Meteoroide evita detecção terráquea e explode sobre o Mar de Bering com a força de 10 bombas atômicas

Por , em 20.03.2019

No dia 18 de dezembro de 2018 um meteoroide do tamanho de um ônibus explodiu na atmosfera a Terra com um impacto energético de 10 bombas atômicas. Esta foi a segunda maior explosão desde que a NASA começou a registrar esses impactos há 30 anos.

O maior impacto de um meteoroide já registado foi o de fevereiro de 2013 sobre a Rússia. A explosão mais recente teve apenas 40% da liberação de energia da anterior.

Apesar de toda esta intensidade, ninguém viu a explosão. Ao contrário do meteoroide de 2013 que foi visto, registrado e sentido por milhares de pessoas na cidade de Chelyabinsk, o impacto de 2018 ocorreu sobre o Mar de Bering entre a Sibéria e o Alasca. Esta região é bastante isolada.

A NASA só ficou sabendo da explosão com ajuda dos satélites de monitoramento de mísseis das Forças Aéreas dos EUA. O impacto também foi captado por detectores de ultrassom ao redor do mundo.

O meteoroide tinha cerca de 1.360 toneladas, diâmetro de 10 metros e viajava a uma velocidade de 115.200 km/h quando explodiu. A explosão aconteceu 25 km acima do nível do mar e liberou uma energia de 173 quilotons de TNT, ou 10 vezes a energia da bomba atômica de Hiroshima.

Ninguém viu a rocha vindo em nossa direção por conta de seu pequeno tamanho. A maioria dos telescópios modernos detecta apenas objetos maiores, com mais de 100 metros de diâmetro. A notícia foi anunciada na Conferência de Ciência Planetária e Lunar que aconteceu em março no estado norte-americano de Texas, pelo gerente do centro da NASA de Observação de Objetos Próximos da Terra, Kelly Fast. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (39 votos, média: 4,82 de 5)

Deixe seu comentário!