Treinamento na cozinha: o que comer para melhorar seu exercício físico

Por , em 20.07.2011

O segredo para ter sucesso na academia, segundo especialistas, é começar e terminar o seu treino na cozinha.

Agendar refeições e lanches em torno de seu programa de exercícios físicos pode fazer uma grande diferença – e beneficiá-lo mais tarde. Você não precisa de uma dieta específica para se exercitar, desde que seja saudável. Ainda assim, é importante manter um olho no tamanho das porções, especialmente aqueles com objetivos específicos de condição física.

Antes do treino: É melhor comer uma grande refeição pelo menos algumas horas antes de treinar. Idealmente, as refeições devem combinar proteína magra e abundância de carboidratos. Dependendo da hora do dia, as refeições podem incluir arroz, macarrão, frango, peixe, manteiga de amendoim e outros alimentos saudáveis.

Também é uma boa ideia fazer um lanche menor, rico em carboidratos, ou tomar uma bebida esportiva para lhe dar energia dentro de uma hora antes de se exercitar. Segundo os especialistas, é absolutamente necessário comer antes de treinar.

A necessidade de comer é especialmente importante antes de exercícios aeróbicos prolongados. As pessoas precisam de um fornecimento contínuo de energia.

Em comparação com outros nutrientes, os carboidratos são digeridos e absorvidos rapidamente, o que os torna ideal para comer antes ou mesmo durante os treinos, pois mantém altos níveis de energia.

Proteínas e gorduras, embora necessárias para a nutrição, são uma má ideia para comer pouco antes de qualquer treino, porque demoram mais tempo para se digerir.

Porém, cuidado para não se exercitar logo após comer, pois isso pode interferir com o fluxo sanguíneo ao trato digestivo, e levar a dores de estômago e um sentimento pesado e letárgico que impede que você faça o exercício de forma eficiente.

Após o treino: Refeições pós-treino desempenham um papel tão importante quanto o que você come antes. A dica dos especialistas é: coma o mais imediatamente que puder depois que se exercitar.

A obtenção de alimentos ajuda o corpo a se recuperar do esforço. Após o exercício extenuante, os carboidratos armazenados nos músculos e no fígado podem ser usados, e as proteínas que compõem os músculos são parcialmente quebradas. Esses nutrientes precisam ser repostos.

A quantidade total de alimentos que alguém deve comer pode variar bastante, dependendo de seu tamanho, objetivo e rotina de exercícios. A chave é encontrar um equilíbrio para que você absorva nutrientes suficientes para substituir a energia e construir músculos, mas não tanto para que seu corpo não o converta em gordura indesejada.

Além disso, é o conteúdo nutricional, e não a forma do alimento que importa. Logo após um treino, cansadas, as pessoas podem achar alimentos em forma líquida, como um suco de fruta, mais fáceis de se ingerir.

Infelizmente, estas opções raramente têm qualquer proteína natural, que desempenham um papel vital no aumento da massa muscular.

Uma opção para obter mais proteína é a utilização de suplementos de proteína em pó – mas que não devem ser tratados como um substituto para refeições apropriadas. E sempre, claro, tomando cuidado com a quantidade: um monte de proteína concentrada carrega as mesmas penalidades que qualquer outra comida. Ingira demais, e você vai aumentar seu peso.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • AMANDA NUNES:

    GOSTEI MUITO TIREI UMA DÚVIDA OTIMO

  • ALX:

    boa Natasha… Ainda preciso de dicas pra ansiedade kkkkkkkkkk!

  • Bruno Juncklaus:

    Escareceu e me ajudou bastante.
    Estou começando a correr agora e sempre vou correr “de barriga semi-cheia” e estava me perguntando ontem mesmo se isso era certo ou não..

Deixe seu comentário!