Roma antiga e o segredo do “concreto indestrutível”

Por , em 19.06.2013

Dois mil anos não foram suficientes para derrubar construções erguidas na Roma Antiga. O que estaria por trás desse sucesso de engenharia? Pensando nisso, cientistas da Europa e dos Estados Unidos analisaram amostras coletadas em 11 portos localizados na região do Mar Mediterrâneo, e descobriram que os antigos romanos tinham, de fato, uma “receita” especial para fazer concreto.

De acordo com as análises, eles usavam material vulcânico (rochas e cinzas) e cal, além de um método de preparo bastante específico. “Para estruturas submarinas, cal e cinza vulcânica eram misturadas para criar argamassa, que era colocada, junto com rochas vulcânicas, em fôrmas de madeira”, explicam os autores. “A água do mar instantaneamente desencadeava uma reação química quente. A cal era era hidratada – incorporando moléculas de água em sua estrutura – e reagia com as cinzas para cimentar a mistura”.

Além de produzir um material mais resistente a desgastes, o processo é menos agressivo ao meio ambiente, em comparação com o utilizado para fazer cimento Portland (o mais comum atualmente, fabricado pela primeira vez no século 19), que seria responsável por 7% das emissões de gás carbônico na atmosfera feitas por indústrias.

Serão feitos mais estudos para descobrir como aproveitar nos dias de hoje a “receita” criada pelos antigos romanos.[Gizmodo, BusinessWeek]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 4,90 de 5)

2 comentários

  • Cesar Grossmann:

    A Igreja de Santa Sofia foi um feito extraordinário de engenharia civil, e um dos segredos é a argamassa, que está quimicamente ativa até hoje. A região é vulnerável a terremotos, e a maioria dos prédios da mesma época da Igreja foram ao chão, menos aquela catedral magnífica.

  • grasisuperstar:

    muitas vezes eu me perguntei como duraram tantos séculos essas arquiteturas…tá explicado!

Deixe seu comentário!