Nova ‘lâmpada mágica’ super-econômica dura 60 anos

Por , em 29.01.2009

A Universidade de Cambridge apresentou uma lâmpada que, teoricamente, dura 100 mil horas de uso e que promete diminuir as contas de luz em até 75%. Além disso, as lâmpadas seriam mais eficientes em termos de iluminação e energia: doze vezes mais eficientes do que as tradicionais lâmpadas de tungstênio (incandescentes) e três vezes a mais do que as lâmpadas fluorescentes compactas, que são conhecidas por serem o modelo mais econômico do mercado atual.

No entanto, o custo de produção dessa nova maravilha que os cientistas estão chamando de “possível Santo Graal da iluminação no futuro” ainda é muito alto. Dificilmente ela poderá estar em residências e escritórios comuns em pouco tempo. Um único “Graal” custaria cerca de R$ 60.

Mas ainda há esperança. Os pesquisadores estão trabalhando em formas mais baratas de fabricar o material que constitui a lâmpada – o Nitrito de Gálio -, usado atualmente nos LEDs (sigla em inglês para Diodo Emissor de Luz).

A estimativa é que a nova lâmpada super-econômica esteja nas prateleiras daqui a dois anos, visto que protótipos já estão sendo produzidos. Se tudo acontecer de acordo com os sonhos de seus criadores, o uso dessa lâmpada mágica poderá cortar de 5 a 20% o consumo total de energia gasta em iluminação no Reino Unido – se for instalada em cada residência e escritório. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,33 de 5)

13 comentários

  • Raphael Saunders:

    Do jeito que tinha na matéria eu pensei que a lâmpada era muito mais cara, vale muito a pena gastar R$ 60,00 em uma se ela realmente durar isso que dizem.

  • adelimar:

    eu discordo totalmente do ronaldo ,eu tenho certesa que as lanpadas de led s , vao fazer a revoluçao sim , e acredito que a claridade de uma lanterna nao e tao boa , porcausa que sao ligadas a uma bateriazinha de pilhas fracas , temos que ligalas na energia de cento e dez volt s dai tiraremos nossas conclusoes , fora que a sua utilizaçao sera muito bem vinda na industria automotivaetc…

  • Edvaldo José da Silva:

    Eu achei muito interessante essa informação,realmente seria muito bom se os gonvernos se unissem com o objetivo de investir nesses tipos de descorberta.Aí possibilitaria para que todos podessem usufruir disso de uma maneira mais acessível.
    Visto porque é uma maneira de contrbuir para a sustentabiladade do planeta.

  • renata pinheiro:

    eu acho que essas lampadas são as melhores lampadas que podia existir, pois alem de economizar energia, ela ajuda na preservação do meio ambiente (ela é cara mas vale a pena)

  • Cesar:

    Ronaldo, qual o led que você usou para fazer o teu teste?

  • Ronaldo:

    Em primeiro essa não pode, jamais, ser comparada as lâmpas convêncionais de uso domiciliar. A maioria dos LEDs atuais ainda não possui brilho suficiente para substituir as lâmpada de uma sala, por exemplo, atualmente são utilizados em painéis de sinalização, eletrodoméstico, aparelhos eletrônicos e etc. Há empresas aprimorando este componente, porém o seu custo para substituição de uma simples lâmpada de uma sala ainda é muito elevado. Para confeccionar-mos uma simples lanterna com LED’s, devemos utilizar vários deles para obtermos uma tímida e singela iluminação. Empresas de componentes eletroeletrônicos estão se empenhando no desenvolvimento de LED’s mais potentes, mas a substituição de lâmpadas convencionais pelos simpáticos LED’S, deve demorar um tempo razoável ainda para se concretizar.

  • Dudu:

    O valor dela não esta caro,as lampadas convencionais que compramos não dura 1 ano,as fluorescentes hoje custa em média R$15,00 se for fazer as contas,sai muito mais caro ficar comprando varias lampadas do que apenas 1 que dura 60 anos!
    Poderia lançar ela no mercado agora em 2009!

  • Cesar:

    A lâmpada não custa £20, mas £2. Ela custava £20 até encontrarem um novo processo que barateia a sua produção.

    E 100.000 horas de uso contínuo são 11 anos. De uso contínuo. Se a lâmpada ficar ligada 1/3 do dia, vai durar 33 anos.

    Em 2 anos, então, deverá chegar às prateleiras do mundo uma lâmpada que é mais eficiente, mais econômica e mais durável. Se os grandes fabricantes de lâmpadas incandescentes e fluorescentes deixarem, é claro.

  • Gray:

    R$60 para 100 mil horas de uso não é caro, considerando que as lâmpadas fluorescentes duram cerca de 20mil horas, e as incandescentes, 1000hrs…

    E a diferença no preço seria facilmente recuperada não apenas no tempo de duração, mas também na conta de luz

    • Liel Pires:

      Também não achei caro. É um bom investimento

  • Jaqueline:

    Vejo que o valor de R$ 60,00 para um produto que durará até 100 mil horas é válido o investimento… o que poderia reduzir em até 75% as contas… mais válido ainda, afinal o planeta agradece a atenção especial com esses “pequenos” detalhes.

  • wilson simoes balbo:

    As novas lampadas serão muito bem vindas, pois, com sua durabilidade e ser mais economicas, serão um grande avanço em termos de meio ambiente, visto que, menos hidroelétricas deixaram de ser construidas, e até mesmo as usinas atômicas, que tem vida util de no maximo 50 anos e podem afetar o meio ambiente com o escape da radioatividade, e ainda poluir os rios e mares onde forem costruidas. Faço votos que o governo pesquise mais as turbinas eólicas. Assim sendo faço votos para que os pesquisadores encontrem meios de construi-las com metais e outros materiais mais baratos e que funcionem da mesma maneira, e que todas as camadas sociais possam obte-las.

  • ThiagoSperandio:

    Incrível! Até que enfim!!

    Convenhamos, e convenhamos(novamente): 60 reais nem está tão caro assim, considerando o atual preço das lâmpadas fluorescentes e considerando os tais “60 anos de duração”, além da eficácia e não muito provavelmente do baixo consumo de energia.

    Esta evolução tem a ver com aquela tentativa de melhorar o LED, que foi uma reportagem anterior daqui? Acho que sim.

    Mto boa notícia!! Economia e adequação para um futuro mais sustentável!

Deixe seu comentário!