Acha o vegetarianismo muito radical? Que tal o “flexitarianismo”?

Por , em 16.11.2018

A definição de flexitarianismo é “uma pessoa que normalmente não come carne, mas que ocasionalmente inclui carnes ou peixe”. O termo foi registrado pela primeira vez em 1998, e descreve pessoas que são “quase vegetarianas”.

Quem é flexitariano?


Os flexitarianos são aqueles que planejam refeições vegetarianas ao invés de pular o prato com carne de uma refeição convencional. Eles eliminam o consumo de carnes de forma consciente em pelo menos três dias da semana.

Já os semi-vegetarianos são pessoas que reduzem o consumo de carne, mas em dois dias ou apenas um dia da semana.

Os pesco-vegetarianos são aqueles que comem peixes e frutos do mar, mas não as outras carnes.

Ovo-lacto vegetarianos comem ovos e laticíneos, mas não comem carne de animais.

Veganos são aqueles que comem apenas alimentos que não têm origem animal. Eles estendem estes hábitos para outras áreas da vida, como vestimentas e cosméticos, que não podem ter origem animal ou ter sido testado neles.

Os Frutarianos comem apenas frutas e grãos.

Benefícios


Uma revisão de 25 estudos mostrou que há benefícios para a saúde associados a ser flexitariano. O peso fica mais controlado, assim como a pressão sanguínea. O metabolismo fica mais equilibrado e há menos risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Perda de peso


Um experimento analisou o impacto de cinco dietas diferentes colocadas em prática por seis meses. Os pesquisadores dividiram os participantes em quatro grupos: veganos, vegetarianos, semi-vegetarianos e onívoros.

Aqueles com dieta vegana perderam mais peso (7,5% do peso inicial), seguidos pelos vegetarianos 6,3%). Todos os participantes dos outros grupos perderam 3% do peso.

Menos risco de morte


Um estudo que acompanhou por cinco anos 73 mil Adventistas do Sétimo Dia, que são frequentemente vegetarianos, concluiu que qualquer tipo de vegetarianismo está associado com um menor risco de morte por todas as causas, quando comparado com não-vegetarianos. Suas chances de ter câncer eram menores do que os não-vegetarianos.

É importante lembrar que membros desta religião também não fumam e não bebem, o que tem como consequência uma melhor saúde.

O curioso é que em estudos que comparam os diferentes tipos de dietas, os pesco-vegetarianos foram os que tiveram menor risco de morte geral, seguidos pelos veganos e depois pelos ovo-lacto vegetarianos. Já os flexitarianos e semi-vegetarianos tiveram o mesmo risco que os não-vegetarianos.

Risco de câncer


Os pesquisadores observaram mais dados interessantes sobre este enorme grupo de Adventistas.

Os grupos vegetarianos têm uma menor chance de ter câncer do que os não-vegetarianos, mas as dietas diferentes trazem resultados diferentes: os ovo-lacto vegetarianos têm menos risco de câncer no sistema digestivo, enquanto os pesco-vegetarianos têm menos chance de ter câncer de intestino.

As mulheres veganas têm menor risco de câncer de mama e ginecológicos. Mesmo assim, todos os tipos de vegetarianos têm menos câncer de mama. Já quanto ao câncer de próstata, os veganos caucasianos tinham menor risco quando comparado com outros vegetarianos e não-vegetarianos.

Diabetes


Aqueles que comem mais vegetais, grãos e nozes e que bebem menos suco de frutas, bebidas açucaradas e comem menos grãos refinados, batatas, doces e derivados de animais tiveram 66% menos risco de diabetes.

Este é um lembrete de que tirar a carne do seu cardápio até pode ser bom, mas melhor ainda é cuidar da dieta como um todo, deixando os grãos refinados e doces de lado. [SBS]

Dieta para emagrecer: as 10 mais bizarras da história

4 fáceis dicas de nutrição para o bodybuilder seguir

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (17 votos, média: 4,18 de 5)

Deixe seu comentário!