Pegadas minúsculas são as evidências mais antigas de répteis na Terra

Por , em 2.08.2010

Um pequeno réptil galopando por um ambiente parecido com o interior, provavelmente comendo insetos alguns 318 milhões de anos atrás, deixou pegadas que hoje são as mais antigas evidências de répteis encontradas.

Pelo tamanho das faixas, os pesquisadores sugerem que o animal era do tamanho de uma lagartixa, cerca de 20 centímetros do focinho à ponta da cauda. Um dos pesquisadores descobriu os rastros por acidente quando estava subindo as falésias escarpadas ao longo da Baía de Fundy, em Nova Brunswick. Ele tropeçou em uma pedra antiga e conseguiu observar as pegadas na rocha.

As impressões mostraram que o animal tinha cinco dedos delgados em cada uma de suas “mãos”, que é uma característica dos répteis, já que anfíbios possuem quatro dedos grossos.

Ao estudar os sedimentos onde foram encontradas as impressões, os investigadores concluíram que os répteis deviam estar correndo em torno de um buraco de água ao lado. Eles imaginam que o ambiente era como no interior americano, com buracos de água em uma paisagem seca.

Quando o réptil viveu, os continentes da Terra estavam conectados no supercontinente Pangea. Sendo assim, a besta parecida com uma lagartixa viveu há cerca de 500 quilômetros do mar.

Antes destes répteis, havia animais vivendo na terra, os anfíbios, mas eles ficavam “agarrados” à borda do continente em zonas úmidas pantanosas. Os anfíbios, animais parecidos com o sapo e a rã, viviam na terra, mas tinham que retornar às lagoas, pois só se reproduziam lá. Os répteis, depois de aparecer em cena, tinham uma vantagem na medida em que punham ovos com casca dura, ou seja, podiam se reproduzir na terra. [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!