Óculos podem ajudar a economia global

Por , em 3.06.2009

Doar óculos de sol é um modo barato de melhorar a economia global poupando bilhões de dólares perdidos todos os dias com deficiências visuais, disse a Organização Mundial de Saúde. Uma estimativa de 153 milhões de pessoas em todo o mundo têm problemas de visão causados por falta de tratamento visual, como miopia ou hipermetropia, que pode causar visão embaçada.

Os pesquisadores afirmam que óculos de sol são uma intervenção de baixo custo, calculando um total de 26 bilhões de dólares para prover testes de visão e óculos para todos que precisam, além de custos adicionais relacionados com serviços oftalmológicos.

Os pesquisadores descobriram que uma provisão global de óculos resultaria em economia considerável por caso tratado e seria uma rede que beneficiaria até a economia global.

A maioria das pessoas afetadas estão em países em desenvolvimento e cerca de 8 milhões são totalmente cegas. Estima-se que problemas reparáveis custam à economia global centenas de bilhões de dólares por ano em produção perdida. Muitos países menos desenvolvidos economicamente são carentes em infraestrutura básica para distribuição e treinamento e não têm equipamentos suficientes para provêr óculos para aqueles que precisão.

A Organização de Saúde Mundial estimou que 87% das pessoas com deficiência visual vivem em países mais pobres, sendo as pessoas mais velhas e mulheres as mais afetadas. No Pacífico Ocidental, incluindo Austrália, China, Vietnã e Filipinas, foi estimado ter o maior custo por causa de condições visuais não tratadas, que valem quase um por cento do produto doméstico da região. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Carlos Eduardo:

    É interessante perceber que tem algo faltando no raciocínio da Organização Mundial de Saúde: o ser-humano; onde está? Quer dizer que temos tecnologia suficiente para realizarmos as fantasias mais mirabolantes da alma humana, mas, quando pensamos no bem estar, na vida em sua elementaridade, temos de recorrer ao argumento monetário em primeira mão? A tecnologia deveria ser usada, a priori, para aumentar, ou ao menos garantir, a qualidade de vida das pessoas, agora, quando se fala de óculos de sol, meros óculos de sol, como necessidade epifenomenal tendo-se a prioridade na economia mundial, sinceramente,não se pode estar falando sério. Até a mais simples intervenção tecnológica para beneficiar pessoas que vivem numa condição simplesmente irrepresentável por qualquer tipo de organismo vivo deve necessariamente sair das planilhas medíocres dos donos do mundo; onde vamos parar com o monetarismo? Eu me pergunto, forjando uma pretensa escassez quando “temos”, e isso é fato, em abundância?

Deixe seu comentário!