Para idosos, beber ajuda a afastar demência

Por , em 24.05.2011

Boa notícia para os idosos: segundo um novo estudo, pessoas com 75 anos ou mais que tomam cerca de um copo de vinho por dia se mantém mais sãs.

Idosos alemães com 75 anos ou mais, sem nenhuma demência, participaram do estudo. Eles foram analisados por 18 meses e 3 anos depois. As associações entre consumo de álcool, tipo de álcool – vinho, cerveja, bebidas alcoólicas mistas – e ocorrência de demência foram examinadas.

Dos 3.202 participantes, 217 desenvolveu algum tipo de demência. Porém, as pessoas que beberam álcool tinham 30% menos probabilidade de desenvolver demência e 40% menos probabilidade de sofrer de Alzheimer do que as abstêmias. Não foram observadas diferenças significativas de acordo com o tipo de bebida alcoólica consumida.

Os pesquisadores alertam que estão falando de consumo leve ou moderado de álcool. Não há dúvida de que o abuso de álcool a longo prazo é prejudicial para a função da memória e pode causar doenças neurodegenerativas.

As conclusões sugerem que o consumo leve a moderado de álcool está inversamente relacionado à incidência de demência entre os indivíduos com 75 anos ou mais.

Nos últimos 31 anos, a associação entre consumo moderado de álcool e função cognitiva foi investigada em 71 estudos, envolvendo 153.856 homens e mulheres de várias populações com diferentes padrões de consumo.

A maioria dos estudos mostrou uma associação entre o consumo leve a moderado de álcool, melhor função cognitiva e redução do risco de demência, incluindo demência vascular e mal de Alzheimer.

Segundo especialistas, idade não é um aviso de fragilidade. Embora não se deva começar a beber só porque atingiu a terceira idade, também não precisa parar. Os mais velhos lidam melhor com o álcool do que os jovens, e podem tirar mais benefícios de saúde de seu consumo moderado.[Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

9 comentários

  • JCarlos Dias:

    Beber se preciso for….. Ficar sóbrio, nunca.!!!!!

    Piadinha mais que infame, parei, … se não parasse, morria.!!!

  • Aldeni Costa:

    Prezados Srs,.;

    Achei esta matéria muito interessante pq meu pai tem eplepsia e cfe três psiquiatras e neurologistas ele esta com principio de alzhimer. Gostaria de saber qual a diferença ou diagnóstico correto para estas três doenças e como lidar com esta situação corretamente?

    Dese já agradeço.
    Aldeni Costa

  • Henrique Analdo Antunes de Oliveira:

    Eu estou em débito com as doses do remédio, uma semana que não tomo uma taça de vinho diário, então amanhã quero atualizar, tomarei sete taças amanhã e estarei em dia com esse importante tratamento contínuo e é porque acredito fielmente nos conselhos dados que eu canto aquela bela canção: “eu bebo sim, estou vivendoooo!! tem gente que não bebe e, está morrendo!!! eu bebo sim!!!…

  • Getúlio:

    Opa! Vou começar hoje mesmo!

  • jernei:

    Beber moderadamente! Eu faço isso há décadas e não me tornei alcoolatra. Paro na hora em que atinjo meu limite; não me sinto obrigado a beber só porque alguém está bebendo e me convida. Se perceber que a bebida me faz mal, mesmo que seja o mínimo, paro imediatamente. Mas por favor, não me ofereçam uma cachaça chamada MANGUEIRA, lá do Piauí! Se isso acontecer vou ficar “P” da vida. Aquela pinga já arruinou a vida de muita gente.

  • Ezio Jose:

    Não faço uso de bebidas alcóolicas há 20 anos, porém, não sou contra quem bebe e sabe beber. Beber até cair mesmo! Ou beber para ficar alegre, curtir momentos e etc.
    A bebida pode trazer alegrias ou tristezas, mas uma coisa que ela faz sair de cabeça são as preocupações. As preocupações são os maiores males dos ser humano.

  • lilith:

    como é bom abrir um e-mail com notícias como essa…

  • Simone:

    Não vejo a hora de me aposentar…

  • Eder:

    Quando eu bebo dizem que sou alcoolatra, ai esta, estou apenas me precavendo e olha que só tenho 29 anos =p

Deixe seu comentário!