Dieta é uma “luta injusta”, dizem especialistas

Por , em 29.12.2017

Mais um fim de ano chegou e muita gente já está prometendo entrar na dieta em 2018 para emagrecer. Mas por mais que dietas milagrosas apareçam por todos os lados, prometendo uma perda de peso garantida e rápida, muitas pessoas tendem a tentar essa estratégia diversas vezes durante a vida, sem alcançar os resultados desejados. Por que isso acontece?

“As dietas não funcionam. A evidência científica é clara: cortar calorias simplesmente não leva a perda de peso ou ganhos de saúde a longo prazo”. A declaração é de um texto publicado no portal The Conversation por duas especialistas no assunto: Traci Mann, professora de Psicologia na Universidade de Minnesota, e Janet Tomyama, professora de Psicologia da Universidade da Califórnia.

Saiba qual o segredo para não ganhar peso na meia idade

Elas debatem no texto como o ganho ou não de peso está muito mais relacionado a fatores genéticos do que qualquer outra coisa. Pessoas que fazem dieta provavelmente já perceberam que essa prática não funciona, mas mesmo assim continuam tentando, enquanto pessoas que nunca precisaram de dieta mesmo comendo bastante não conseguem entender como as outras não conseguem emagrecer.

No texto, elas criam uma personagem com estas características, a Nicky Naturalmente Magra. “Ela come sensivelmente a maior parte do tempo, com algumas “junkie foods” aqui e ali, mas isso realmente não parece afetar seu peso. Ela não é uma pessoa que faz dieta, ela é a Nicky Naturalmente Magra, e não é surpreendente que ela acredite no que vê com seus próprios olhos e sente em seu próprio corpo. No entanto, Nicky está errada”, declaram

“Nós estudamos por que as dietas falham por muito tempo. Vimos que a falha na dieta é a norma. Também estudamos o estigma que as pessoas mais pesadas enfrentam e testemunhamos o jogo de culpa que acontece quando as pessoas que fazem dieta não conseguem manter um peso baixo”.

Luta injusta

As especialistas dizem que, do ponto de vista científico, a dieta estabelece uma luta injusta. “Mas muitas Nickys que encontramos – na rua, na audiência quando falamos, e até colegas cientistas – ficam confusas quando dizemos que a dieta não funciona, porque não se enquadra em suas próprias observações”, apontam.

“Nicky acha que ela é magra por causa da maneira como ela come, mas, na verdade, a genética desempenha um papel importante nisso. Ela obtém todo o crédito, pois as pessoas vêem a maneira como ela come e não conseguem ver seus genes”, dizem elas.

Muitas pessoas pesadas não ficariam magras como Nicky mesmo que comessem os mesmos alimentos nas mesmas quantidades, afirmam. Seus corpos funcionam com menos calorias que o de Nicky, o que parece uma coisa boa (e é ótimo se você se encontra em uma escassez de comida). No entanto, isso significa que depois de comer os mesmos alimentos e usar essa energia para executar os sistemas de seu corpo, a caloria extra fica armazenada.
E não é apenas a genética que influencia o fracasso das dietas. Para realmente perder peso, as pessoas com predisposição genética para engordar precisam que comer menos comida do que as outras. E então, uma vez que elas estão fazendo dieta há um tempo, seu metabolismo muda, e faz com que eles precisem comer ainda menos do que isso para continuar a perder peso.

Essa é a maneira mais eficaz de perder peso com o mínimo esforço

“Não é apenas o metabolismo genético de Nicky que a faz pensar que a dieta deve funcionar. A dieta provoca alterações neurológicas que tornam mais provável que (quem a faz) note os alimentos do que antes de fazer dieta e, uma vez que você os percebe, essas mudanças deixam muito difícil deixar de pensar neles.Nicky pode esquecer que os chocolates estão lá, mas quem faz dieta não esquece”, esclarecem.

Na verdade, a dieta pode fazer com que gostemos ainda mais de comer. Isso ocorre, as especialistas explicam, porque outras mudanças neurológicas induzidas por ela fazem com que os alimentos não apenas melhorem, mas também faz com os alimentos nos forneçam uma recompensa maior através do hormônio dopamina. Esse é o mesmo hormônio que é liberado quando viciados usam drogas.

As pesquisadoras também lembram que quem faz dieta enfrenta uma batalha árdua na hora de se sentir satisfeito, porque ela também muda seus hormônios. “Os níveis do chamado hormônio da saciedade estão baixos, o que significa que agora é preciso ainda mais comida do que antes para fazê-los sentir-se cheios. Eles sentem fome em suas dietas o tempo todo, mas agora se sentem ainda mais ansiosos do que antes”.

Força de vontade?

Pessoas como Nicky são elogiadas por seu autocontrole, ou força de vontade. “Mas deve realmente ser considerado autocontrole evitar comer um alimento quando você não está com fome? É autocontrole quando você evita comer um alimento, porque não o percebe, gosta ou recebe uma recarga de recompensa?”, questionam as especialistas.

“Qualquer um poderia resistir à comida nessas circunstâncias. E apesar de Nicky realmente não precisar de força de vontade nesta situação, se ela precisasse, funcionaria bastante bem porque ela não faz dieta. Além de tudo, a dieta prejudica a cognição, especialmente a função executiva, que é o processo que ajuda com o autocontrole. Portanto, as pessoas que fazem dieta têm menos força de vontade quando precisam de mais força de vontade. E os que não fazem dieta têm muita, mesmo que não precisem de nenhuma”, comparam.

A maior ironia, porém, é que, depois de alguém ter feito uma dieta há algum tempo, ocorrem mudanças que dificultam o sucesso na dieta a longo prazo.

As professoras dizem que é fisicamente possível ter uma dieta de sucesso, e uma pequena minoria de pessoas que fazem dietas consegue manter o peso por vários anos. Mas não sem uma batalha desmoralizante e abrangente com sua fisiologia durante todo o tempo.

Qual é a melhor forma de perder peso: dieta ou exercícios?

Vendo por este ponto de vista, é fácil entender por que pessoas que fazem dieta costumam recuperar o peso que perdem na dieta de resolução do Ano Novo. “Se você é uma Nicky, lembre-se da abnegação a que as pessoas que fazem dieta se submeteram e quão pouco elas estavam comendo enquanto você aproveitava as sobremesas. Fique impressionado com seus esforços e agradecido por não ter que fazer a mesma coisa”, recomendam elas.

“Se você faz dieta, lembre-se de que você não é fraco, mas que estava em uma luta injusta que muito poucas pessoas vencem. Mude seu foco para melhorar a sua saúde com exercícios (o que não requer perda de peso) e resolva escolher uma nova resolução de Ano Novo no próximo ano”, finalizam. [Science Alert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (22 votos, média: 3,95 de 5)

Deixe seu comentário!