,

Primeira pesquisa mundial sobre religião e ciência tem resultados surpreendentes

Por , em 6.12.2015

Será que todos os cientistas são ateus? Eles acreditam que religião e ciência podem coexistir? Ou acham que as duas coisas são conflitantes?

Enquanto existem muitas assunções e sensos comuns sobre o tema, uma nova pesquisa resolveu tirar esse assunto a limpo, e seus resultados foram surpreendentes.

O método para estudar religião e ciência

Esse foi o primeiro estudo mundial – e o maior – sobre como os cientistas veem a religião, conduzido pela Universidade Rice, dos Estados Unidos.

Os pesquisadores recolheram informações de 9.422 entrevistados em oito regiões do mundo: França, Hong Kong, Índia, Itália, Taiwan, Turquia, Reino Unido e EUA. Eles também viajaram a estas regiões para realizar entrevistas em profundidade com 609 cientistas.

Ao entrevistar cientistas em várias fases da carreira, nas aéreas de biologia e física, em instituições de elite e não de elite, os pesquisadores esperavam ter uma visão representante dos cientistas sobre religião, ética e como ambas se cruzam com seu trabalho científico.

Os resultados desafiam os pressupostos de longa data sobre a dupla ciência-fé. Enquanto é comumente assumido que a maioria dos cientistas são ateus, a perspectiva global do estudo mostra que esse simplesmente não é o caso.

Descobertas

“Mais da metade dos cientistas na Índia, Itália, Taiwan e Turquia se identificaram como religiosos”, disse a principal autora do estudo, Elaine Howard Ecklund, diretora do Programa de Religião e Vida Pública da Universidade Rice. “E é impressionante que existem aproximadamente o dobro de ‘ateus convictos’ na população geral de Hong Kong (55%), por exemplo, em comparação com a comunidade científica nesta região (26%)”.

Os pesquisadores descobriram que os cientistas geralmente são menos religiosos do que uma dada população em geral. No entanto, houve exceções: 39% dos cientistas em Hong Kong se identificam como religiosos em comparação com 20% da população geral de Hong Kong. Além disso, 54% dos cientistas em Taiwan se identificam como religiosos em comparação com 44% da população geral de Taiwan.

Quando perguntados sobre os conflitos entre religião e ciência, apenas uma minoria dos cientistas em cada contexto regional disse acreditar que ciência e religião estejam em conflito.

No Reino Unido – um dos países mais seculares do estudo -, apenas 32% dos cientistas caracterizaram a intersecção entre ciência e fé como conflituosa. Nos EUA, este número foi de apenas 29%.

Por fim, 25% dos cientistas de Hong Kong, 27% dos cientistas da Índia e 23% dos cientistas de Taiwan acreditam que ciência e religião podem coexistir e ser usadas para ajudar uma a outra.

Nuances

Além dos resultados quantitativos do estudo, os pesquisadores descobriram nuances nas respostas dos cientistas durante as entrevistas em profundidade.

Por exemplo, numerosos cientistas expressaram que a religião pode fornecer uma “base” em áreas eticamente cinzentas. “Religião fornece uma base naquelas ocasiões em que você pode ficar tentado a tomar um atalho porque deseja ter algo publicado e pensa: ‘Oh, essa experiência não foi boa o suficiente, mas se eu retratá-la desta forma, vai parecer que sim’”, exemplifica um professor de biologia do Reino Unido.

Outro cientista disse que o ateísmo tem vertentes, algumas das quais incluem tradições religiosas. “Eu não tenho nenhum problema de ir à missa, é uma coisa cultural”, disse um físico do Reino Unido que por vezes frequenta a igreja porque sua filha canta no coral. “Não tenho fé religiosa, mas não me preocupa que a religião ainda exista”.

Finalmente, muitos cientistas mencionaram que convivem com visões religiosas de colegas ou alunos. “Questões religiosas são muito comuns aqui, todo mundo fala que templo frequenta, a qual igreja costuma ir. Portanto, não é realmente um problema que precisa ser escondido”, disse um professor de biologia de Taiwan.

Aplicações

Ecklund disse que o estudo tem muitas implicações importantes que podem ser aplicadas a processos de contratação de universidades, na estruturação de salas de aula e laboratórios e em políticas públicas gerais.

“A ciência é um empreendimento global”, afirma a pesquisadora. “E enquanto a ciência for global, então temos de reconhecer que as fronteiras entre ciência e religião são mais permeáveis do que a maioria das pessoas pensa”. [Phys]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 5,00 de 5)

31 comentários

  • Lucas Praxedes Praxedes:

    mais Cesar Grossman richard dawins reconheceu que o ensino religioso as crianças é fundamental para eles aprenderem historia e cultura .

    • Cesar Grossmann:

      O ensino religioso ou a leitura bíblica e a história da religião?

    • Lucas Praxedes Praxedes:

      acho que a historia da religiao crista eu vi do artigo da ciencia do criacionismo acessa esse site e pesquisa que vai ver richard darwis

    • Lucas Praxedes Praxedes:

      e historia da religiao como do cristianismo como berço a europa revolucionou o mundo como da ciencia como o genio issac newton e galileu

    • Lucas Praxedes Praxedes:

      e tambem o ensino religioso para as crianças entenderem as obras de shaskespe que sao de base crista e as cruzadas da europa disse richard

  • Erick Barros:

    Alguém encontrou o artigo que serve de inspiração pra essa matéria?

  • Josenias Silva Ribeiro:

    Quando iremos acabar com essa discussão boba? Vamos parar de desrespeitar o que os outros acreditam, isso só leva a discussões. Por favor.

    • Cesar Grossmann:

      Seria um assunto sem consequências se os religiosos não quisessem impor a visão de mundo deles sobre os crentes de outras religiões e os descrentes.

    • Edclip:

      Sr. Cesar Grossmann, seu comentário é perfeito! O livre arbítrio, citado pela grande maioria, complementaria seu raciocínio de forma lógica.

  • Darley Vieira Lages:

    O Hubble não foi o autor da teoria do Big Bang. Ela nasceu em 1927, no Vaticano. O autor foi um padre (nome?). O universo é eterno.

    • Cesar Grossmann:

      O padre belga Lemaître. Hubble encontrou a comprovação da expansão do Universo. E o Universo não é eterno.

  • Vagner De Souza:

    vou ser curto e direto, com diploma ou sem diploma quem acredita na existencia de um deus não passa de um idiota, obrigado!

    • Vinicius Lima:

      Fala isso pro Isaac Newton.

    • Cesar Grossmann:

      O cara que foi astrólogo e seguidor de alquimia e outros ocultismos?

  • Muryllo Delg:

    ao ir ao zoológico eu fico pensando esse macaco não evoluiu e sempre faço uma pergunta p mim mesmo o por que que essa “evolução” parou?

    • Cesar Grossmann:

      O que prova que você realmente não entendeu a evolução. Macaco não parou de evoluir, o macaco é o estágio atual da evolução do macaco. A evolução não avança em direção de transformar macacos em seres humanos, a evolução não tem um destino ou um objetivo, exceto que quem não está adaptado, é extinto.

      Apesar de ter sido repetido inúmeras vezes, você ainda não entendeu que o homem não veio destes macacos que você encontra no zoológico. Será que adianta explicar?

  • Muryllo Delg:

    a ciência explica a razão sem sentido peguntas gerando outras perguntas se alguém forme contradizer que tenham argumentos satisfatório

    • Cesar Grossmann:

      Você quer que seres humanos limitados venham com a verdade definitiva, quando não faz mais que 100 anos que descobrimos o fato do Big Bang? A ciência se baseia em fatos, mas ela está sempre revisando suas posições de acordo com a descoberta de novos fatos. É o tipo da atividade INTELIGENTE, diferente de certas linhas de pensamento que declararam falsamente e arrogantemente serem a verdade definitiva mais de mil anos atrás, e não mudam nunca…

  • Joelson Lima:

    E a turma que adora deuses imaginários fazem a festa.Fiquem esperando sentados seus deuses fazerem algo de útil pela humanidade.

  • Crazyseawolf:

    A Religião se baseia na fé. A Ciência se baseia na razão. Logo não dá para se conviver juntas.

  • Dinho01:

    Tai a prova que ser ateu não te faz necessariamente um erudito e nem ser religioso,te transforma em um pensador limitado.

    • Cesar Grossmann:

      Mas para afirmar que o mundo tem entre 6.000 e 10.000 anos, ou que a evolução e o Big Bang são mentiras, tem que ser religioso.

    • Fernando Monteiro:

      Concordo, Dinho 01 quando ateu e religioso não ´pesquisam sua “crença” tornando-se, sim, limitados, pessoas comuns, sem erudição…

    • Joelson Lima:

      Realmente.Se você acredita em coisas como hinduísmo e cristianismo, sua mente pode aceitar tudo.

    • Crazyseawolf:

      Se você encontrar a razão na religião, rasgo o meu diploma de Física!

    • Muryllo Delg:

      você se garante pelo carbono 14 ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Cesar Grossmann:

      É mais garantido que qualquer livro sagrado. Aliás, nem dá para comparar, livros sagrados foram escritos por pessoas que achavam que a versão dos fatos eram os fatos, e que explicações mágicas eram explicações aceitáveis.

  • jefersonsilva:

    Talvez já tenha passado da hora de acabar com este conflito enfadonho e bobo.

    • Cesar Grossmann:

      Já teria acabado, não fosse a insistência dos fundamentalistas. São eles que querem forçar ensino religioso em aulas de ciência…

    • Joelson Lima:

      Usando a Biblia como referência, não se pode servir a dois senhores. Ou se aceita a realidade ou se aceita as fantasias que criamos

    • Marcelo Muniz:

      A religiosidade, assim como a mística, são fenômenos da cultura humana. Estuda-las é vital para se compreender sociedades e comportamentos.

Deixe seu comentário!