Novo estudo mostra que é importante quais livros você leu para o seu bebê

Por , em 8.01.2018

Não é nenhum segredo: a leitura é fundamental para apoiar o desenvolvimento de crianças. Uma onda crescente de estudos também tem mostrado que é importante ler até mesmo para bebês, ou seja, crianças a partir de seis meses.

Agora, uma nova pesquisa da Universidade da Flórida (EUA) sugere que o que está nas páginas desses livros pode ser tão importante quanto a própria experiência da leitura em si.

Benefícios da leitura

A leitura de livros para crianças pequenas ajuda no desenvolvimento cognitivo e linguístico, aumentando o vocabulário e as habilidades de pré-leitura e aperfeiçoando o desenvolvimento conceitual.

Além disso, provavelmente também aumenta a qualidade do relacionamento entre pais e bebês, incentivando interações recíprocas, e oferecendo a eles um tempo diário consistente para passar juntos.

Pesquisas recentes descobriram que tanto a qualidade quanto a quantidade de leitura de livros na infância previam vocabulário, capacidade de leitura e capacidade de escrever o nome no futuro.

Em outras palavras, quanto mais livros os pais liam para seus bebês, e quanto mais tempo passavam lendo, maiores os benefícios de desenvolvimento para seus filhos mais tarde, dos 4 anos em diante.

O livro certo

Lisa S. Scott, professora de psicologia da Universidade da Flórida, e seus colegas estudam a aprendizagem de bebês. Um dos seus objetivos é entender melhor em que medida a leitura de livros é importante para seu desenvolvimento cerebral e comportamental.

Em seus experimentos, eles acompanharam bebês de seis meses a um ano, descobrindo que quando os pais lhe apresentavam livros com rostos ou objetos nomeados individualmente, as crianças aprendiam mais, generalizando o que aprendiam a novas situações e mostrando respostas mais específicas no cérebro.

O aprendizado precoce na infância também foi associado com benefícios quatro anos depois na infância.

Em detalhes

O primeiro passo da pesquisa foi observar a quantidade de atenção que crianças de seis meses de idade davam a personagens de histórias que nunca tinham visto antes, utilizando eletroencefalografia (EEG) para medir suas respostas cerebrais. Essas medidas cerebrais indicavam se os bebês reconheciam e podiam diferenciar os personagens que lhe foram mostrados.

Os cientistas também rastrearam o olhar dos bebês usando tecnologia de rastreamento ocular para ver quais partes dos personagens eles focalizaram mais, e por quanto tempo prestaram atenção.

Os resultados coletados nesta primeira visita ao laboratório serviram de base para comparação com futuras medições, feitas depois que as crianças foram enviadas para casa com livros de histórias com esses mesmos personagens.

Os bebês foram divididos em três grupos. Um grupo de pais leu livros contendo seis personagens nomeados individualmente. Outro grupo recebeu os mesmos livros, com as mesmas histórias, mas sem nomes individuais. Um rótulo genérico foi usado para se referir a todos os personagens (como “Hitchel”). Finalmente, um terceiro grupo de pais não leu nada em especial para o estudo.

Resultados

Após três meses, as famílias retornaram ao laboratório para que os pesquisadores medissem mais uma vez a atenção dos bebês aos personagens do livro.

Apenas as crianças que receberam livros com personagens nomeados individualmente apresentaram maior atenção em relação à sua visita anterior. Sua atividade cerebral também mostrou que elas podiam distinguir entre diferentes personagens.

O mesmo não foi visto nos outros dois grupos. Isso sugere que bebês já podem usar, desde cedo, rótulos para aprender o mundo ao seu redor, e que a leitura de livros é uma ferramenta eficaz para apoiar o desenvolvimento no primeiro ano de vida.

Claro, os livros que os pais devem ler para crianças de seis e nove meses provavelmente são diferentes dos para crianças de dois anos, quatro anos e assim por diante. Mas, para bebês, encontrar livros que nomeiam personagens diferentes pode levar a uma maior qualidade da experiência e em benefícios de aprendizagem e desenvolvimento cerebral.

Mais dicas

Todos os bebês são únicos, então o ideal é tentar encontrar livros que interessem seu filho, em particular. Se os personagens desses livros não forem nomeados, os pais podem simplesmente inventar nomes para eles.

É possível que os livros que incluam personagens nomeados simplesmente aumentem a quantidade de conversa entre pais e bebês, razão pela qual são melhores, uma vez que falar com bebês é importante para o seu desenvolvimento. Logo, aproveite esse momento da leitura para interagir com seu filho.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Child Development. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!