Satélites espiões da Guerra Fria são exibidos nos EUA

Por , em 30.01.2012

Três satélites espiões dos EUA, antigamente secretos, construídos para espiar a União Soviética, foram revelados pela primeira vez na última quinta-feira, 26, em Ohio, em uma rara exibição pública da Força Aérea dos Estados Unidos.

Os satélites de reconhecimento estão exibidos na Galeria da Guerra Fria, no Museu Nacional da Força Aérea dos EUA, em Dayton, Ohio. Mais para frente, eles serão instalados em uma nova ala criada para relíquias espaciais e outras aeronaves.
Os satélites – chamados KH-7 Gambit 1, KH-8 Gambit 3 e KH-9 Hexagon – foram oficialmente liberados (perderam o status de “secretos”) em setembro do ano passado.

“Gambit e Hexagon eram os olhos da América no espaço e os satélites mais sofisticados de seu tempo”, disse o diretor do
Escritório Nacional de Reconhecimento da Força Aérea dos EUA, o general aposentado Bruce Carlson. “Esses sistemas foram fundamentais para o monitoramento das metas essenciais na URSS e em todo o mundo, e forneceram informações cartográficas necessárias e precisas para produzir mapas em larga escala”, comentou.

Os satélites Gambit e Hexagon faziam parte de um programa espião revelado em 1995. Eles estavam entre os mais prolíficos sistemas espaciais americanos de reconhecimento, utilizados entre os anos 1960 e 1980.

Com uma resolução de 0,6 a cerca de um metro, a nave espacial utilizava câmeras de alta resolução para fotografar áreas de interesse, enviando-os a Terra através de cápsulas.

As cápsulas mergulhavam pela atmosfera terrestre através de um paraquedas para que pudessem ser apanhadas no meio do ar por aviões da Força Aérea. Parece filme, não?

O Gambit voou entre 1963 e 1967 e serviu como o primeiro sistema americano de reconhecimento de alta resolução espacial.
Esses satélites enviaram quase 914 metros de filme a Terra e foram concebidos para missões de curto prazo, até seis dias e meio.

Os satélites Gambit 1 tinham cerca de 4,5 metros de comprimento, 1,5 metros de largura e pesavam cerca de 523 quilos. Ao todo, 38 missões de Gambit 1 foram lançadas da Califórnia, apesar de 10 voos terem falhado.
Os satélites Gambit 3 eram da mesma largura que o modelo 1, mas um pouco maiores, com 9 metros de comprimento. Eles voaram em 54 missões entre 1966 e 1984, com quatro falhas registradas. Foram projetados para missões mais longas, de até 31 dias.

O sistema Hexagon também era lançado da Califórnia e foram os últimos satélites de reconhecimento dos EUA a usar filme fotográfico. Também foram os maiores – cada satélite Hexagon era do tamanho de um ônibus escolar.

Os militares lançaram 20 satélites Hexagon entre 1971 e 1986, com apenas uma missão falha. Cada missão de satélite Hexagon durou cerca de 124 dias, tendo enviado a Terra quatro cápsulas com filmes. Seus sistemas de câmera podiam fotografar enormes extensões de terreno. De acordo com oficiais da Força Aérea, os satélites Hexagon fotografaram mais de um bilhão quadrado da superfície da Terra durante seu mandato.

“Gambit 1 e 3 e Hexagon são artefatos importantes e raros, que nos permitirão contar melhor a história de operações da Força Aérea americana no espaço”, disse o tenente-general aposentado Jack Hudson, diretor do museu.[Space]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • drew:

    se brincar devem ter mapeado a Amazônia também…

    • João:

      Não existe dúvida sobre isto, porque o Brasil encomendou dos EUA imagens de satélite de todo o país entre as décadas de 70 e 80, para o projeto RadamBrasil. Se compramos as imagens deles, é obvio que eles às tem.

    • Arionaldo Carvalho da silva:

      Não só na guerra frio como em todo momento os Americanos continuam espiando, principamente os paises que eles tenham como estratergico.Tai sivan

Deixe seu comentário!