O álcool pode lhe deixar triste ou alegre; depende do seu organismo

Por , em 11.05.2011

Que tipo de bêbado você é? Alegre e totalmente sem noção, ou deprimido e carente? Acredite, faz diferença; uma nova pesquisa descobriu que os alegres têm mais chance de se tornarem alcoólatras.

Algumas pessoas fisicamente recebem um “impulso” a partir do álcool, ficando alegres e dando os famosos vexames, enquanto outras se tornam deprimidas quando bebem.

A descoberta científica reforça o que todo frequentador de bar já sabe; que alguns consumidores choram e se irritam quando ficam bêbados, enquanto outros ficam alegres e bobos.

Segundo os pesquisadores, é mais provável que aqueles que ficam “alegres” com o álcool se tornem viciados ou tenham problemas com bebida.

Embora muitas vezes descrito como calmante, o álcool na verdade contém uma mistura de estimulantes e sedativos, podendo ser um lubrificante social ou um “infortúnio”.

Anteriormente, os cientistas acreditavam que as pessoas que recebiam menos estímulos das bebidas alcoólicas bebiam mais para compensar.

Agora, o novo estudo sugere que os piores bebedores são na verdade os mais sensíveis aos efeitos eufóricos da bebida, e menos sensíveis ao seu efeito sedativo. Essas pessoas são mais atraídas pelo álcool.

Cerca de 200 indivíduos com idades entre 21 e 35 anos participaram do estudo. Eles foram divididos em dois grupos: muito bebedores ou pouco bebedores, com o grupo mais bebedor consumindo 10 a 40 drinques por semana e exagerando pelo menos uma vez (média de mais de 5 bebidas em 2 horas). Os menos bebedores tomavam 1 a 5 bebidas por semana e raramente exageravam.

Cada um recebeu uma dessas três bebidas: um placebo, uma bebida de baixo teor alcoólico ou uma bebida de alto teor alcoólico. O sabor foi adicionado artificialmente em todas as bebidas, para mascarar seu conteúdo. Nenhum dos indivíduos estava ciente de que o estudo era sobre álcool.

Em seguida, eles preencheram um inquérito descrevendo seu humor e foram examinados. Os pouco bebedores foram mais sensíveis aos efeitos globais do álcool, mas descreveram seus sentimentos como lentos ou sedados. Em contraste, os que bebiam mais relataram efeitos positivos e gratificantes.

Segundo os pesquisadores, ambos tinham curvas de concentração de álcool no sangue muito semelhantes, mas os efeitos foram bastante diferentes. Em outras palavras, as pessoas com mesmo peso podem beber a mesma quantidade de álcool e ainda assim seu cérebro pode responder de forma muito diferente a substância.

A conclusão é de que é por isso que cada pessoa fica de um jeito quando bebe. E os que ficam mais eufóricos são os que tendem a beber mais. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

11 comentários

  • Vercel Ferreira:

    eis aí, uma tentativa vã de colorir o nada do vazio.

  • kayane porto alegre RS:

    eu sou uma pessoa que se estou numa rodinha de amigos só converssando e bebendo eu fiko quieta e triste!!!mas tipo se eu tive numa balada e bebendo com amigos eu fiko muitoooo facera e lokinha das ideia e rindo sem razão!!!rsrsrsrs
    bjão

  • astoufo:

    acho que a bebida aumenta o que vc eta sentino naquele momento, se vc bebe quando ta triste sua tristeza aumenta, se bebe alegre a alegria aumenta, cmg e assim!

  • Alexandre S.:

    Quando eu bebo eu fico mais feliz que cachorro de acogueiro!!!

  • Nanda:

    se eu beber demais eu fico triste… eu medo bem moderadamente! pq eu gosto mesmo do sabor da bebida mas qndo eu começo a sentir o efeito eu paro =x

  • Carlos Barreto:

    Tudo com moderação é certo. Gosto de todos os dias, sempre após meus afazeres diários, beber em casa, minha cerjeira, acalma e faz esquecer os problemas do dia-a-dia, em especial as dos políticos canalhas.

  • Ezio Jose:

    Há dezoito anos estou abstêmio, mas já fui um exagerado bebedor considerado compulsivo e minhas bebidas preferidas sempre foram as destiladas em geral. Aprendi que o estado emocional dos bebedores é exposto com os efeitos do álcool porque este lhes tira o medo das críticas e os encorajam eliminado os limites do consciente.
    Se quisermos conhecer como é ou como pensa auqela pessoa retraída, dê-lhe uns bons drinks e logo terá o baú aberto. (rs). Isto não acontece com todos, pois cada pessoa reage de uma forma e tudo depende da cultura individual ou de convívios.
    Dois vícios, aliás, duas drogas lícitas que têm efeitos no meio social e que divide as opiniões pode-se considerar benéficas de alguma forma desde que não altere o estado de saúde gravemente. São elas o cigarro e o álcool.
    O cigarro tem efeito calmante e auxilia na condutibilidde entre os neurônios fazendo com que o usuário chegue à raciocínios lógicos mais rápido dentro daquilo que te conhecimento. Isto é devido a substância conhecida como nitrato de prata que é um dos componentes do cigarro e ajuda para isto.
    O álcool, diferentemente, apenas funciona como uma chave que abre as portas dos sentidos e do conhecimento com uma desvantagem de não usar muito o consciente já que este é o Guardião de nossa Memória.
    Imagine o álcool e o cigarro juntos. É só observar num meio de bebedores como se comportam os diversos usuários desses produtos.

  • Guilherme Euripedes:

    “Quando eu to riste eu bebo pra esquecer. Quando eu to feliz eu bebo pra comemorar. E quando eu não tenho motivos pra beber eu encho a cara de bebida até vomitar…”

    Eu mudo dependendo da quantidade de álcool…Mas acho que passo por todos os estados possíveis cada um por um tempo…rsrsrs

  • T.K:

    Muitas pessoas falam que o álcool proporciona só alegria,mas vemos que não é com todo mundo.

  • Pedro:

    Eu Fico Triste Alegre Se Nao Beber Eu Fico Triste, bebendo eu fico alegre!

  • Edison:

    Tenho alguns amigos e eu mesmo que variamos neste dois estados, sendo que as vezes fico alegre e as vezes triste

Deixe seu comentário!