O forno de micro-ondas elimina nutrientes dos alimentos: mito ou realidade?

Por , em 15.10.2013

Como todos os apetrechos modernos, o forno de micro-ondas é mal compreendido e às vezes recebe a culpa de todos os males do mundo (ou quase todos). Mas o que é de fato real e o que nasceu do medo do desconhecido?

Um dos mitos que circula é o de que o forno de micro-ondas destrói o valor nutritivo dos alimentos, como vitaminas e minerais, muito mais do que o método tradicional de cozimento. A verdade está bem longe disso: pelo contrário, os micro-ondas tendem a reter mais nutrientes nos alimentos, na maioria dos casos.

Em primeiro lugar, é preciso entender que o processo de cozimento sempre degrada parte dos nutrientes do alimento, e esta degradação depende de fatores como a quantidade de calor aplicada, a quantidade de água usada, o tempo de cozimento e de qual nutriente estamos falando.

Comparado ao processo convencional, o tempo que o alimento é submetido ao calor é bem menor no caso do micro-ondas, o que limita seu efeito destrutivo. Em outras palavras, por cozer mais rápido, o micro-ondas degrada menos nutrientes. Mas é preciso levar outros fatores em conta, como a temperatura do aparelho. Se ela ultrapassar a temperatura de ebulição, o calor acaba degradando as vitaminas, principalmente a B12 (presente na carne e no leite), para uma forma inativa.

Por outro lado, como é usada menos água no cozimento com o micro-ondas, os nutrientes hidrossolúveis (como ácido fólico e vitaminas B e C) não se perdem tanto quanto no cozimento convencional.

Por fim, um estudo publicado em 1982 aponta que as diferenças na retenção de nutrientes são mínimas entre os dois métodos. Sobram alguns casos específicos, como o brócolis, que perde 74% dos compostos fenólicos no microondas e 66% quando cozido, e o leite humano, cujos agentes anti-infecciosos perdem um tanto de sua potência quando fervidos no microondas.

Conclusão: em geral, a diferença é pequena. Enquanto existem alguns casos que favorecem o cozimento convencional, a maioria aponta para uma ligeira vantagem do uso do microondas. [io9]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

7 comentários

  • Matheus Vinicius:

    Aqueles que só querem vender esse eletrodoméstico têm muito mais poder do que qualquer um aí que queira provar que o microondas faz mal.

    • Cesar Grossmann:

      Não só isso, Matheus, mas os malvados fabricantes de microondas ainda tem o desplante de fazer testes com rigor científico para mostrar que o forno de microondas não faz mal.

      Mas isto não vai colocar juízo na cabeça de quem jura que tudo que é moderno faz mal, vai? Não.

  • HFC:

    “e o leite humano, cujos agentes anti-infecciosos perdem um tanto de sua potência quando fervidos no microondas.”
    Essa é uma informação bem pertinente! Leite para crianças, a preferência na fervura ou aquecimento é do velho amigo fogão!

    • Cesar Grossmann:

      Ou só aqueça no microondas, sem ferver.

  • gloria:

    O micro-ondas nunca foi criticado e avaliado c\ outros tipos de cozimento dos alimentos, c\ a perda de mais ou menos nutrientes dos alimentos nele preparados. O q se prova é “a quebra e bagunça das moléculas dos alimentos” Eu já bebi agua fervida em micro ondas, é muito ruim, tem gosto de agua c\ química misturada, o ovo feito no micro ondas é mais fedido e tem gosto ruim , o bolo tem gosto de crú por mais q asse ele fica duro, seco como cimento, e causa-me ânsias. A princípio eu ñ sabia porque , pesquisando achei vários textos q falam só mal dele ,então na dúvida melhor ñ usa-lo mais e ñ me arrependo de tê-lo dispensado de minha cozinha.

Deixe seu comentário!