Seja flexível – fisicamente – e tenha mais qualidade de vida

Por , em 23.08.2010

Hoje em dia, o que não faltam são estudos que mostram como o exercício é benéfico para o corpo e para a mente. Porém, menos atenção tem sido dada a uma habilidade que pode melhorar sua vida: a flexibilidade.

Médicos e fisioterapeutas concordam que a flexibilidade é parte vital de manter o corpo em forma e capaz. Segundo especialistas, ela é o terceiro pilar para manter a forma, ao lado de condicionamento cardiovascular e treinamento de força.

Na verdade, a flexibilidade, além de ajudar seu corpo a atingir o nível de condicionamento físico ideal, pode desempenhar um papel na prevenção de lesões, até mesmo contribuindo para livrar as pessoas de condições como artrite e doenças mais graves.

Quando você alonga um músculo, também alonga os tendões, ou fibras musculares, que os anexam ao osso. Quanto mais alongadas essas fibras estão, mais o músculo pode aumentar enquanto você treina. Isso significa que um músculo mais flexível tem o potencial para se tornar um músculo mais forte também.

A construção de fibras musculares fortes pode aumentar o seu metabolismo e seu nível de treinamento muscular. Músculos flexíveis também tornam atividades diárias mais fáceis para o seu corpo realizar.

Comportamentos comuns, como se curvar sobre o computador, podem reduzir alguns músculos. Isso, junto com a perda natural de elasticidade do músculo que ocorre com o envelhecimento, pode fazer com que qualquer movimento rápido ou inábil (pegar um copo antes que ele caia da mesa, por exemplo) possa esticar seus músculos além do seu limite, resultando em uma tensão – ou uma lágrima.

Ser flexível também ajuda seu corpo a se adaptar facilmente a estressores físicos. Além do mais, alongamento pode melhorar a sua circulação, aumentando o fluxo sanguíneo para os músculos. E ter uma boa circulação pode ajudar a protegê-lo contra uma série de doenças, de diabetes à doença de rim.

Como se não bastasse todos esses benefícios, maior flexibilidade tem sido associada a um menor risco de doença cardiovascular. Um estudo de 2009 indicou que pessoas de 40 anos ou mais com boa flexibilidade tinham menos rigidez nas paredes das artérias, um indicador de risco para acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Para ficar e se manter flexível, a regra geral é: você precisa ser tão flexível quanto seu estilo de vida pede. Por exemplo, no mundo dos esportes, os corredores de longa distância são notoriamente conhecidos por serem inflexíveis. Mas seus corpos não precisam de muita flexibilidade para avançar em linha reta. Já os ginastas, por outro lado, precisam de muita flexibilidade para realizar seus movimentos.

O resto de nós precisa de um nível de flexibilidade entre esses dois extremos. Para aumentar a sua flexibilidade, comece com cerca de 10 minutos de alongamento por dia, focando nos principais grupos musculares: parte superior do corpo (braços, ombros e pescoço), costas e parte inferior do corpo (coxas, panturrilhas, tornozelos).

Então, dependendo de como você costuma gastar seu tempo, foque em trechos específicos nas áreas propensas a te causarem algum problema. Se você está passa o dia todo sentado em uma mesa, dê uma atenção extra para as costas e os ombros. Se você passa seu dia carregando crianças e sacolas, se concentre em seus braços.

Caso você não consiga se alongar todos os dias, apenas algumas vezes por semana pode ser tão benéfico quanto. Na verdade, pode ser suficiente para ajudá-lo a permanecer flexível, uma vez que você já tenha chegado lá. Além disso, o alongamento pode ser relaxante ou meditante: você tem que se concentrar e respirar profundamente ouvindo seu corpo.

Quanto mais facilidade você adquirir no alongamento, mas você sentirá os músculos relaxarem, devido ao aumento do fluxo sanguíneo. Só vá até o seu ponto de resistência: o alongamento não deve doer. E tenha cuidado para não se movimentar bruscamente, o que pode causar lesões minúsculas nos seus músculos.[CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

8 comentários

  • Brunno Harvey:

    Eu sou um pouco alongado não exatamente , e gostaria de ser totalmente . Agora como todos esses comentários vou treinar cada dia mais kk

  • Daine:

    Muito bem fazer alongamentos é muito booom pra saude!!!! AMO EXERCÍCIOS!!!!!!!!!!!!

  • Carol Anacleto:

    Oiiê gente eu estava lendo essa manchete e tomei coragem pra treinar algumas coisas como,abertura de pernas não consigo por mais que eu tente dói muito e não consigo realizar o movimento desejado queria uma dica do que fazer para eu poder ficar mais flexível é o que eu amis quero no mundo poder ser tão flexível para eu realizar meus movimentos e exercícios e quero também entrar emm uma escola de ginastica olímpica quero ser ginasta. Obg se alguém tiver uma dica agreadeço………..

  • Cesar:

    O alongamento é bom, mas não logo antes do exercício. Então não há contradição, a menos que a gente passe a fazer apenas leitura de manchete…

  • Deni:

    não vamos nos alongar nessa discussão… 😛

  • Alex:

    RONALDO LEMBROU, EU TAMBÉM

    Pois é, a matéria é bem interessante…porém contraditória. Sendo mais de um que lembra, acho que o Ronaldo não precisa ser mais apedrejado né rsrs

    O “Hype Science” é lido por muitos e -modéstia a parte- por quem, como eu, tem boa memória. Sugiro uma matéria que possa definir de fato se o alongamento é uma boa mesmo ou não. Pensem nisso, é importante pra não causar dúvida na cabeça de quem acompanha as matérias.

  • Ronaldo:

    Apedrejem-me se eu estiver errado, mas, se não me engano, aqui mesmo, vi uma matéria que dizia exatamente o contrário a respeito do alongamento muscular, ou seja, que não era adequado ser feito antes de exercícios físicos.

    Só não me lembro das consequências do alongamento antes dos exercícios físicos.

  • Anderson:

    Para mim, que trabalho sentado… ler essa matéria é como prever meu futuro… QUERO MUDAR DE EMPREGO!

Deixe seu comentário!