,

Telescópio Espacial Hubble tira foto de galáxia OVNI

Por , em 12.04.2012

O Telescópio Espacial Hubble encontrou um OVNI no espaço; mas um cheio de estrelas, e não de homenzinhos verdes.

O telescópio tirou uma foto incrível da “Galáxia OVNI”, que tem esse apelido por ter a forma de uma nave espacial clássica de um filme de ficção científica.

Os astrônomos combinaram duas visões (uma em luz visível e outra em infravermelho) da câmera avançada de Hubble para criar a nova imagem da galáxia. A distância entre os detectores de luz do Hubble criou uma tira borrada em toda a largura da imagem, e os cientistas preencheram esse espaço com imagens de telescópios terrestres.

Localizada na constelação de Lynx, a 35 milhões de anos-luz da Terra, a galáxia espiral é oficialmente conhecida como NGC 2683.

Nosso conhecimento sobre ela é antigo. Originalmente descoberta em 5 de fevereiro de 1788 pelo famoso astrônomo William Herschel, só mais tarde, graças aos astrônomos do Planetário e Observatório Memorial do Astronauta em Cocoa, na Flórida, é que a NGC 2683 ganhou o apelido de OVNI cósmico.

Os astrônomos suspeitam que a NGC 2683 seja uma galáxia espiral barrada, mas a vista “de lado” do Hubble e de outros telescópios da galáxia torna difícil para eles ver a estrutura do objeto cósmico diretamente.

Ao mesmo tempo, esse ponto de vista estranho oferece aos cientistas uma perspectiva galáctica única.

“Em particular, dá aos astrônomos uma grande oportunidade de ver os rastros de poeira delicados dos braços espirais projetados contra a névoa de ouro do núcleo da galáxia”, disseram os funcionários da NASA. “Além disso, os aglomerados brilhantes de jovens estrelas azuis brilham espalhados por todo o disco, mapeando as regiões de formação estelar da galáxia”.

O Telescópio Espacial Hubble faz imagens espetaculares do universo há mais de 20 anos. É uma missão conjunta da NASA e da Agência Espacial Europeia.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Andre Luis:

    Parabéns a equipe do Hubble! Belíssima imagem!

  • Tundra:

    Engraçado, não se ve fotos em alta resolução nem dos planetas exteriores e de suas luas, mas conseguem imagens belíssimas de galáxias a milhões de anos, a nao ser que essas imagens de galáxias sejam todas feitas em computadores!

    • Pablo Lopez:

      Concordo com você!

    • Jonatas:

      Meu amigo, um Planeta perto de uma estrela é como uma pulguinha do lado de uma lâmpada 200 Watts, e uma galáxia é uma coleção de bilhões de estrelas, é por isso que podem ser vistas mesmo à distâncias enormes. Outra dificuldade em se observar um exoplaneta é a mesma em que a pulguinha é ofuscada pela lâmpada ao redor da qual orbita.

    • Emerson Brito:

      Mas Jonatas, dependendo da posição do planeta, a luminosidade da estrela não ajudaria à tirar uma foto do planeta com uma qualidade boa ?

      Se com o zoom da lente, o planeta for focado depois da estrela, acredito que a luz desta não venha a interferir tanto assim na imagem…

      Estou fazendo uma indagação, não uma afirmação…

    • Jonatas:

      Não é uma má afirmação, mas mesmo assim fica difícil. Por mais iluminado que seja o planeta, sua luminosidade é ínfima na comparação com a da estrela, ele acaba ofuscado. Em casos de sistemas mais próximos, esse isolamento e tratamento foi possível e viram a luz dum planeta, assim conseguiram encontrar até sua composição atmosférica. Mas inda teremos que esperar até conseguir uma foto de um exoplaneta. O método mais eficaz ainda é a pequena perturbação gravitacional que ele exerce na estrela, o que nos da dados como posição, massa e eventual tamanho do objeto.

  • Rone100theone:

    O bom e velho Hubble,” panela velha é que faz …” rs …

  • Jonatas:

    Apesar de não se poder estudar muito bem sua simetria espiral, da pra ver que a visão está apenas alguns graus de diferença para a nossa bela vizinha Andrômeda, da qual conseguimos observar a forma espiral.
    Belíssima essa galáxia, e a oportunidade de estudar uma espiral nessa posição é bem vinda.

    • Andre Luis:

      Verdade Jonatas! Eu estou estudando bastante a espiral logaritmica e a Razão Áurea, na qual várias galáxias contém essa propriedade, mesma constante encontrada na concha dos caracóis, do nautilos, das plantas, frutas, no corpo humano, furacões e até microorganismos, além dos anéis de Saturno e a Sequencia de Fibonacci. 1,61….. Acho muito misterioso este assunto e interessante para estudos e pesquisa!

Deixe seu comentário!