Procura-se barriga de aluguel para bebê Neandertal

Por , em 21.01.2013

Geralmente vistos como uma espécie primitiva e bruta, o geneticista George Church, professor da Faculdade de Medicina de Harvard (EUA), os vê na verdade como seres muito inteligentes e acredita que poderia os trazer de volta à vida – só precisa de uma “mulher aventureira” e disposta a dar à luz a um Neandertal [Atualização: em entrevista por telefone à Associated Press, Church teria afirmado que ainda não tem projetos, nem planos para fazer isso].

Church, 58 anos, um dos mais importantes cientistas do campo da genética no mundo, disse ao jornal alemão Der Spiegel que está buscando uma voluntária para ajudar a trazer o parente mais próximo dos humanos, extinto a 33.000 anos atrás, de volta à vida. O processo não seria legal em muitos países, já que envolve o uso de DNA extraído de fósseis e clonagem.

O processo

Segundo Church, a técnica envolveria a criação artificial de DNA a partir de material fossilizado, e a introdução deste DNA em células-tronco humanas.

“Eu já consegui extrair DNA suficiente de ossos fósseis para reconstruir o DNA desta espécie extinta. Agora, eu preciso de uma mulher aventureira”, disse.

O professor afirma que poderia introduzir partes do genoma Neandertal a células-tronco humanas, e cloná-las para criar um feto, implantando então o embrião humano em fases iniciais da vida em uma mulher.

As células-tronco, ou estaminais, devem dirigir o desenvolvimento do embrião híbrido em linhas Neandertais, ao invés de humanas.

Church ajudou a iniciar o Projeto Genoma Humano no qual o DNA humano foi mapeado, e é muito respeitado em seu campo. Ele diz que, se clonamos animais, por que não podemos clonar humanos?

Seus comentários, no entanto, tem tudo pra provocar polêmica, não só na área de genética, mas na população em geral.

O principal argumento contra sua proposta é que, nem sempre porque somos capazes de fazer algo, deveríamos fazê-lo. Há quem acredite que o ressurgimento de outra espécie humana poderia criar uma concorrência que levaria à nossa extinção. É isso que alguns pensam que ocorreu no passado: nosso surgimento levou os Neandertais à extinção. Quem garante que, se eles voltarem, não seremos nós que sumiremos da face do planeta?

Melhorando a sociedade

Church não pensa nos Neandertais como concorrência, mas sim acredita que eles acrescentariam à vida na Terra, aumentando a nossa diversidade e melhorando a sociedade.

Segundo o geneticista, os Neandertais podem pensar de maneira diferente do que nós. “Nós sabemos que eles tinham um tamanho craniano maior. Eles poderiam até mesmo ser mais inteligentes do que nós”, opina. “Quando chegar a hora de lidar com uma epidemia, por exemplo, é concebível que sua maneira de pensar possa ser benéfica. Eles poderiam até mesmo criar uma cultura neo-Neandertal nova, e tornar-se uma força política significante. O objetivo principal é aumentar a diversidade. A única coisa que é ruim para a sociedade é baixa diversidade”, argumenta.

Ele também acha que a alteração do genoma humano poderia fornecer respostas para a cura de doenças como câncer e HIV, além de ser a chave para vivermos até os 120 anos.

“Uma das coisas a se fazer é projetar nossas células para que elas tenham uma menor probabilidade de câncer. Então, uma vez que temos uma probabilidade menor de câncer, você pode aumentar suas propriedades de autorrenovação, a fim de que elas tenham uma menor probabilidade de senescência (envelhecimento)”, afirmou.

Cientistas reconstruíram o genoma Neandertal por volta de 2009. Nesse mesmo ano, um tipo extinto de cabra, íbex, foi clonado a partir de uma amostra de pele congelada, embora tenha morrido imediatamente após o processo.

Assim, parece possível que uma criança Neandertal seja eventualmente clonada, embora também seja preciso uma mãe Homo sapiens para transportá-la e pari-la.

Church não entende “por que tantas pessoas ficam tão profundamente chateadas com esses tipos de tecnologias”, já que o conceito de espécie biológica está mudando mesmo. Até agora, o senso comum é de que as pessoas não podem trocar DNA com outras espécies biológicas. “Mas essa barreira vai cair”, profecia.

Apesar das ideias de Church se assemelharem às mostradas em filmes como Jurassic Park, recriar ancestrais humanos mais antigos ou dinossauros não faz parte das propostas do geneticista, porque o limite de idade útil do DNA é de cerca de um milhão de anos.

E aí? Alguma voluntária?[Telegraph, TheMarySue, DailyMail, io9]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,00 de 5)

46 comentários

  • Luciana Hamashia:

    Tenho coragem, rs, quem sabe não dá certo.

  • Luciana Hamashia:

    Tenho coragem, rs, se quiser, podem entrar em contato comigo.

  • A.S.S.:

    Eu queria ser mulher para participar, será que cirurgias adiantam?

  • Dinho01:

    Isso é uma completa idéia de jerico.O ser-humano não consegue conviver com sua própria espécie.Essa criança ou crianças serão marginalizadas,feitas de cobaia ou mesmo escravizadas.E ai vão fazer uma revolução para tomar a Terra de nós. Essa idéia só serve mesmo como argumento de um bom romance de FC.

  • Gustavo6496:

    se realmente clonarem o neandertal será o fim do criacionismo

    • Ronaldo da Silva:

      Não sei não. Ainda restaria explicar como o restante da criação continua acontecendo tão espontaneamente e com tal grau de ordem mesmo considerando todo o caos adjacente, como no caso da formação de sistemas estelares que ocorrem desde alguns bilhões de anos depois do primeiro momento da Criação.

  • Elizeu Moreschi:

    Se eu tivesse um útero, já era um candidato.

    • Tiago Costa:

      Duvido!

  • Paulo Galliza:

    …a foto que ilustra esse artigo é muito característica. Gostaria que Natasha Romanzoti tivesse publicado a altura (biótipo) desse indivíduo para efeito de comparação com outros hominídeos. Alguns aspectos são dignos de nota, tais como: os cabelos, a testa, a glabela, os olhos pequenos e amendoados,o nariz grosso (diferente dos negros),a boca grande com lábios finos, ausência de pelos nas mãos. Merece uma análise clínica mais detalhada! Pelas reconstituições que temos vistos parece se tratar de um indivíduo que apresenta uma carga hereditária (hereditariedade) muito comum com os neandertais! Quantos podem ainda estar vivendo hoje?

    • Ronaldo da Silva:

      Segundo a Ciência oficial. Essa subespécie humana está extinta a 40 mil anos.

  • Paulo Roberto:

    Parece que não é bem assim:

    http://va.mu/cGTB

    Dica dada no twitter pelo jornalista Antonio Luiz Costa.

  • Paulo Roberto:

    Parece que a história não é bem assim… http://www.theatlanticwire.com/technology/2013/01/neanderthal-baby-story/61274/

    Essa dica, do desmentido, foi dada Pelo jornalista Antonio Luiz Costa no twitter, ontem à noite.

  • Rubens Junior:

    Eu creio que o ser humano, neandertal ou não, está despreparado ainda para lidar com tamanha tecnologia. Posso até arriscar que nunca vai estar preparado. O que o Rodrigo Almeida questionou também é relevante. Se pararmos para pensar nos outros animais que são utilizados em laboratórios, poderiamos acalorar ainda mais essa discussão. E a bioética? Olha, é assunto prá lá de polêmico.

  • Rone Firmino:

    ” um dos mais importantes cientistas do campo da genética no mundo”. Interessante, imagine o que ele proporia para fazer se ainda estivesse buscando fama! Homens são diferentes de animais… Um embrião de um animal dentro de um útero humano, não sobreviveria. ” Neandertal parentes dos humanos” hã? 😮 Fala sério parentes são tios, tias, primos e tudo mais. Nada mais á declarar. 😐

    • Ronaldo da Silva:

      A chance de um embrião Neandertal sobreviver num útero humano é de 90%, exatamente porque os Neandertais eram uma outra raça humana que coexistiu com a nossa por milhares de anos antes de desaparecer.

      E em termos de parentela, tirando as linhagens africanas puras, quase todos os seres humanos hoje poderiam se deparar com um neandertal na sua árvore genealógica se isso estivesse registrado.

  • Marco Aurélio G Mesquita:

    Idéia muito avançada para uma raça ainda primitiva.

  • John jones:

    isso vai dar problema!

  • Diogo Cavaleira:

    tanta coisa pode dar mal nesta experiência que nem sei que dizer…
    mas reviver um ser que possivelmente será tão inteligente como nós ou tem a capacidade de o ser parece me que vai criar problemas na comunidade religiosa.
    E será ele protegido pelos direitos humanos ou vão tratá-lo como um animal?

  • Marte:

    Aparentemente foi o Homo sapiens que acabou com os neandertais. Nada mais justo do que trazê-lo de volta.

    Só fica uma pulga atrás da orelha: e se os neandertais não fossem do bem? Hollywood, acho temos um novo argumento.

    • Jack Jack:

      eles vão ser do bem pois vão ser criados para serem do bem…assim como qualquer outro mamifero que se pode acostumar com os que ele convive em seu ambiente;.

    • Doriedson Fortes:

      E nós somos do bem? Isso depende do conceito “do bem” de cada um.

  • D. R.:

    Não duvido que já tem muito “Dr. Frankenstein” por aí criando seus monstrinhos de laboratório às escondidas.

    É por isso que tenho dito aqui que a ciência é uma faca de dois gumes, pode servir tanto para o bem como para o mal; e, por isso, penso que uma decisão dessas, que pode alterar o próprio futuro da humanidade, não deveria ficar somente na mão de cientistas. O correto mesmo, seria fazer um tipo de plebiscito ou referendo mundial para decidir qual caminho a humanidade deseja seguir.

    Não sei se alguém aqui já ouviu falar do MOVIMENTO PÓS-HUMANO (quem não sabe, procure na Internet), um movimento que está surgindo em alguns meios acadêmicos que apregoa que o ser humano já está ultrapassado e não devemos impedir o próximo salto evolucionário da nova humanidade: super-homens manipulados geneticamente e o advento de robôs com inteligência artificial superior à humana.

    Esse é o futuro que, provavelmente, nos espera se a ciência abandonar de vez a ética, a religião e a moral! Se a coisa continuar ‘sem freio’ do jeito que anda, com a ciência e a política ignorando os apelos da Igreja, da moral e da ética, não tenham dúvida, daqui uns 50 a 100 anos, ninguém vai ficar chocado se seu filho quer fazer uma tatuagem, está usando drogas ou é gay; mas se ele vai querer ter uma carapaça de escorpião, uma pele de cobra, um chifre de búfalo na testa ou qualquer outro ‘acessório genético’ da última moda!

    Infelizmente, na minha opinião, o Movimento Pós-Humano já começou e já está ficando fora de controle. Sinceramente, acho que é um caminho sem volta!

    Mas, na minha modesta opinião, a população mundial deveria ter sim o direito de escolher se ela quer seguir com o MOVIMENTO PÓS-HUMANO ou não; pois, a decisão, pelo menos por enquanto, ainda está em nossas mãos!

  • Alberto Campos:

    Usar um útero de mulher para isto,não vejo problemas. O problema está em criar um ser humano com esta aparência. Se fosse realmente mais inteligente que nós, sofreria muito desprezo com esta aparência. Feio assim, seria como se nascesse com defeito e isto seria proposital e deveria ser evitado. Não vejo lógica nisto.

  • Orlando Rios:

    Vai dar em discriminacao. Alias ja comecou com a imagem do especime do topico.

  • Rodolfo Andrello:

    Fico verdadeiramente empolgado em pensar como um cérebro dessa sub-raça reagiria a um processo de socialização como o que temos hoje, ensinando gramática, literatura, matemática e outras ciências. acharia muito interessante colocar a assimilação de artes e ciência desse indivíduo em paralelo com o “homem médio” da nossa sociedade.

    • Ronaldo da Silva:

      Caro Rodolfo,

      Concordo com sua opinião de que seria realmente interessante observar o desenvolvimento cognitivo dessa criança hipotética e como ela se adaptaria a sociedade atual.

      Inclusive arrisco dizer que talvez ela poderia ter um desenvolvimento indo de notável a prodigioso em relação ao “homem médio” da nossa sociedade.

      Mas falando do termo “sub-raça”, que você utilizou, não é apropriado para se referir aos Neandertais, esse termo era e é usado por nazistas e neo-nazistas até hoje para inferiorizar outras etnias humanas.

      Ao se referir a indivíduos como os neandertais o termo subespécie é mais correto pelo fato disto nos colocar no mesmo patamar que eles, pois nós também somos uma subespécie humana.

      Isso é evidenciado pelo nosso nome científico: “Homo sapiens sapiens”, os dois primeiros nomes se referem a espécie e o terceiro a subespécie.

      Nosso maior mérito em relação aos neandertais e outras subespécies humanas foi ter sobrevivido enquanto todas as outras desapareceram, o que é realmente uma pena.

  • Thiago Abreu:

    Serão bem vindos, e se puderem tentem extinguir o homo sapiens, o planeta agradece.

  • Gustavo Takahashi:

    Parece o Wanderlei Silva
    http://s2.glbimg.com/ANooeCpNtEPNEa2OFhn9a3DA4EvDzCOwmk1YWfBcpL269c__HcrrXkcDA6t3gkHp/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2012/04/11/wand2.jpg

  • Vinícius Moreira:

    Tirando o que já foi dito aqui em relação a preconceito, direitos, e moralidade, imaginamos que isso de certo e em 100 anos teremos esses “primos” andando entre nós, e como nós… tudo bem, mas no final das contas vai dar tudo no mesmo, pois ao contrario de outras especies, que tem várias variações, a especie humana não tem, então no fim uma espécie vai absorver a outra, e voltaremos a ser uma especie novamente…

  • iucker7:

    Nossa tecnologia já atingiu um patamar muito mais elevado do aquilo que realmente é exibido publicamente e me desculpem, mas quem não acredita nisso é ingenuo demais. A evolução humana não se encontra no passado e sim no futuro.

    Se a intenção de reviver uma espécie antiga, seja ela a espécie que for, é realmente somar para o desenvolvimento humano, logo mais haveriam inúmeros humanos modificados, seriam eles experiências manipuladas e mestiças.

    Já existem humanos que só ficam fortes consumindo suplementos artificiais, isso pra mim é a mesma coisa que tomar algo pra ficar alto, inteligente, forte, ágil, entre outras coisas.

    Não existe atalho para evolução. Isso começaria no Neandertal, mas sabe-se lá onde iria parar, SE parasse.

  • Germano:

    porque não começar com Tigres Dentes de Sabre ou Mamutes
    ta de sacanagem né véi

    penso em preconceito e violencia nas ruas
    acho que não seria uma boa ideia reviver um Neandertal em nossa sociedade

    • Jack Jack:

      por que com tigres de bengala e mamutes é dificil ..por que os elefantas são menores que os mamutes ..talvez seja dificil conseguir fazer ….e imagine se o bebe fosse prematuro e tivesse que construir uma camara para manter ele vivo…

  • Ronaldo da Silva:

    Estamos falando de um primo genético e não de uma espécie de babuino já extinta, Sr. Costa e eles não são um ancestral da espécie humana, mas sim, uma subespécie da espécie humana que se extinguiu, portanto eles também são humanos.

    Foi comprovado recentemente que alguns grupos humanos contemporâneos possuem pelo 4% de DNA Neanthertal em seu genoma como é mostrado nesse artigo:

    http://news.nationalgeographic.com/news/2010/05/100506-science-neanderthals-humans-mated-interbred-dna-gene/

    • Danilo Moço:

      Isso mesmo Ronaldo,só pra reforçar,muitos dizem que negros,índios,brancos,asiáticos são raças.Mas hoje com o desenvolvimento do conhecimento sobre a genética se sabe que não existe diferenciação genetícas entre esses grupos,não a ponto de serem considerados de subespécies diferentes,o que não é o caso dos neandertais !!!

    • Costa:

      Ronaldo da Silva,
      Eu não entendo nada de genética e muito menos das implicações de um ser humano ser gerado em útero bovino. Não sugeri o útero da vaca por preconceito ou desrespeito. Apenas acredito que tratando-se de um mamífero serviria ao propósito da experiência já que a ciência não tem outra alternativa. Se outros problemas técnicos não inviabilizarem, descartar essa possibilidade, é que caracteriza preconceito já que a maioria dos humanos bebem leite de vaca e ainda comem a sua carne, o que considero uma espécie de antropofagia.

  • Lucas Noetzold:

    Já não é possível deesenvolver bebês sem a barriga de uma mãe?

    • Cesar Grossmann:

      Não no início da gestação. A partir de certa idade o bebê pode completar a gestação em uma incubadora, mas ainda não inventaram um útero artificial.

    • Costa:

      Também não entendi. Fazem o mais difícil e não podem fazer um útero artificial? E porque não usar outro mamífero como mãe de aluguel, como uma vaca por exemplo?

    • Lucas Noetzold:

      Seria trágico, não sei bem qual minha opinião moral a respeito de gerar um próximo ao humano de uma vaca. Mas creio que há complicações quanto ao abastecimento de nutrientes.

    • Costa:

      Lucas Noetzold,
      Nisso você tem razão e é por isso que não bebo leite de vaca. Os nutrientes do leite de vaca são para bezerros e não para humanos.

    • Sergio Neves:

      se vc sabe isto como sugere o útero de uma vaca?

    • Jack Jack:

      por que é genetica incompativel parte do dna da mãe é pra criança..vc não ia querer um neandertal que alem de ter um testa grande ainda fosse como o hellboy com chifres rabo ..

  • Rodrigo Almeida:

    As polêmias iriam muito mais longe do que “clones”e DNA… Isso resultaria em muitos impactos, ou um bebê desses criado pela sociedade atual seria bem visto? Ou ele seria tratado dentro de laboratórios? Direitos humanos começam a aparecer aí. Isso seria um impacto nos valores e morais da sociedade… está mais ligado ao que vai acontecer com ele do que “acontecer ele”.

    • Geleiras:

      É bem isso Rodrigo, em nossos parametros, nós somos humanos o suficiente para eles? Heis a questão…

    • Jack Jack:

      o direitos humanos tem que calar a boca por que ele ja queimou muito o filme deles defendendo bandido….

    • Jack Jack:

      eu acho que a sociedade é estremamente pau no fiofó com outros seres humanos ..mas quando se trata de outra especie de animal a sociedade respeita …é como se eles não considera-sem normal e por isso entendessem a diferença….quando é com humanos parece que os humanos forçam outros humanos a seguirem na linha em um padrão de normalidade…isso é ridiculo …mas se for com o neandethal eles não vão fazer isso.

Deixe seu comentário!