Painéis solares instalados no espaço podem ser usados para o bem ou para o mal

Por , em 29.04.2009

Uma empresa de fornecimento de energia da Califórnia, nos EUA, está planejando lançar painéis solares gigantes no espaço. A técnica, que parece ter sido desenvolvida por um vilão do melhor estilo James Bond, tem como idéia central que os painéis reflitam a energia para a Terra.

Os painéis teriam, aproximadamente, a medida de um quilômetro quadrado. Absorveriam energia, a converteriam em ondas de radio, e mandariam o “resultado” para a Terra. É uma bela idéia, já que os painéis solares espaciais não dependeriam da boa-vontade de nuvens – mas a proposta original desses painéis era algo completamente diferente.

Satélites armados de painéis solares seriam usados para controlar o clima. Isso mesmo, o clima. A partir dessa inovação, cientistas seriam capazes de determinar se choveria em um lugar, se haveria uma tempestade ou um tornado. Eles poderiam criar um cilma perfeito para uma cidade e destruir completamente a outra.

Mas a nova versão da invenção promete ser usada apenas para retransmitir ondas de rádio que seriam transformadas em energia limpa. Os desenvolvedores esperam colocar sua idéia em prática daqui a sete anos – insistindo que não haverá mal nenhum para as pessoas. [Gizmodo]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • Daaniel Caarlos Coelho:

    Não gosto da ideia de pessoas controlando o teto sobre minha cabeça. Quem garante que isso não se usado para prejudicar pessoas?

  • Rodrigo Paim:

    Se fossem outra época….

    Mas apesar do público em geral parecer não acreditar, desde a guerra fria são feitos acordos contra uso de certos tipos de armas. Não apenas acordos de Não Proliferação de armas nucleares, mas também proibição de armas químicas, biológicas, e outras séries de compostos proibidos de serem usados em populações civis, como o Napalm. É o suficiente pra dizer que as guerras estão se “tornando mais humanas”. Duvido que algo como controle do clima não estaria sujeito a estas leis.

    Mas o controle do clima tem um potencial muito bom, imagine poder fazer chover no sertão nordestino, onde as pessoas passam sede, no Oriente Médio, onde a seca aflige milhões, ou até mesmo para apagar algum incêndio florestal, fazendo cair fortes chuvas no mesmo, facilitando o trabalho dos bombeiros.

    Responsabilidade, é o que temos de ter, apenas isso.

  • Ernani:

    Tá na hora de se criar leis internacionais para organizar essa bagunça. Como a ciência e a engenharia espacial são passiveis de erro, penso que vão encher a órbita da terra com mais lixo espacial, que por sua vez danificaram as coisas aqui embaixo. Já pensaram numa chuva de parafuso? Deve doer prá caramba

  • cimoneia:

    É o que sempre dizem ,mas acaba sendo utilizado para prejudicar um ou outro temos muitos exemplos muitos mesmo o homem é seu próprio predador………..

  • Stuv:

    Muito interessante, é uma boa ideia para se conseguir energia limpa, e como está escrito, não existem nuvem no espaço que atrapalhem a luz solar (pelo menos não nuvens de vapor d’água).

    Mesmo eu preferindo muito mais a opção de controlar o clima e dominar o mundo…

  • Cesar:

    Nos cientistas eu acredito. Agora, na boa-vontade dos militares é que eu não tenho fé alguma.

    De qualquer forma, a idéia parece-se com outra idéia para diminuir o aquecimento global. Naquela idéia, seriam colocados em órbita milhões de painéis que fariam sombra para a Terra, diminuindo a quantidade de radiação solar que a atinge diariamente. Uma extensão poderia ser, em vez de apenas absorver ou refletir esta energia para o espaço, direcioná-la para uma usina em órbita, e converter em rádio, ou então fazer funcionar um gerador de anti-matéria, por exemplo.

    O problema é que, se esta energia for usada na Terra, ela vai causar aquecimento também, ou seja, é como colocar um atraso na energia do Sol (toda forma de energia acaba sendo transformada em calor, a forma mais degradada de energia, e o fim do ciclo de uso de energia). A pergunta é: não vai isto gerar um novo aquecimento global?

Deixe seu comentário!