Planeta de Guerra nas Estrelas: NASA descobre primeiro planeta com dois sóis

Por , em 19.09.2011

Cientistas descobriram um planeta igual ao Tatooine do filme Guerra nas Estrelas, mas é improvável que Luke Skywalker, ou qualquer outra pessoa esteja vivendo lá.

O planeta orbitando dois sóis, chamado Kepler-16b, é o primeiro mundo alienígena do tipo, encontrado recentemente pelo telescópio Kepler da NASA.

Os cientistas acreditam que ele seja um gigante gasoso frio e inabitável, como Saturno. O corpo recém-detectado está a cerca de 200 anos-luz da Terra.

Embora tenha havido sugestões de que planetas circulando estrelas duplas pudessem existir – os chamados “planetas circumbinários” -, esta é a primeira confirmação. Isso significa que, quando o dia termina em Kepler-16b, há um pôr do sol duplo.

Os dois sóis de Kepler-16b são menores do que o nosso, ou seja, 69% e 20% da massa do nosso sol, o que torna a temperatura da superfície do planeta estimada em -73 a -101 graus Celsius. Kepler-16b orbita seus dois sóis a cada 229 dias, a uma distância de 104 milhões de quilômetros, a mesma distância de Vênus.

O telescópio Kepler, lançado em 2009, é projetado para vasculhar a nossa secção da Via Láctea a procura de planetas como a Terra. Kepler encontra estrelas cuja luz é regularmente “escurecida” quando um planeta em órbita passa entre ela e o telescópio.

Neste caso, a equipe também foi capaz de observar escurecimento quando uma estrela passou em frente da outra (notando duas estrelas, dois sóis).

Os cientistas da NASA observaram queda adicional à luz em ambas as estrelas em alternância, mas horários regulares, confirmando a dupla órbita do planeta.

Os dados coletados pelo telescópio Kepler permitem medições muito precisas da massa, raio e trajetórias de todos os três corpos – as melhores estimativas de um planeta extrassolar.[BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

22 comentários

  • Oriecio Marques:

    URANIA É UM PLANETA EM QUE 3 ESTRELAS ORBITAM EN TORNO DELE.

  • karol:

    o por do sol com os dois sois deve ser lindo mais é melhor a gente ter só um mesmo ja ta de bom tamanho

  • Cléo Sertóri:

    legal

  • Kiara Shani:

    Ow, impressionante! Imaginem se aqui tivesse 2 ou mais sóis ou 2 ou mais luas? IMPRESSIONANTE!

  • joel:

    ja ouvi falar de estrelas binarias mas nao com planetas ma qual sera o distacias dos sois?acredito que um pode fazer efeito sobre o outro AE ME SIGAM @joel22k

  • willian:

    Carlos, um ser pensamente como nós, acredito que quanto menor o interesse em procurar saber sobre a própria existência, maior é a venda que foi imposta aos olhos daquele ser.

  • Leo:

    Eu gosto muito de esta informado!!!

  • Cesar:

    Se alguém aqui tiver pendores para astronomia, e um binóculo, e quiser ver esta estrela, tem um artigo da LiveScience explicando como faz para encontrar a estrela, na constelação do Cisne (Cygnus):

    http://www.livescience.com/16098-skywatching-find-tatooine-alien-solar-system-kepler-16.html

  • willian:

    Dizem que a zona habitável de um planeta está entre 150 milhões km de distância da estrela. Mas espera aí, e o tamanho da estrela, não conta?

    • Cesar:

      Willian, você deve estar falando da zona habitável da estrela. Se a estrela for semelhante ao Sol, então a zona habitável é bastante extensa, mas o centro dela é mais ou menos a 150 milhões de quilômetros. A Terra se encontra a uma distância aproximada de 149,95 milhões de quilômetros do Sol, com sua órbita variando em 5 milhões de quilômetros do periélio ao afélio. A zona habitável do Sol começa mais ou menos na órbita de Vênus, e termina um pouco antes da órbita de Marte, então temos bastante espaço para a nossa órbita…

      De qualquer forma, você está certo, o tamanho da estrela é determinante no tamanho da zona habitável dela.

  • Glauco:

    Se a maioria das estrelas são binárias ou terciárias e todas elas possuem ao menos um planeta, logo planetas com dois ou mais sóis são a coisa mais comum do Universo.

    • willian:

      Concordo com você Glauco, e logo, também, podemos afirmar que o universo é um jardim.

  • StallKross:

    Existem várias estrelas binárias conhecidas, a novidade é um planeta orbitando as duas estrelas.

    • Cesar:

      Quando Sir Isaac Newton publicou seus “Princípios Matemáticos de Filosofia Natural”, explicando a teoria gravitacional e o cálculo diferencial e integral, vários matemáticos se puseram a calcular órbitas. E surgiu o primeiro problema caótico em cálculo diferencial, o “Problema dos Três Corpos”. Se você fizer os cálculos para dois corpos, é fácil descobrir uma família de curvas que determina as possibilidades de dois corpos: parábola, hipérbole e elipse (com o círculo como um caso especial de elipse).

      Mas quando você coloca três corpos, as equações não estabilizam nunca, não há uma família de curvas, pelo menos não se os corpos tem tamanho semelhante. Lagrange, o gênio matemático, resolveu atacar o problema e chegou a uma descoberta interessante: se um dos corpos tem tamanho máximo, e os outros dois tem tamanho insignificante em relação ao primeiro, surgem cinco pontos de equilíbrio, os chamados cinco pontos lagrangeanos. O curioso é que existem pontos lagrangeanos para quaisquer dois corpos em órbita. Pegue o Sol e a Terra, por exemplo, e você vai encontrar os cinco pontos lagrangeanos. Só que tem um detalhe, tem dois pontos que são espeiciais: a 60º à frente da órbita, e a 60º após a órbita do segundo corpo, chamados de L4 e L5 (ou ponto de Lagrange 4 e 5). Nestes pontos o equilíbrio é estável, e existem grupos de asteroides nestes pontos no sistema Sol-Terra, Sol-Júpiter, Sol-Saturno, e Terra-Lua, por exemplo.

      Mas eu divago…

      O que ocorre é que o equilíbrio de um terceiro corpo em um sistema binário é algo complicado. Se as duas estrelas forem muito grandes, um terceiro corpo só vai poder orbitar as mesmas se ele estiver muito longe, a ponto de as diferenças de proximidade das estrelas não perturbarem demais a órbita do planeta. Uma possibilidade parece ser como neste caso: uma das estrelas é bem menor que a estrela principal – talvez seja esta a única possibilidade.

    • leandro:

      como isso funciona afinal, a estrela menor orbita a maior, ou como é então? elas não podem ficar paradas uma em relaçao a outra, sem um efeito centrífuga iriam se atrair até chocarem-se.

    • StallKross:

      Aproposito esse comentário era pra ser um reply ao @EltonPaes, mas não sei porquê não saiu como reply…

  • EltonPaes:

    Manos, eu vi sobre estrelas binárias a uns 4 ou 5 meses em um documentário, não sei o porque só falarem disso agora…

  • Dehokinha:

    Cara acho que essas coisas da NASA são muito mal contadas tem mt coisa estranha ainda por trás disso tudo viu?;

    • anderea:

      devo ser 1% da humanidade que acredita que nasa é uma coorporação fajuta que n tem nada pra esconder(me dem negativos! se vcs acham o mesmo!porque aposto que vcs acham que nasa esconde muito alias!acham que estão sozinhos mais estão em grupo maior!)

  • Alisson:

    No Espaço Tudo é Possível.

    • anderea:

      em todo lugar tudo é possivel…. se não existice vc n poderia imaginar….porque tudo que vc aprende é com mundo quem acredita na mais pura imaginacão n tem criatividade.

  • Glauco:

    Se a maioria das estrelas são binárias ou terciárias e todas elas possuem ao menos um planeta, logo planetas com dois ou mais sóis são a coisa mais comum do Universo.

    Mesmo nosso sistema solar é binário. Júpiter é a estrela companheira do nosso Sol.

Deixe seu comentário!