Primeiro paciente HIV-positivo curado

Por , em 19.12.2010

Médicos alemães declararam que, pela primeira vez, a cura da infecção por HIV foi alcançada em um paciente.

A pesquisa começou em 2007. Os médicos realizaram um transplante de células-tronco em um homem infectado pelo HIV com leucemia. Agora, eles acreditam que o homem foi curado da infecção pelo HIV, como resultado do tratamento que introduziu as células-tronco resistentes à infecção por HIV.

O paciente era soropositivo e tinha desenvolvido uma leucemia mielóide aguda. Ele já havia recebido um tratamento bem sucedido para a leucemia e, posteriormente, teve uma recaída em 2007, o que exigiu um transplante de células-tronco.

O homem recebeu uma medula óssea de um doador que tinha resistência natural à infecção por HIV; isso acontece devido ao perfil genético de algumas pessoas, nas quais falta o co-receptor CCR5. A variedade mais comum de HIV usa o CCR5 como uma “estação de entrada”, deixando o vírus entrar e infectar as células do paciente. As pessoas que tem essa mutação específica, e não tem o CCR5, são quase completamente protegidas contra a doença.

Essa mutação está presente em menos de 1% da população branca na Europa setentrional e ocidental, e está associada com uma redução do risco de se infectar com o HIV. Ou seja, os médicos escolheram as células-tronco de um indivíduo que tinha um perfil genético incomum: uma mutação herdada de ambos os pais, que resultou em células CD4 – células nas quais faltavam o receptor CCR5.

Antes do transplante de células-tronco, o paciente recebeu tratamento de quimioterapia que destruiu a maioria das células imunológicas, e também recebeu medicamentos imunossupressores para evitar a rejeição das células-tronco. As terapias foram interrompidas no dia do transplante.

O paciente continuou a receber tratamento imunossupressor para prevenir a rejeição por 38 meses. Aos 5, 24 e 29 meses ele recebeu biópsias. Amostras adicionais foram tomadas para checar sinais de infecção por HIV nas células imunes da parede do intestino.

Durante o período de 38 meses de acompanhamento, as células CD4 doadas repovoaram o sistema imune da mucosa do intestino do paciente, a tal ponto que a frequência de células CD4 era quase o dobro do que em pacientes HIV-negativos saudáveis (do grupo de controle). Esse fenômeno também foi observado em um grupo controle de dez indivíduos HIV-negativos que receberam transplantes de células-tronco.

O repovoamento de células CD4 mutantes foi acompanhado pelo desaparecimento das antigas células CD4. Depois de dois anos, o paciente tinha a contagem de células CD4 de um adulto saudável da mesma idade.

Um dos desafios para qualquer cura da infecção pelo HIV são as células do sistema imunológico, que duram muito, e precisam ser removidas antes que um paciente possa ser curado. No caso do paciente de Berlim, a quimioterapia pareceu ter destruído as células de vida mais longa, e que tinham sido substituídas por células do doador.

O paciente não retomou a terapia anti-retroviral após o transplante. No entanto, o HIV permaneceu indetectável pelos dois testes de carga viral (RNA) e os testes de DNA viral dentro das células. Os níveis de anticorpos contra o HIV diminuíram a tal ponto que o paciente não tinha anticorpos reativos ao núcleo do HIV, apenas níveis muito baixos de anticorpos contra proteínas do HIV.

Dezessete meses após o transplante, o paciente desenvolveu uma condição neurológica, o que exigiu uma biópsia do cérebro. O HIV também foi indetectável no cérebro.

Uma indicação adicional de que o HIV não está presente no paciente reside no fato de que as células CD4 do paciente são vulneráveis à infecção com o vírus que atinge o receptor CXCR4 (a única forma que os pacientes com mutação onde está ausente o CCR5 podem pegar). Se algum vírus com esta preferência ainda estivesse presente, infectaria rapidamente a grande população de células CD4.

O paciente, além do HIV, teve um tratamento para a leucemia cansativo e demorado, com recaídas. Seu problema neurológico o levou à cegueira temporária e problemas de memória. Ele ainda está em fase de fisioterapia para restaurar a sua coordenação, bem como terapia fonoaudiológica.

Se a cura realmente foi alcançada neste paciente, aponta o caminho para as tentativas de desenvolver uma cura para a infecção por HIV através de células-tronco geneticamente modificadas.

Segundo os pesquisadores, as conclusões apontam para a importância de suprimir a produção de células CCR5, quer através de transplantes ou terapia gênica. Eles discutem como poderiam coordenar os esforços para identificar doadores CCR5-delta32 homozigotos, e ampliar a oferta de células-tronco desses doadores.

Por exemplo, através de amostra de células do sangue do cordão umbilical de bebês nascidos de mães que são homozigotos para CCR5-delta32, a fim de, eventualmente, facilitar a terapia com células-tronco.

Porém, as técnicas de terapia genética, que podem transformar as células-tronco e todos os seus descendentes em células resistentes à entrada do HIV, pode ser uma opção mais prática do que procurar doadores.

Muitos grupos de pesquisa receberam financiamento para explorar as técnicas de engenharia e de introdução de células-tronco sem CCR5. Se essas abordagens tiverem sucesso, serão terapias caras, por isso nos primeiros estágios é provável que a cura seja reservada para pessoas sem opções de tratamento, ou com câncer de medula óssea, ou que exijam transferência de células-tronco. [Aidsmap]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

30 comentários

  • osvaldo:

    obrigado, pelas pesquisas. Mas daque a 18 ou 19 anos, morerao muitos com esta maldita doenca!

  • esperança:

    até 2020,..milhares de pessoas como eu podem perder uma vida ,..uma familia ,..por pessoas egoístas ,..q escondem a verdade da humanidade,deixam-nos viver em um mundo de fantasia ,..onde o sonho é pesadelo ,..e fechar os olhos talvez seja msm o paraíso ..Dr.Sobrevida,.. acredito q DEUS tocou seu coração qnd se dispos a escrever tais conhecimentos ,..q para mim q seja um apenas ,..foi suficiente para exergar com clareza ,..q até no ultimo segundo ainda temos ESPERANÇA.

  • gisele medeiros de souza leão:

    Essa notícia é maravilhosa! Eu acredito nas pesquisas e admiro e aposto nos profissionais desse campo. Fiquei sabendo dessa noticia através de uma pessoa amada que está prestes a fazer uma intervenção pra curar uma doença, através do implante de uma proteína e células troncos que poderão ser a solução do seu problema. Tenho muita fé que tudo vai dar certo.

  • Daiana:

    ate gostei mas não acredito nesta cura, não que eu não confio em deus ou não acredite em milagres ms realmente e quase impossivel ser verdade.

  • Vivianne:

    Gostei realmente um pesquisa interessante !Se tudo der certo possivelmente no futuro teremos a cura para o HIV…

  • Geraldo:

    Igreja só serve pra tomar o 10% e nada mais

  • Dr. Sobrevida:

    Já existe um medicamento que inibe o CCR5 dos linfócitos T CD4+. Seu nome é maraviroc. Ele é usado para o tratamento de portadores de HIV multifalhados que tem como porta de entrada o CCR5. Ele não cura, porém não permite que a maioria dos vírus penetrem nas células. Ou seja, a carga viral tende a se tornar indetectável.

    Para os portadores em que o HIV usa a outra porta de entrada, o CXCR4, o medicamento acima é inócuo. Já está em fase III um medicamento em que inibe o CXCR4 e terá ação similar ao maraviroc.

    A cura, baseada nessa concepção, só se dará por terapia gênica, já que através de células-trocos modificadas (seriam “extirpadas” essas duas portas de entrada) os linfócitos seriam resistentes ao hiv. Na verdade, a pessoa continuaria soropositiva, porém o vírus ficariam restritos aos reservatórios (em estado latente) Assim como todos os outros vírus em que tivemos contato. Sendo assim, o HIV tornaria-se uma doença sem importância, similar ao sarampo ou catapora.

    Existe várias pesquisas baseadas na terapia gênica e, ao contrário do que muitos falam, ela não está em estágio embrionário. Provavelmente até 2020 a cura da aids já estará disponível.

  • Rodrigo:

    Pq não criam um medicamento que destrua os receptores CXCR4 e CCR5.

  • Ester Santurion:

    Os doadores resistentes que se cuidem, acidentes acontecem.

  • Dr. Amigo:

    E ainda temos que enfrentar a polémica que a igreja cria para não usarem céluas tronco para tratar ceres vivos!

  • miqueias charles:

    Graças a Deus,vai livrar pessoas do sofrimento….Parabéns aos cientistas,tomara que seja verdade…

  • Mavro:

    ÓLEO DE COCO VIRGEM (todos podem tomar)

    SÃO 14 EXCEPCIONAIS BENEFÍCIOS PARA A MÁQUINA HUMANA
    …..

    => Beneficio 11 – Estudos mostram que o óleo de coco é um forte inimigo do HIV.

    …..
    O Dr. Conrado Dayrit, Presidente da Academia Nacional de Ciências e Tecnologia e membro do Conselho do PCRDF- Philippine Coconut Research & Development Foundation — afirmou que o HIV, está envolvido por uma membrana gordurosa que a monolaurina pode penetrar e mutilar rapidamente após ingerido.
    FONTE: http://www.sida-luz-positiva.org
    …..
    Relatório completo:
    http://sites.google.com/site/welsonlemos/home/oleo-de-coco

  • Kerensky:

    Um viva para a ciência. Se por um lado mentem e suprimem informações, por outro, importantes avanços em prol da humanidade são feitos.

  • Dr. Sobrevida:

    O que move a humanidade é o dinheiro. Graças a isso muitos pesquisadores se vendem.

    O maior responsável por tudo isso são os EUA. A burocracia e onerosidade para aprovação de um medicamento são de tais proporções que pessoas honestas (laboratórios e pesquisadores) são compelidos a venderem os direitos de medicamentos promissores em fases I (clínica) ou início da IIa a big pharmas corruptas e assassinas. Estas, simplesmente, arquivam as possiveis curas em cofres superseguros.

    A AIDS virou uma indústria. Assim como o narcotráfico, a indústria bélica, indústria tabagista…tb são industrias da morte. É muito mais lucrativo que as pessoas se infectem e consumam ARV`s do que o indíviduo curado. Assim como guerras, conflitos e vícios alimentam as outras indústrias.

    A União Européia, representando grandes farmacêuticas, está lutando contra a India por vender ARV`s genéricos. Preferem que os pobres com HIV/AIDS morram a abrir mão de suas patentes.

    Uma vida vale menos do que um comprimido, um cigarro, uma bala… É esse o mundo em que vivemos.

    O médico alemão conseguiu uma façanha que, felizmente, foi divulgada. Poderia ter sido melhor explorada pela mídia, mas o seu desinteresse revela interesses escusos.

    A cura já existe! Isso é fato!

    O método do médico alemão é bastante complexo para ser feito com terapia gênica e, infelizmente, demorará de 15 a 20 anos. Outros métodos que já existem, mas estão guardado a 7 chaves poderiam ser usados nesse intervalo de tempo.

    Existem pessoas boas e estas são a maioria, porém os governos e grandes corporações são representados por criaturas da pior espécie. São seres mais insignificantes do que o HIV. Como eles são a classe dirigente o mundo vira essa droga que está.

    • vavá:

      Que um conselho Dr.sobrevida faça como eu vou fazer o supletivo para concluir o ensino medio e estudar bastante acho que peguei a 6 meses, doei sangue deu negativo mas como dizem que não detecta e a última relaçâo foi a 7 meses pela lei dos medicos não estou mas e a crise de garganta que já faz 4 meses e tomei 3 azitromissina, 2 penicilina e até 2 azitromicina de uma vez, não passou isso não é normal srá que quero mesmo descobrir mim pergunto, mesmo assim sempre gostei de noticias desde 2002, vou estudar bastante e mim formar,estagiar em algum laborátorio e depois ajudar a todos vocês e isso que temos que fazer a união faz a força.

  • Squish:

    Creio que a noticia nao seja velha. É a confirmação da suspeita de cura ocorrida a dois anos atras. A materia cita um acompanhamento de 38 meses dos possiveis resultados. Ou seja, realizaram o procedimento e deixaram o individuo em observaçao até poderem dizer que de fato funcionou.

    Fico surpreso com a falta de fé que as pessoas tem nos pesquisadores, por conta de uma paranóia ridicula. No meio cientifico ocorre muita divergencia e discussao. Nao existe uma ordem ou opiniao centralizada de controle populacional de ou plano de dominaçao de qualquer tipo.

  • ni:

    É um alivio tão grande finalmente ficar sabendo dessa noticia! Já tava mais do que na hora!!

  • Maria:

    Toda doença tem cura, só que os médicos e cietistas não tentam descobrir.

  • Marcos Vinícius:

    Acredito que daqui uns 5 anos haverá uma cura já testada e disponível.

  • flavio ciência:

    eu acho que se fosse lucrativo para determinadas pessoas ja teriam descoberto a cura.

  • Túlio:

    Como disse nosso amigo Doronis que foi negativado, “Estão atrasados… faz uns 6 meses que li essa notícia.” Na verdade esses 6 meses são 2 anos… Ela foi veiculada aqui mesmo, em 12/11/2008 como pode ser visto aqui:
    https://hypescience.com/cura-da-aids-transplante-medula-ossea/

  • Geison:

    Otima noticia, alias deveria ser a noticia do ano, mas a midia nao divulgou, pq?

    O virus HIV é um Ctrl de população, acho que eles não querem achar a cura, tomara que nao caia no esquecimento das pessoas de bem

  • Alexandre Bráulio Roldan:

    Que noticia maravilhoso e ainda existem pessoas contra a pesquisa com celulas tronco e clonagem terapeutica

  • Valéria Lima:

    Acredito na força de Deus e na integridade e inteligencia dos homens que tem foco e objetivo de mudança real.Não se pode descredibilizar e generalizar a intenção dos seres humanos só por que existem pessoas de má fé.No mundo em que vivemos atualmente,temos que acreditar e pensar positivoTudo que for em prol em melhoria e bem estar da nação é válido.

  • criancinha:

    Ainda não nasceu a praga que é capaz de subestimar a inteligência humana…

  • Pedro Pires:

    desconfio que muitas associaçoes que lutam por uma cura de HIV nao vao apoiar. Pois como sobreviveriam sem os apoios? Ha mt gente que lucra com a “não cura” das doenças…

  • Manuel Bravo:

    Obrigado pela divulgação desta importante notícia
    porque pela importância que ela tem, quanto mais
    vezes ela for divulgada, mais pessoas terão acesso
    ao conhecimento desta importante descoberta.

  • T@ti!!!!!!!!!:

    Muito bom saber disso.Com tanta coisa ruim acontecendo mundo afora,pelo menos uma notícia boa.Isso traz esperança à muitos doentes e suas respectivas famílias.

  • Leonardo:

    Mas eu ainda não tinha lido.
    Muito legal saber..

  • Doronis:

    Estão atrasados… faz uns 6 meses que li essa notícia.

Deixe seu comentário!