Preservar a natureza torna animais menores, caça e pesca também

Por , em 13.01.2009

Estudos realizados pela Universidade da California, nos Estados Unidos, apresentaram resultados alarmantes acerca das consequências da pesca e da caça predatórias realizadas pelos seres humanos.

O estudo foi feito com base em análise das mudanças de tamanho corporal e idade reprodutiva de várias espécies, entre carneiros, peixes e plantas.

No caso do bacalhau do Atlântico, foi identificada uma redução de 20% no tamanho do animal e um adiantamento de 25% na idade da primeira reprodução. Segundo o autor principal dos estudos, o Dr. Chris Darimont, essa mudança representa uma aceleração de até três vezes no processo evolutivo da espécie. Isso se deve graças à tendência dos humanos de caçarem (ou pescarem) sempre os animais maiores e na idade adulta.

Esse processo também se repete no caso da planta Panax quinquefolius (ginseng americano) e do carneiro montanhês. As características dos animais menores vêm sendo passadas de geração para geração com mais segurança, já que apenas os maiores são caçados.

A própria regulamentação de caça de algumas regiões está reforçando este processo. No Canadá, por exemplo, há um tamanho mínimo do chifre do carneiro que pode ser caçado.

Esses estudos podem, a partir de agora, mudar a visão dos ecologistas, alterando os rumos das lutas pela preservação da natureza. Afinal de contas, nunca havia sido feito um estudo nesse sentido e com essas conclusões. [Reuters, Telegraph, NY Times]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,67 de 5)

3 comentários

  • Cesar:

    O título é infeliz. O que ocorre é que a caça predatória está tornando os rebanhos e cardumes compostos principalmente por indivíduos que estão fora dos padrões para serem caçados ou pescados.

    Já havia visto uma matéria semelhante sobre o atum do pacífico. Ele também só pode ser pescado após atingir um determinado tamanho. O resultado é que os animais menores conseguem reproduzir e passar adiante seu código genético. Em outras palavras, os animais menores tem mais crias que os maiores…

    Talvez seja o caso de rever os métodos para obter as proteínas de origem animal. Veja o caso dos animais criados em confinamento: cada vez maiores. Por que a seleção é feita por nós, segundo nossos interesses. No caso dos animais caçados no meio ambiente, nós também estamos fazendo uma seleção, mas ela está indo contra nossos interesses.

  • Guilherme:

    não está meio tendencioso o título da matéria não?

    “Preservar a natureza torna animais menores, caça e pesca também”

    não entendi o porque do preservar, já que o que é dito na matéria, as pessoas caçam mais animais maiores, então os menores sobrevivem.. e caçar animais maiores, na minha opinião não é de todo preservar a natureza..
    também é, pois você está preservando os filhotes e os menores.. mas você muda a ‘seleção natural’ e, num futuro, quando nós não estivermos mais aqui, os animais menores vão ser extintos mais rapidamente pelos predadores..
    e isso não é preservar a natureza.. preservar a natureza não é pensar no que vai acontecer na próxima semana ou no mês que vem, mas sim pensar no que será daqui a 200 ou mil anos.

  • André:

    E, pensando bem, na Natureza são exatamente os menores e mais fracos a primeira vítima… Estamos realmente subvertendo o processo de seleção…

Deixe seu comentário!