O espaço é infinito?

Por , em 10.09.2013


Clique em Ativar legendas se desejar.

O espaço é grande; disso todo mundo sabe. Mas quão grande é grande? Infinito?

Não sabemos. Não podemos dizer que o universo não tem fim, mas também não podemos dizer que tem. Explicamos: podemos dar a volta ao mundo várias vezes sem encontrar uma “borda”, um “fim”, uma “parede”. Mas isso não significa que seja infinito.
O universo pode não ter bordas, e, mesmo assim, ser finito.

Matematicamente, o infinito é apenas adicionar mais um (+1) a qualquer número. Dividir dois números infinitamente também dá no mesmo. Sendo assim, segundo a matemática, mesmo que o universo tenha um fim, pode ter infinitas localidades.

O problema é que a matemática nem sempre corresponde à realidade. No mundo real, não podemos dividir espaços infinitamente, não é mesmo? Bom, podemos dividir de metros a centímetros, e depois a milímetros e assim por diante, mas chegaríamos a um limite físico.
Abaixo de 10 elevado a menos 35 metros, o princípio da incerteza toma conta dos objetos. Não há mais como dizer a sua posição, ou a diferença entre sua localidade e outra.

Levando em conta que o menor comprimento possível é 10 elevado a menos 35, o volume todo do espaço é de 10 elevado a 180 desses comprimentos. Ou seja, um 1 seguindo de 180 zeros. Levaria horas para criarmos um cubo com essa medida, e, mesmo assim, seria apenas o tamanho das menores partes do universo observável.

Quão grande o universo realmente é? O mistério continua.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 4,00 de 5)

15 comentários

  • Alberto Carvalhal Campos:

    O espaço é infinito. É onde tudo existe, inclusive o universo. O universo seria um espaço limitado dentro de um espaço infinito. Se tivesse limites, pergunto: e depois desse limite? o que teria? mais espaço, é claro. É bem simples. Não compliquem.

  • kelvyn ruydglan:

    Pessoal e seguinte eu acho que o espaço e sim infinito e o que fas torna o espaço finito na nossa percepção e a matéria, A Terra ela esta no espaço infinito mas a e composta por materia e toda materia e finita então comcequentimente todo o espaço da terra sera finito… sei la essa e a minha opinião cheia de furos

  • Francyelly Araújo de Paula:

    O Universo (ou espaço) não pode ser infinito. Se fosse, o que teria depois dele? E depois?

  • Donadan Silva:

    O nada não existe, não existe vácuo sem nada.Por isso acho que o universo é infinito, mas a matéria dentro dele é finita, só não sei se os cósmos tem alguma coisa haver com a origem da matéria mais tbm acho que os cósmos são infinitos como o universo seria.
    Estamos vivendo em três dimensões, mas podem existir outras que ainda não percebemos.

    • Marne:

      Penso que você tem razão, e a passagem de um universo para outros, podem ser os Buracos Negros, até agora não bem definidos!

  • Icaro de Souza:

    Eu não entendi:


    Σ 1 = 1
    η=1 2^η

  • Eduardo Michel Vieira Gomes:

    Afirmação 1: Matematicamente, o infinito é apenas adicionar mais um (+1) a qualquer número. Falso: 2+ 1 =3 é diferente de infinito.

    Afirmação 2: Dividir dois números infinitamente também dá no mesmo. A afirmação não diz nada. Acho que poderia ser: Dividir um número por outro número infinitas vezes dá no mesmo. O que, não é verdade em geral.

    Afirmação 3: Sendo assim, segundo a matemática, mesmo que o universo tenha um fim, pode ter infinitas localidades. Isto é verdade, mas não decorre duas afirmações anteriores, como a autora pretende.

    Espero ter ajudado.

  • Décio Luiz:

    Cosmologia – Alan Guth e Integrais Múltiplas

    A Ciência, sem generalizar, nos informa que o Universo é limitado no ‘tempo’, não no ‘espaço’. Sob o ponto de vista analítico e contando com os recursos Alan Guth (inflação cósmica) e Integrais Múltiplas sugerimos um processo de passagem ao limite que não depende da geometria.

    “Insight” – Gostaríamos que a “nossa” consideração fosse repassada a um Físico Teórico. Desde já agradecemos.

  • Paulo Rosas Moreira:

    Se o espaço é infinito, então por quê existe os quatro cantos do Mundo ? Rsrsrsrsrs……

  • Luis Mendes:

    Não sei se eu li isso ou se eu inventei.
    O universo tem fim, mas como está se expandindo o fim fica cada vez mais distante. O fim seria atá onde não existiria mais nada, só vácuo absoluto e nem mesmo um fóton. Mas se você chegasse além do ultimo átomo que existia lá você seria o fim, porque alem de você não existiria mais nada, mas se você passasse mais um pouco nada te impediria já que não existia nada lá. Eu não sei se vocês estão me entendendo, se alguem ler e não entender pode pedir que eu tento explicar melhor.
    Se alguem achar que eu estou errado não tem problema, pode falar…
    Deve existir uma barreira (que está constantemente ficando mais distante) que separa a o átomo, quark, supercorda, fóton, seja lá o que for do vácuo.
    Cara, eu não sei explicar. Se alguem entendeu e souber explicar melhor eu peço que escreva.

    • Wagner Lima:

      Entendi perfeitamente o que você quis dizer, pois é praticamente a mesma coisa que penso, com algumas palavras diferentes mas que buscam o mesmo sentido. Acredito que o universo tem um fim na área “povoada”, digamos assim, seja pelo que for (fóton, átomo, quark, ou seja, por qualquer coisa), mas que não tem fim aonde não tem nada. Acredito que além da área “povoada”, existe uma área que se pode chegar, uma área completamente vazia que espera por “hospedes”. Espero não ter sido escroto em minhas palavras rsrs.

    • Wagner Lima:

      Não sei se expliquei bem. De modo grosseiro e resumido, se alguém me perguntasse se eu acredito num limite do universo, eu perguntaria “Qual universo? O que possui matéria (seja lá o que for, como comentei anteriormente), ou o espaço além de tudo que é matéria?”. Pois pra mim existem esses dois. O primeiro é finito, e o segundo é infinito, podendo ser preenchido cada vez mais com o tempo, mas sem limites para isso.

    • Lucas Wormsbecher:

      Claro, mas não podemos esquecer da teoria do Multiverso e das 11 dimensões…
      Segundo essas teorias, nosso Universo é apenas mais um dentre inifnitos outros, comportados pelo Bulk(imensidão), que podem possuir cada um suas próprias leis… Ou que cada Universo é uma brana e que os eventuais Big Bangs ocorram devido a colisões entre elas.
      Ou seja, o “bagulho” pode ir além de apenas “Um verso” 🙂

      (Desculpe qualquer erro de interpretação das teorias)

    • Michel Conrado Diz:

      Ficou meio confuso mas acho que entendi.
      Aqui vai a minha versão.
      O Universo é constituído de tudo o que existe fisicamente, a totalidade do espaço e tempo e todas as formas de matéria e energia. O termo Universo pode ser usado em sentidos contextuais ligeiramente diferentes, denotando conceitos como o cosmo, o mundo ou natureza. (Wikipedia)

      Ou seja o Universo não é “tudo, tudo”, mas tudo que foi criado pós big bang. Logo o universo é o big bang em expansão. Mas eu acho que não existe uma “barreira” ou “fim”. Veja a luz. Ela seria uma prova para tal barreira. Se o universo tem 13,73 bilhões de anos de idade. E se expandiu mais de 40 bi de anos luz (segundo o vídeo aí) e a luz não atingiu essa “barreira” que seria o “fim”. Então ainda não tem fim e nunca terá.

      Quando você joga uma moeda num poço você espera o som da queda chegar aos seus ouvidos. Porém nada chegou até agora, num um echo do big bang, nem a luz chegou de volta avisando que tem uma barreira. Ou seja o universo seria claro ou teria algum tipo de luz em reflexo à todas as luzes emitidas no espaço.

      Se nada retornou das “paredes” que limitam o crescimento do universo e caso exista mesmo essa parede. Provavelmente demorará mais alguns bilhões para sabermos. Pensando que em 13 bi o universo cresceu 40 bi a luz do big bango já andou 13 bilhões de anos luz. E as luzes formadas por sua extensão que ultrapassa o tempo que a luz percorreu (que é muito estranho a massa correr 40 bilhões de anos luz, pois o universo só tem 13 bi e nada viaja mais rápido que a luz segundo Einstein) devem já ter ido mais longe. Eu diria 13 bi + 40 bi =53 bilhões de anos luz. Então quando a luz voltar, se no caso ela atingiu agora a barreira, será mais ou menos daqui a mais 53 bilhões de anos se não me engano.

      Será que tô equivocado?

    • André Luiz:

      Mas o vácuo é alguma coisa. Não é o NADA.

Deixe seu comentário!