Veja o que aconteceria se a criação de animais fosse abandonada completamente

Por , em 6.09.2018

O veganismo tem se tornado cada vez mais popular conforme as pessoas vão conhecendo os problemas ambientais e de bem-estar animal por trás da indústria de carne e derivados de leite do mundo inteiro. Grandes estudos recentes também têm mostrado que o consumo frequente de carne é responsável por aumento dos casos de câncer, entre outros problemas de saúde.

Mas e se todos do planeta decidissem se tornar veganos e deixassem de criar animais herbívoros, qual seriam os impactos ambientais deste modelo? Afinal de contas, precisamos de animais que pastam e fuçam a terra para o crescimento saudável das plantas e para a existência equilibrada de outros animais como insetos e de todos os outros que se alimentam deles.

Para alguns, a resposta não está nos extremos, e sim no meio-termo da criação de animais com sustentabilidade e preocupação com o bem-estar deles.

Animais livres para explorar e pastar

A fazendeira britânica Isabella Tree transformou uma propriedade de 1,4 mil hectares, em West Sussex, em uma fazenda em que o gado, porcos, pôneis e veados ficam livres para andar, comer e dormir onde quiserem, formando rebanhos naturais. “Por 17 anos tivemos dificuldade em obter lucro de nossas plantações e laticínios”, conta ela, que hoje consegue lucrar com o ecoturismo e venda de 75 toneladas de carne de gado orgânica por ano.

“Já que os animais vivem lá fora o ano todo e têm bastante o que comer, eles não precisam de ração e raramente precisam de veterinário”, conta ela. Os animais têm acesso a pastos, florestas, riachos e lagoas onde podem se refrescar e se alimentar. “O gado e os veados comem flores e capim selvagem, mas também se alimentam de arbustos e folhas de árvores. Os porcos cavam para procurar raízes, e mergulham nas lagoas em busca de mexilhões-cisne”, relata a fazendeira.

“A forma que eles pastam, fuçam e pisoteiam estimula a vegetação de várias formas, o que por sua vez cria oportunidades para outras espécies, como pequenos mamíferos e pássaros”.

Para ela, a chave está na ausência de antibióticos e vermífugos, usados intensamente em animais no sistema convencional. Assim, o esterco desses animais serve de alimento para minhocas, fungos, bactérias e pequenos invertebrados como o besouro rola-bosta, que levam o esterco para dentro da terra e ajudam na fertilização. Como consequência, a terra fica aerada e cheia de nutrientes, e os animais que se alimentam de insetos se multiplicam na região, e dão uma turbinada em toda a cadeira alimentar.

Solo saudável para plantações

Este é um processo vital para a restauração do ecossistema, levando nutrientes de volta para o solo. Um relatório da ONU de 2015 apontou que a perda de solo saudável é uma das catástrofes mais importantes que estamos enfrentando, e isso acontece especialmente por conta da agricultura intensiva.

Por isso, Tree argumenta que as plantações não devem ser contínuas, permitindo ao solo readquirir nutrientes com a ajuda de pastos, vegetação natural e animais livres para circular pela área.

“A menos que você esteja adquirindo seus produtos veganos especificamente de sistemas orgânicos, você participa ativamente da destruição da biota do solo, promovendo um sistema que priva outras espécies, incluindo pequenos mamíferos, pássaros e répteis, das condições de vida, e contribuindo significativamente para a mudança climática”, alerta ela.

O desafio aqui é não ser seduzido por alimentos que contêm soja, milho e grãos do sistema tradicional, que não são produzidos de forma sustentável. Sempre que possível, o ideal é encorajar formas de produção sustentável que têm como prioridade a preocupação com a saúde do solo e dos animais – domesticados ou selvagens – que habitam a região.

Não há dúvidas que devemos comer menos carne e que precisamos dar um fim à criação antiética de animais, mas se a sua motivação para ser vegano é o meio ambiente, bem-estar animal e sua própria saúde, não adianta apenas desistir da carne e dos laticínios e sonhar com um mundo sem fazendas de animais. O meio ambiente também precisa da criação de herbívoros orgânicos que podem circular livremente em busca de alimento. [The Guardian]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (25 votos, média: 4,56 de 5)

3 comentários

  • Abner Bragança:

    Se os animais domésticos forem abandonados à sua própria sorte, não tendo predadores naturais, vão procriar e crescer populacionalmente, em curto espaço de tempo, a tal ponto que DESTRUIRÃO TODA A FLORA ao seu redor….

  • Oliveiras:

    Obrigado Juliana Blume por compartilhar conosco essa matéria!
    A atividade agropecuária, quando bem conduzida, é amiga do meio ambiente.

  • Roberto Monteiro:

    Fôssemos todos veganos, não seríamos humanos.

    A rima foi proposital.

Deixe seu comentário!