa de seu status, não se atrevia a operá-lo.

Ele já visitou muitos outros hospitais e encontrou recusas semelhantes, e desculpas como falta de equipamentos. Como se não bastasse tudo isso, o homem, que é lavrador, foi forçado a deixar seu emprego em uma empresa siderúrgica quando seu chefe descobriu que ele tinha HIV.

A cidade de Pequim demorou para reconhecer a ameaça da doença, mas desde então tem intensificado sua luta, gastando mais em programas de prevenção, lançando programas para dar acesso universal a medicamentos antirretrovirais para conter a doença, e introduzindo políticas para combater a discriminação.

Porém, em um país onde os tabus sexuais permanecem fortes e a discussão do tema é bastante limitada, a discriminação persistente por parte dos profissionais da saúde pode significar que muitos doentes evitem o tratamento médico.

A política da China de que as pessoas com HIV só devem ser tratadas em hospitais designados para tratamento de doenças infecciosas é uma das causas para a discriminação. Segundo especialistas, o país deve eliminar esses hospitais “especiais”.

Ao mesmo tempo, em outros hospitais, quando uma pessoa soropositiva recebe tratamento, muito poucas pessoas visitam o mesmo hospital, o que lhes preocupa quanto ao impacto sobre os ganhos econômicos.

E muita mentalidade tem que mudar ainda. Embora a luta tenha começado no país, muitos ativistas são considerados “agitadores”. Hu Jia, defensor dos portadores de AIDS, foi condenado a três anos e meio de prisão por um tribunal chinês em abril de 2008, por “incitar a subversão do poder estatal”. Outro ativista, o ex-funcionário do Ministério da Saúde Wan Yanhai, fugiu para os Estados Unidos com sua família por causa da pressão das autoridades. Desse jeito, como o país pretende combater a doença?[Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

8 comentários

  • Juliana Pereira:

    Que nação ignorante, até a minha prima de 12 anos sabe que a aids só é transmitida se houver contato com a sangue da vitima através de agulhas, relação sexual e de mãe com o virus para o filho. Ou eles são muito desinformados ou desumanos mesmo.

  • Mario:

    qual a ligação das crianças da foto com a aids?
    e esse lacinho? é pra por no pescoço do aidético.
    venham para o brasil pois aqui pode até ir pra tv falar que é bom ter aids, eu já vi.

  • Exordium…:

    Só A China Msm Pra Conseguir Ser Tão Contraditória.
    Mostram-se Muito Evoluidos,Mas Na Msm Proporsão,Mostram Totalmente O Contrário…¬¬
    Na Minha Opinião,Isso Faz Parte Da Jogada Do Governo Chinês Para O Controle Populacional Da China,(tipo,”já que vão morrer,e queremos diminuir a população msm,então porquê gastar verba adiando o inevitável? deixemos o povo na ignorância e mataremos 2 coelhos com um tiro”).
    Só Não Falam Abertamente Pra Não Parecerem Desumanos…¬¬
    Os Médicos Sabem Que A Aids Não Tem Esse”Problemão”De Contágio Td,Mas Sabem Tbm Que A Ditadura Acabará Com Eles Se Forem Contra “As Ordens”.Foi O Caso Do Wan Yanhai Mostrado Na Matéria.
    Enfim,O Mundo É Cheio De Palhaçada…¬¬

  • Silvio RC:

    Que barra, hein?

    Acho que os médicos chineses não devem fazer o Juramento de Hipócrates.
    Ele é considerado um patrimônio da humanidade por seu elevado sentido moral e, durante séculos, tem sido repetido como um compromisso solene dos médicos, ao ingressarem na profissão.

    Leia um trecho:

    “…Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém.

    A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substãncia abortiva.

    Conservarei imaculada minha vida e minha arte…”

  • Loir:

    Muito mau vindo de um dos paises “mais desenvolvidos” do planeta!!

  • Lipp:

    Eu heim! Sempre achei essa gente esquisitíssima.

  • WILSON:

    Um país que tem capacidade de construir foguetes espaciais e bombas potentes com esta mentalidade arcaica e ditadura ferrenha não merecia ter status de nação !

    • Anderson Thiago:

      O país tem capacidade de construir foguetes por que quem constrói são as mentes pensantes, os inteligentes, a nata dos cientistas e não os políticos, os tiranos que estão no poder, que são asnos e passam determinadas ideias para a população.

Deixe seu comentário!