Ratos recém-nascidos podem regenerar seus corações

Por , em 27.02.2011

O que o rato recém-nascido tem em comum com o paulisitinha? Não, não espere uma piada. Uma pesquisa descobriu que o coração de ambos os animais pode se curar sozinho, coisa que seria impossível para mamíferos adultos.

Alguns peixes e anfíbios, como o paulistinha ou peixe-zebra, podem regenerar tecidos do coração quando eles se danificam. Essa habilidade dura toda a vida. Já entre os mamíferos, apenas os embriões possuem tal capacidade.

Curiosamente, antes que o coração de um embrião de mamífero em desenvolvimento se separe em quatro câmaras, ele fica semelhante ao coração de duas câmaras do paulistinha.

Isso fez pesquisadores imaginarem se os mamíferos seriam capazes de manter essa capacidade de cura do coração após o nascimento.

No estudo, os pesquisadores utilizaram ratos recém-nascidos (1 dia de idade) e cortaram um pedaço do tecido de seus corações (cerca de 15% do ventrículo esquerdo). Quando o grupo retirou o órgão inteiro, 21 dias depois, eles descobriram que 99% dos corações estavam completamente regenerados.

Para saber se o coração regenerado funcionava corretamente, a equipe comparou os corações que tinham sido danificados a corações que passaram por cirurgias, mas não foram tocados. Dois meses depois, ecocardiogramas mostraram que os corações regenerados funcionavam tão bem quanto os não danificados.

Quando o mesmo foi feito em ratos com 7 dias, o coração não se curou, o que sugere que a capacidade regenerativa é perdida até essa idade.

A equipe ainda não sabe como ocorre a regeneração, mas quando eles estudaram as células do coração dos ratos recém-nascidos, viram que as danificadas continuavam se dividindo. Quando o coração adulto foi danificado, entretanto, as células apenas incharam e o tecido cicatrizou.

Ainda assim, a descoberta da pesquisa é incrível: os cientistas provaram que o coração dos mamíferos pode regenerar completamente o músculo cardíaco durante uma janela definida de desenvolvimento.

Peraí: o coração de todos os mamíferos? Ou seja, é possível que os corações humanos recém-nascidos também sejam capazes de se regenerar? Sim. Há alguma evidência de que o coração humano recém-nascido não cicatriza uma lesão de imediato, sugerindo que também pode ser capaz de se regenerar durante a infância.

O próximo passo do estudo é compreender como essa regeneração ocorre, na esperança de desenvolver tratamentos para doença cardíaca em adultos. Para isso, os olhos se voltam aos bebês. [NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

8 comentários

Deixe seu comentário!