Por que Star Trek? Qual o segredo de tanto sucesso?

Por , em 4.08.2014

POR QUE STAR TREK?

No próximo sábado, dia 9 de agosto, ocorrerá aqui em Curitiba a 18.a TrekCon – Convenção de Jornada nas Estrelas. O evento pretende reunir — além de trekkers obviamente — representantes do universo nerd e geek em geral com exposição de livros de ficção científica, itens colecionáveis, concurso de cosplay, jogos de RPG, mostra de cinema, dança e teatro entre outras atrações.

Numa parceria entre a Federação dos Planetas Unidos, Fundação Cultural e a Prefeitura Municipal de Curitiba, a convenção se realizará no Memorial de Curitiba, que por si só já é uma atração à parte.

É um espaço moderno que foi concebido na ocasião das comemorações dos 300 anos de Curitiba, com o objetivo de abrigar atividades culturais múltiplas: desde seminários, palestras, oficinas, congressos, lançamentos de livros, incluindo exposições e apresentações cênicas e musicais e além de preservar e contar a história da cidade.

Constituído por três salas de exposições (Salão Paranaguá, Salão Paraná e Salão Brasil), um auditório de 144 lugares (Teatro Londrina), o Mirante do Marumbi e uma praça interna para grandes eventos (Praça do Iguaçu).

E é nesse espaço construído por metal e vidro — num contraste marcante com as centenárias construções do setor histórico — que irão se reunir os fãs e cultores desse universo multimidíatico muito bem representados por suas principais organizações, a saber: Whovians/PR – Fã-clube Dr.Who, Conselho Steam Punk – Loja Paraná, Damballah Urban Tribal Dance, Grupo de Performance Assimilação Borg, Caçadores de Espécies e o Símbolo Secreto, Crônicas dos Senhores de Castelo, Storm Swordplay, Loja Ideia Geek, Colecionáveis AF, Groovy Toy Shop, Conselho Jedi Paraná e o estande de nosso livro A Cor da Tempestade — com apoio cultural de Opus Cursos, Projeto Eureka, VBC TELECOM, Fernandes & Mendonça Som e Imagem , que aliás fará a cobertura do evento e é claro do nosso portal HypeScience.

Às vésperas de mais uma TrekCon muitos se perguntam quais seriam os fatores que transformaram Star Trek — Jornada nas Estrelas numa das séries televisivas mais cultuadas em todo o mundo? [Em uma pesquisa da revista norte americana TV GUIDE a Star Trek foi apontada como a série de TV mais cultuada de todos os tempos].

Uma colega de trabalho, que está se aproximando da ficção científica graças a minha influência nerd, fez aquela pergunta de sempre:

— Afinal por que Star Trek? O que essa série tem de tão atraente para amealhar tantos fãs em todo o mundo?

Bem, essa é uma questão um tanto complexa.

Existem muitos especialistas em psicologia, educação, comunicação, etc trabalhando nessa resposta, por essa razão vou me limitar a trazer aqui, apenas minha modesta e humilde opinião de fã — convidando a todos que façam o mesmo e postem aqui o seu parecer.

Confesso que as principais razões de eu gostar tanto de Star Trek podem ser resumidas em três aspectos:

O primeiro – O convite para vivermos uma grande aventura com contornos épicos na busca e descoberta do novo — com o foco obviamente na pesquisa e exploração espacial.

Como a própria apresentação da série anuncia:

“— (…) Para explorar novos mundos, para pesquisar novas vidas, novas civilizações. Audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve”.

E tenha certeza, meu caro leitor, que esse anseio pelo novo é que fez com que eu trilhasse profissionalmente o caminho da ciência.

Daí hoje eu escrever ficção e tentar, por meio de minhas histórias, convidar o meu leitor a viver essa mesma alegria que a carreira científica me proporciona e descobrir o fascínio pelo inusitado, pelo novo.

Segundo — O pacto ficcional muito bem realizado pelo trabalho brilhante do criador da série o produtor e roteirista norte americano Gene Roddenberry.

Tanto, que muitas “previsões” de avanços científicos e tecnológicos são feitas nos episódios de forma muito natural, tais como telefone celular, memória flash, monitores de TV com tela plana, etc.

[Por favor, fãs mais aplicados me ajudem a completar essa lista!]

Terceiro — O otimismo da visão de Roddenberry em conceber um futuro no qual a humanidade está unida por um mesmo e nobre ideal, onde as diferenças étnicas, religiosas, políticas, de gênero, etc. estão completamente sublimadas em detrimento dessa humana unidade que transcende o espaço e o tempo e se estende por todo o universo.

A miséria, a guerra, a poluição, a violência, o preconceito passam a fazer parte de um passado primitivo que o ser humano soube entender e superar.

Essa visão acalenta esperança! Um convite para vivermos um sonho que um dia poderá se realizar!

E como eu sempre digo para meus alunos: quem confiar de verdade em seu poder de realização, confiando em seus sonhos, jamais encontrará impossíveis!

Por isso eu sou muito mais fã de Star Trek que de Mad Max. A realidade já é um distopia.

Vida longa e próspera.

-o-

Flyer_MUSTAFA

[Leia meus outros artigos publicados aqui no Hypescience e comente também no FACEBOOK ]

-o-

LEIA A SINOPSE DE MEU LIVRO A COR DA TEMPESTADE feita pela escritora Núrya Ramos

[O LIVRO ENCONTRA-SE À VENDA NAS LIVRARIAS CURITIBA E SPACE CASTLE BOOKSTORE].

Ciência, ficção científica, valores morais, história e uma dose generosa de romantismo – eis a receita de sucesso de A Cor da Tempestade.

Trata-se de uma coletânea de contos do escritor e professor paranaense Mustafá Ali Kanso (premiado em 2004 com o primeiro lugar pelo conto “Propriedade Intelectual” e o sexto lugar pelo conto “A Teoria” (Singularis Verita) no II Concurso Nacional de Contos promovido pela revista Scarium).

Publicado em 2011 pela Editora Multifoco, A Cor da Tempestade já está em sua 2ª edição – tendo sido a obra mais vendida no MEGACON 2014 (encontro da comunidade nerd, geek, otaku, de ficção científica, fantasia e terror fantástico) ocorrido em 5 de julho, na cidade de Curitiba.

Entre os contos publicados nessa coletânea destacam-se: “Herdeiro dos Ventos” e “Uma carta para Guinevere” que juntamente com obras de Clarice Lispector foram, em 2010, tópicos de abordagem literária do tema “Love and its Disorders” no “4th International Congress of Fundamental Psychopathology.”

Prefaciada pelo renomado escritor e cineasta brasileiro André Carneiro, esta obra não é apenas fruto da imaginação fértil do autor, trata-se também de uma mostra do ser humano em suas várias faces; uma viagem que permeia dois mundos surreais e desconhecidos – aquele que há dentro e o que há fora de nós.

Em sua obra, Mustafá Ali Kanso contempla o leitor com uma literatura de linguagem simples e acessível a todos os públicos.

É possível sentir-se como um espectador numa sala reservada, testemunha ocular de algo maravilhoso e até mesmo uma personagem parte do enredo.

A ficção mistura-se com a realidade rotineira de modo que o improvável parece perfeitamente possível.

Ao leitor um conselho: ao abrir as páginas deste livro, esteja atento a todo e qualquer detalhe; você irá se surpreender ao descobrir o significado da cor da tempestade.

Núrya Ramos em Oráculo de Cassandra

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Dinho01:

    Concordo com tudo,TUDO que foi dito aqui.Não existe tribo mais fiel e fervorosa (que me perdoem os Whovians) dos que nós Trekkers. Que outro grupo de fãs poderia criar um projeto com “Star Trek Phase II”? Só lamento que J.J.Abrams tenha destruído o verdadeiro espírito de Star Trek em seus filmes. 🙁

    • Marcelo Ribeiro:

      Ah! Deixa de ser purista. O “verdadeiro espírito” a que você se refere atualmente não daria dinheiro nenhum e a franquia cairia na poeira novamente como um fracasso de bilheteria como o último filme da Nova Geração.

    • Dinho01:

      E desde quando sucesso de bilheteria implica necessariamente em qualidade.Fosse assim Crepúsculo… É muito fácil pegar uma obra consagrada como Star Trek fazer um “reboot” estilo história em quadrinhos inventando uma viagem no tempo e destruindo toda a mitologia de um universo criado por outro autor.Isso chama-se preguiça e falta de respeito.Tenho certeza que existem milhares de fanfics que dariam ótimos roteiros para um filme.

    • Marcelo Ribeiro:

      sheldon data

      Tirou as palavras da boca do Sheldon, pequeno trekkie padawan.

  • Renan Altair Nardi:

    Penso que é principalmente a ânsia que temos de nos libertar das amarras planetárias e partir adiante para descobrir e aprender sobre o que há além da gravidade terrestre. Embora elogiável, não me parece que o sentimento de igualdade e fraternidade humanos esteja no topo da lista de motivos.

  • Afonso Do Carmo:

    Penso que é porque o homem sabe, intuitivamente, que a sua existência na Terra terá um fim, uma extinção, como aconteceu com muitas outras espécies. Por isso ele sonha encontrar outro planeta onde possa se estabelecer e se perpetuar .
    Tudo que vem ou parece vir de encontro a este sonho o atrai como uma possibilidade de escapar da sua limitação vital neste planeta minúsculo, nesta fina e frágil película de vida chamada de Biosfera, onde estamos confinados.

  • Genioso Irreligioso:

    “Por que Star Trek? Qual o segredo de tanto sucesso? ”

    No episódio de Jornada Nas Estrelas “O demônio na escuridão”; o Cap. Kirk falava em “cooperação mútua e convivência pacífica” com o “demônio” em questão; a criatura Horta; que de demônio não tinha nada e não passava de uma mãe defendendo sua prole! Pra mim; o segredo do sucesso de Jornada nas Estrelas tá bem aí! 🙂

    Vida Longa & Próspera!
    \\//_

  • Marcelo Ribeiro:

    O mais curioso é que a primeira diretiva é algo relevante até hoje aqui na Terra. Ainda estamos descobrindo tribos isoladas e os matando. Entramos em contato e elas nunca mais se tornam as mesmas, para o bem ou para o mal (geralmente mal).

  • Marcelo Ribeiro:

    amealhar
    3 Derivação: sentido figurado.
    acumular, juntar, enriquecer a existência com
    Ex.: durante a vida amealhou muita experiência e sabedoria

    O Mustafá deveria pedir comissão para o Houaiss. Ele sempre me faz consultar o dicionário.

  • arturfreddy:

    Os episódios de Star Trek, além de explorarem os avanços tecnológicos que permitem as façanhas da tripulação em sua jornada pelo desconhecido, também exploram com muita competência diversas situações não atreladas a uma época/local específico entre raças e culturas diferentes, abrindo espaço para criar uma infinidade de situações curiosas e causadoras de reflexão, euforia e inspiração em seus episódios.

Deixe seu comentário!