Pesquisadores criam teste que detecta câncer de 10 minutos

Por , em 15.12.2018

Pesquisadores da Universidade de Queensland (Austrália) desenvolveram um teste de 10 minutos que pode detectar a presença de células cancerígenas em qualquer parte do corpo humano.

Os cientistas descobriram que o câncer forma uma estrutura única de DNA quando colocado na água. O exame funciona identificando a presença dessa estrutura, um achado que poderia diagnosticar câncer em humanos muito antes dos métodos atuais.

Exame geral, rápido e barato

Cientistas em todo o mundo têm trabalhado em maneiras de identificar o câncer mais cedo, já que a detecção precoce é conhecida por aumentar a taxa de sucesso do tratamento e cirurgia.

Segundo um dos autores da pesquisa, Abu Sina, a descoberta é “significativa” e pode ser um “fator de mudança” para o diagnóstico do câncer.

“O câncer é uma doença complicada [e atualmente] cada tipo tem um sistema diferente de testes e triagem. Na maioria dos casos, não há testes gerais para testar seu status. As pessoas só vão [fazer check-out] se tiverem sintomas. Queremos que [exames de câncer] façam parte de um check-up regular”, disse.

Primeiros avanços

Este ano, pesquisadores da Universidade Johns Hopkins (EUA) anunciaram que desenvolveram um exame de sangue, chamado CancerSEEK, que detecta oito tipos comuns de câncer. Esse teste identifica a presença de proteínas de câncer e mutações genéticas em amostras de sangue. Porém, muito mais pesquisas precisam ser feitas antes que ele possa ser amplamente usado.

O teste de 10 minutos desenvolvido na Austrália ainda não foi testado em seres humanos, e grandes ensaios clínicos também são necessários antes que possa ser usado em pacientes em potencial.

No entanto, os primeiros experimentos foram muito promissores: testes em mais de 200 amostras de tecido e sangue detectaram células cancerígenas com 90% de precisão.

Apesar de ter sido usado apenas para detectar cânceres de mama, próstata, intestino e linfoma, os pesquisadores estão confiantes de que os resultados podem ser replicados com outros tipos da doença.

Método

O câncer altera o DNA das células saudáveis, particularmente na distribuição de moléculas conhecidas como grupos metilênicos. O teste detecta esse padrão alterado quando colocado em uma solução como a água.

“Usando um microscópio de alta resolução, vimos que fragmentos de DNA cancerosos se dobraram em estruturas tridimensionais na água. Eles eram diferentes do que víamos com DNA normal na água”, explicou a equipe.

O teste usa partículas de ouro, que se ligam ao DNA com câncer e podem afetar o comportamento molecular de uma forma que causa mudanças visíveis de cor.

Se comprovado, o método pode fornecer detecção e diagnóstico da doença em áreas rurais ou subdesenvolvidas. A tecnologia para leitura de sinais eletroquímicos está prontamente disponível e, com o auxílio de um smartphone, pode ser adaptada para rastrear o DNA afetado pelo câncer em qualquer lugar.

“A vantagem deste método é que é muito simples – é quase independente de equipamentos. Você pode fazê-lo com recursos muito baixos”, concluiu outra cientista do estudo, Laura Carrascosa.

No futuro

O próximo passo da equipe é realizar estudos clínicos sobre a detecção do câncer precoce, bem como aferir se o teste pode ser usado para avaliar a eficácia do tratamento.

Os pesquisadores também estão estudando a possibilidade de usar diferentes fluidos corporais para detectar diferentes tipos de câncer desde o início até os últimos estágios da doença.

Um artigo sobre o estudo foi publicado na revista científica Nature Communications. [CNN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (13 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!