Menina de 10 anos descobre nova molécula acidentalmente

Por , em 6.02.2012

Clara Lazen é a descobridora da “tetranitratoxicarbono”, uma molécula composta de oxigênio, nitrogênio e carbono.

A molécula tem algumas propriedades interessantes – embora ainda teóricas – que vão desde o uso como um explosivo até o armazenamento de energia.

Clara Lazen está listada como a coautora de um artigo recente sobre a molécula. Só que Clara tem 10 anos!

Kenneth Boehr é professor de ciência de Clara em Kansas, EUA. Um belo dia, ele distribuiu os habituais modelos de bolas e pauzinhos utilizados para visualizar moléculas simples para sua classe de quinta série.

A minigênia Clara colocou os átomos de carbono, nitrogênio e oxigênio juntos de uma forma particular complexa, e perguntou a Boehr se ela tinha feito uma molécula real.

Para sua surpresa, Boehr não tinha certeza. Ele fotografou o modelo e enviou-o para um amigo químico, que o identificou como um produto químico totalmente novo, mas também totalmente viável.

O composto tem a mesma fórmula de um outro existente, mas os átomos estão “arranjados” de maneira diferente, por isso se qualifica como uma molécula única, até então nunca descoberta.

Ela não existe na natureza, por isso teria que ser sintetizada em laboratório, o que leva tempo e esforço. Então, por enquanto, a solução foi o amigo de Boehr, Robert Zoellner, escrever um artigo sobre a molécula, listando Clara como coautora.

Boehr disse que a descoberta e posterior publicação do artigo incitou um novo interesse em ciência e química na sua escola – e Clara parece particularmente feliz, afirmando estar agora muito mais interessada em biologia e medicina.[POPSCI]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

26 comentários

  • felipe05:

    A professora n iria dar bolas e pauzinhos as crianças, se ela n tivesse dado pelo menos um minimo conceito do assunto,por isso ,acho que o acidental acontecido pode n ter sido tão acidental assim, pois a menina deveria ter algum minimo conceito quimico que a ajudou a entender um pouquinho bem pouco o que estava fazendo.Isso não é Brasil a educação é avançada e desenvolvida por isso com 10 anos eles aprendem quimica e biologia de uma maneira bem simples mas aprendem.O comportamento de genios pode ser as vezes,no minimo misterioso.A maioria dos genios tiveram descobertas acidentais.

    • Charlie Timao Timao:

      sabe Felipe vc esta certo, nossos metodos de ensino de liguas difetentes …. gramatica , verbos, pronomes , adjtivoskkkkkkk com nossos bebezinhos …babamos velos aprender falar e só aos 4, 5 anos q vao a escola ……………,…

  • Marcos-DF2:

    Parabéns, Cesar !
    Se isto tivesse acontecido no Brasil,muito provávelemtne ela iria ouvir um “deixa de ser chata, isso não existe !!” e aí, baubau nova molécula !!!
    Abraços e parabéns !

  • Michel Mônaco:

    Legal a notícia, mas faço uma correção: não existe na língua portuguesa a palavra ‘minigênia’, deve-se usar ‘minigênio’, pois o termo é comum de dois gêneros (serve para masculino e feminino).

  • Marco:

    poxa.. uma garota dessas merece um grande prêmio junto com um grande incentivo a não parar de estudar, quanto mais cedo uma pessoa ver que estudar só traz coisa boa, melhor é.

  • junior:

    Gente ,voces tao com inveja da menina ela e um genio sim!

  • Carolina:

    Muito sensacionalismo pra nada, afinal, ela nem sabia o que estava fazendo!

    • Patrick:

      As maiores descobertas foram feitas por acaso!

    • Jeferson:

      dessa forma qualquer um pode criar uma molécula de qualquer coisa, é só ajuntar as bolas e os pauzinhos e pronto!

    • SimonViegas:

      Será?

      As ligações atômicas obedecem a uma lei. Sendo elas naturais ou artificiais. No caso dela, simplesmente não existia, ou seja, é possível, mas não foi catalogada.

  • Simon Viegas:

    «A minigênia Clara colocou os átomos de carbono, nitrogênio e oxigênio juntos de uma forma particular complexa, e perguntou a Boehr se ela tinha feito uma molécula real. »

    Seria mesmo uma “minigênia”? “André” discorda!!!!

    Vejam o que ele diz:
    http://ceticismo.net/2012/02/06/menina-de-10-anos-inventa-molecula-e-eu-quero-matar-alguem/

    Eu concordo com ele!

    Att

    • Cesar:

      A menina não é uma minigênia, e o André vai ter problemas no fígado bem cedo…

      Concordo que é muito auê, a menina não é realmente um gênio da química, e o que ela fez qualquer um poderia ter feito, se parasse para brincar com modelos de átomos. Mas ela fez e a brincadeira dela pode se tornar alguma coisa real.

    • Khajiit:

      nao exatamente, ja que para fazer um modelo desse tem que ter um conhecimento sobre ions, por exemplo, eu nunca poderia brincar de juntar atomos de carbono, magnesio, cobre e titanio por exemplo. Entao nao, nao é qualquer um que poderia ter feito isso, e se fosse “tao simples” assim, entao qualquer quimico teria descoberto isso, eu ou voce.

    • Simon Viegas:

      Olhando por esse ponto de vista, até que faz sentido.

      Se realmente ela fez uma ligação (nova ou não) utilizando somente os princípios de de “covalência” (acho que é isso – em relação as propriedades) ai pode-se até dar um crédito, mas ao ponto de referencia-la como uma “mini-gênia” há uma diferença grande.

      Agora eu acho estranho que ninguém tinha descoberto esse possível elemento, já que, pelo princípio que ela supostamente usou (propriedades), qualquer simulador poderia ter encontrado!!! (simplesmente fazendo um arranjo).

    • Igor Monteiro:

      este tipo de coisa tem sua “gênesis” no Brasil mesmo.. num país onde se um cientista apenas faz uma coleta.. tem seu nome la publicado como “co autor” para incrementar o capitalismo acadêmico dos “qualis” é difícil admitir que coisas novas podem surgir fora das muralhas dos egos acadêmicos…o fato é que a molécula esta ai.. e honrosamente a menina teve seu nome citado, Aqui.. os “deuses” da academia teriam arranjado desculpas e justificativas para dizer que foram criadores.

  • Nika Pinika:

    “Um belo dia, ele distribuiu os habituais modelos de bolas e pauzinhos utilizados para visualizar moléculas simples para sua classe de quinta série.”

    Caramba, eu só fui mexer nesses modelos no meu segundo grau… em escola técnica. Estudei em escola pública desde os 4 anos; nunca tinha visto tal modelo até chegar no ensino técnico.
    Isso serve pra mostra duas coisas:
    1 – o ensino brasileiro ainda tem muito o que engatinhar, trazer para a sala de aula qualquer recurso não perigos, didático e capaz de melhorar a atenção e o interesse do aluno;
    2 – o que a inserção de recursos que trabalhem a visão espacial nas aulas de química/ciências pode fazer, né?

    • Cesar Crash:

      Eu também sempre estudei em escola pública, cursei o ensino técnico em ETEC e NUNCA mexi com um negócio desses.

  • Delfina:

    Tem muitas respostas que a minha humilde mente cientifica elaborou nas justificações das perguntas nos testes mas os meus professores contentaram-se a por um X nessas respostas. Olha que um dia eu provarei que as minhas teorias estão certas! Hahaha brincadeira, gostei da matéria!

  • eduardo:

    Ela é filha do Tony Stark!!!!!

  • alx:

    ATE PARECE Q IRIAM DEIXAR UMA CRIANÇA DE 10 ANOS SE METER NESSAS EXPERIENCIAS PERIGOSAS… FALA SERIO

    • Ben:

      Desde quando mexer com bolinhas e pauzinhos para mostrar uma molécula é uma “experiência perigosa”?

  • Cesar:

    Adorei a história! A criança brincando sem regras com as peças representando uma molécula, o professor com humildade reconhecendo que não conhecia aquela molécula e, em vez de dizer “isto não existe”, procurou ajuda com um especialista, e o especialista olhando para a molécula sem preconceito por que tinha sido feita por uma criança de 10 anos que não sabe quase nada sobre leis de ligação química.

    Quantas descobertas e quantos talentos, quantas mentes inteligentes e inquisidoras não são jogadas no lixo por professores despreparados para lidar com a curiosidade das crianças e incapazes de reconhecer a própria ignorância com humildade e pesquisadores arrogantes que não dão valor a nenhum papel que não tenha sido feito por um Ph.D.?

    Mais uma vez, excelente notícia, valeu meu dia esta reportagem!

    • karlloz:

      Falou tudo! Parabéns pelo comentário.

    • MariannaGoret:

      Isso aí! Devemos essa notícia ao grande e raro professor que ele é.

    • SubHeaven:

      Falou tudo mesmo. Um dos melhores comentários que já vi.

  • Joabe de Jesus Santos:

    Legal o novo modelo de comentario!
    A molecuals novas é facil fazr o dificil é sintetiza-la ;/
    fail, caro amigos amantes da tecnologia e da vida, eu tenho um doc arquivos no google pesquisem la vão gostar umas ideias maneiras… JOABE DE JESUS!

Deixe seu comentário!