Se você gosta do seu gato, não o toque

Por , em 16.10.2013

Se você realmente ama seu gato, não o acaricie. Uma nova pesquisa publicada no Journal Physiology and Behavior que envolveu cientistas da Universidade de Lincoln (EUA), da Universidade de São Paulo (Brasil) e da Universidade de Medicina Veterinária (Áustria) descobriu que os animais de estimação ficam estressados se são constantemente tocados.

Especialistas em comportamento animal afirmam que os gatos liberam hormônios relacionados com ansiedade quando são manipulados manualmente por seres humanos. Na verdade, os testes parecem mostrar que os gatos simplesmente não gostam de ser acariciados.

Alguns estavam dispostos a tolerar esse toque – mas estes eram os indivíduos que apresentaram os mais altos níveis de angústia.

Os pesquisadores concluíram que os amantes genuínos de gatos devem evitar acariciar constantemente seus amigos, para poupar seus sentimentos.

A pesquisa

Os resultados vêm de um estudo que analisou como os gatos lidam com a vida ao lado de seres humanos na mesma casa.

Cientistas examinaram os gatos que vivem sozinhos, em pares e em grupos de três ou quatro em uma mesma casa, avaliando os níveis de hormônios do estresse dos animais em quatro ocasiões.

A pesquisa também desfez a crença popular de que os gatos são criaturas solitárias que se esforçam para viver felizes em grupos.
Embora o número de gatos em uma casa não previsse os níveis de estresse dos bichos, os pesquisadores concluíram que os gatos mais jovens – com menos de dois anos – que viviam por conta própria eram mais estressados do que os mais jovens que viviam em grupos maiores.

“Parece mesmo que eles não são melhores amigos, mas os gatos podem ser capazes de organizar-se para evitar um ao outro sem ficar estressados”, explica um dos pesquisadores, Daniel Mills.

Ele também disse que gatos que não gostavam de ser acariciados eram capazes de evitar isso se viviam com mais gatos, capazes de tolerar o comportamento.

“Parece que os gatos com quem o proprietário impõe [o carinho] são os que precisamos nos preocupar mais”, comenta. “Os resultados também reforçam a importância de assegurar a todos os indivíduos vivendo em uma casa o controle sobre seu ambiente”.

Isso significa que, se você tiver vários gatos, você deve dar-lhes a opção de compartilhar ou ter suas próprias áreas especiais para comer, beber e ir ao banheiro.

Entenda os gatos

O comportamento dos gatos pode ser um pouco misterioso, mas existem algumas dicas que podem lhe ajudar a entendê-los, baseadas em estudos sobre a relação de proprietários com seus animais de estimação. Confira:

  • Os gatos não estão pedindo comida quando lambem os lábios. Eles tendem a fazer isso quando estão estressados, não quando estão com fome.
  • Os gatos não querem carinho na barriga quando rolam com ela para cima. Quando um gato mostra sua barriga, isso significa que ele confia em você e quer ser acariciado na cabeça, brevemente, e não na barriga.
  • Uma cauda vertical significa que o gato sente prazer em vê-lo.
  • Orelhas planas podem significar que eles estão com medo. [DailyMail]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 3,40 de 5)

32 comentários

  • Thais Thai:

    engraçado. as minhas não pedem carinho, elas ordenam. é uma carência extrema…nem mijar eu posso de porta aberta pq elas vêm no meu colo enquanto to na privada só pra pedir carinho na cabeça kkkk e se eu mexo no celular na frente delas? vish…acham que eu sou a escrava delas. eu rio, mas é triste as vezes. preciso me impor mais…

  • Jorge Franco:

    Acariciar Gatos é uma troca intensa de eletricidade estática, eles gostam e nós também.

    • Cesar Grossmann:

      Você pode construir um eletroscópio para verificar se realmente tem eletricidade estática aí.

  • Paulo Felix:

    “os testes parecem”
    “Parece mesmo que eles não são melhores amigos”
    “Parece que os gatos com quem o proprietário impõe”
    Parece, parece…

  • Nãovou Dizermeunome:

    Já sabia, por isso só dou carinho nos meus quando eles me “procuram” (enchem o saco), não os manipulo e tal, são eles que “mandam”.

  • Nathália de Lima:

    porque os gatos nos mordem quando não estamos fazendo carinho neles?

  • Rosana Marco:

    Pesquisa mais parva. Tenho experiência com gatos e posso afirmar a 100% que esta pesquisa foi feita por quem nunca teve um gato. Em primeiro se for o gato(a) a nos escolher nunca irá embora, caso contrário haverá o risco de ele(a)abandonar-nos. Em segundo: Cada gato(a) tem a sua personalidade, realmente há aqueles que não são dados a muitos carinhos, só gostam quando vêm ter connosco e é preciso conhecê-los para saber onde eles gostam do mimo, outros mal nos sentamos gostam logo de vir para o nosso colo para que lhes façamos os miminhos na barriga, nas costas, na barbela enfim cada gato é um caso e quem tem um gato tem de aprender a conhecer a sua personalidade e respeitar a sua forma de ser, sem deixar claro que seja o gato a mandar no dono e esse ensinamento começa no 1º dia no 1º minuto em que o animal entra na nossa casa. Este conhecimento adquiri ao longo de 20 anos de ter mais de 30 gatos ( não todos ao mesmo tempo é claro)E neste momento não tenho nenhum porque uns morreram de velhice outros dei-os ás pessoas que eles escolheram para donos e que também os aceitaram e também porque neste momento não tenho disponibilidade financeira para dar o tipo de vida que um animal de companhia merece, visto eles darem tanto em troca por tão pouco que recebem.

    • José Alencar:

      Realmente Rosana, os gatos são sábios e filósofos que muitos humanos.

    • J. F. S. Mendes:

      Ah, e outra coisa !
      Os próprios bichanos nos acariciam, ao modo deles… dão aquela “passada” entre as nossas pernas

  • Je:

    O meu gato gosta de carinho na barriga todos que tive sempre que os estava acariciando viravam-se para fazermos carinho na barriga, debaixo do queixo e eles gostam sim, meio estranha essa pesquisa.
    Até as mulheres gostam de um carinho na barriga, né Natasha?

    • Cesar Grossmann:

      Mulher e gato são bichos diferentes…

    • Je:

      Mas ambos gostam de um carinho na barriga…rs.

  • Rafael Carvalho:

    Alguns comentários do artigo me trazem curiosos questionamentos quanto os limites da afetividade do homem perante um animal. Acabo de assistir um vídeo no Youtube postado por Dâniel Fraga (em http://youtu.be/BVzIGrENvRU), que fala conforme Cesar Millan, especialista em psicologia canina, que dar apenas afeto ao animal é prejudicial: o cão precisa de exercício, disciplina e afeto. Certamente, haverá alguma analogia com o gato.

    Sei que o tema é polêmico, então prefiro não me estender. Mas fato é que o ser humano exerce grandes responsabilidades no relacionamento com os animais domésticos os quais vale a pena refletir, tal como as ideias trazidas por esse artigo.

  • Hernan Soares:

    Algumas correções importantes:
    University of Lincoln fica na Inglaterra e não nos EUA.

    Outro ponto importante é que a pesquisa foi mal interpretada e este artigo está totalmente em desacordo com o resultado encontrado e apresentado pelos autores.
    Caso haja dúvidas, parte da equipe é brasileira e pode checar as informações diretamente com os devidos.

    Recomendo:
    http://www.psychologytoday.com/blog/pets-and-their-people/201310/lol-cats-fight-back

  • Amanda Rocha:

    esse título tá sensacionalista. E meus gatos amam carinho, do contrário não pediriam.

    • Cesar Grossmann:

      Amanda, a partir de um certo ponto, e até mesmo certos tipos de carinho, estressam o gato. O ronronar não é um sinal seguro de prazer, gatos que estão feridos também ronronam.

  • Bianca Augusta:

    Eu tenho 3 gatos e se eu não der carinhos a eles os 4 vêm pedir ou ficam emburrado comigo! Não acredito nessa pesquisa.

    • Cesar Grossmann:

      Bianca, você mediu os níveis dos hormônios relacionados a estresse nos pobres bichinhos que você tortura diariamente?

  • Hadassa Cavalcanti:

    Não é a primeira vez que vejo um post errado sobre gatos. Pelo que vejo, os “jornalistas” do site não entendem nada sobre veterinária ou estudos biológicos sobre Felidae.

    • Cesar Grossmann:

      Por exemplo?

  • Rafael Pinheiro:

    Então eu tinha um gato muito carente.

  • GoogleUser38:

    Precisaram de especialistas para isso? Eu simplesmente acaricio minha gata e percebo que ela está estressada, mas depende do seu temperamento.

  • Tiago Mazzini:

    Tô nem ai vou continuar esmagando meu gato.

    • Rafael Cavalheiro:

      AUHUAHAUHUAHUAHUah
      TAMOJUNTO!!!
      como eu tenho duas, se bobear esmago as duas juntas ainda HAUEHUAH

  • Branca:

    Isso se aplica a alguns humanos? KKK!

  • Alexandre Lima:

    Concordo com a pesquisa, mas este post do Hypescience deve ser lido com cuidado, pois veja: o que deve ser evitado é ficar CONSTANTEMENTE tocando o gato, mas isto não significa que você JAMAIS deva acariciar, tocar, ou até mesmo escovar o felino.

    Temos em casa 6 felinos e anos de experiência nos cuidados com estes animais. De fato, eles apreciam um carinho breve, em geral na cabeça, e rapidamente demonstram quando não querem mais este contato. Não convém tratar o gato como “bicho de pelúcia”, com excessivos toques e carícias, ou continuamente pegando-os no colo e carregando-os.

    E as 4 dicas finais do post são 100% verdadeiras. Quem convive com felinos sabe.

    • tov:

      eu convivo há 35 anos com gatos e descobri que eles gostam de carinho na face/bochecha e nos ombros/costas e eles são condicionados a gostar disso desde filhotes pois a gata-mãe deles tem que carrega-los pelas costas para proteção de perigos diversos, sendo assim nesta parte do corpo pode-se acaricia-los sem restrição, mas existe um lugar que de fato os irrita: na orelha! já cheguei a ter 15 gatos mas vizinhos sempre dão um jeito de diminuir este numero por meio de veneno.

    • Rafael Carvalho:

      “Já cheguei a ter 15 gatos mas vizinhos sempre dão um jeito de diminuir este numero por meio de veneno.” Que horror! Mas é melhor respeitar os vizinhos e evitar o excesso de bichanos, tov!

    • Rafael Carvalho:

      Que horror! Mas é melhor respeitar os vizinhos e evitar o excesso de bichanos, tov!

  • Ronald Golias:

    Adoro gatinhos *-*

  • Je:

    Eu sempre acaricio o meu na barriga quando ele vira e ele gosta, ao menos me parece que sim.

  • nicas:

    O meu gato pede-me que eu lhe faça festas. Fica a esfregar-se todo em mim e nas minhas mãos e não para até que lhe faça festas. Só paro quando adormece.

Deixe seu comentário!