Programa de computador passa no Teste de Turing e se torna primeiro a convencer pessoas de que é humano

Por , em 9.06.2014

Finalmente, um programa de computador convenceu suficientes seres humanos de que se tratava de um menino de 13 anos de idade, tornando-se o primeiro a passar no Teste de Turing.

O pioneiro da computação Alan Turing criou o teste em um artigo de 1950, dizendo que um computador poderia ser entendido como “ser pensante” se passasse no teste de enganar 30% dos interrogadores humanos em conversas baseadas em texto de cinco minutos.

O teste é considerado um marco no desenvolvimento da inteligência artificial (IA) e desde então se tornou uma parte fundamental da filosofia IA.

Eugene Goostman, um programa de computador feito por uma equipe russa, foi o que conseguiu passar no teste realizado pela Universidade de Reading na Royal Society, em Londres (Reino Unido).

Ele convenceu 33% dos interrogadores – que incluíam Robert Llewellyn, ator que já interpretou um robô (Kryten, da série inglesa “Red Dwarf”) e Lord Sharkey, que liderou a campanha do perdão póstumo a Alan Turing no ano passado – de que era humano.

O programa de computador afirma ser um menino de 13 anos de idade de Odessa, na Ucrânia. “Nossa ideia principal é que ele pode alegar que sabe alguma coisa, mas sua idade também torna perfeitamente razoável que ele não sabe tudo”, disse Vladimir Veselov, um dos criadores do programa. “Passamos muito tempo desenvolvendo um personagem com uma personalidade crível”.

De acordo com especialistas, o sucesso do programa pode levantar algumas preocupações sobre o futuro da computação.

“No campo da inteligência artificial não existe marco mais emblemático e controverso do que o Teste de Turing, quando um computador convence um número suficiente de interrogadores que não é uma máquina, mas sim um ser humano”, disse Kevin Warwick, professor convidado na Universidade de Reading e vice-reitor da Universidade de Coventry. “Ter um computador que pode enganar um ser humano a pensar que é alguém, ou mesmo alguma coisa, é um alerta sobre o perigo do crime cibernético”.

A versão do Eugene Goostman usada no estudo foi criada em 2001. Outros quatro programas foram avaliados, mas não passaram no teste. [Independent, Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Felipe Lisbôa:

    Assustador.

  • Edemar Hadlik:

    Num futuro proximo o ser humano atraves de nanotecnologia passara o seu ser (eu) para um robo que entao cada um xontinuara seu caminho Finalidade esta p/ explorar o Universo sem fim.

  • Dayverson Maiolino:

    Convencer 33% de humanos é para os fracos, queria ver esse software tomar uma gelada comigo.

  • HFC:

    Fascinante!
    Acho que isso vai deixar os conspiracionistas mais lunáticos ainda !!!! LOL!

    Daqui a pouco tem um bando de malucos pensando que a Skynet já está funcionando!
    XD

Deixe seu comentário!