Vídeo: como combater um incêndio no espaço

Por , em 9.02.2012

Como combater um incêndio no espaço? O grupo Flame Extinguishment Experiment (FLEX), da NASA, está tentando descobrir isso na prática, criando incêndios na Estação Espacial Internacional para entender melhor como lidar com o fogo em um ambiente de microgravidade.

Como as chamas no espaço queimam a temperaturas mais baixas e requerem menos oxigênio do que num ambiente com gravidade, elas podem ser mais difíceis de controlar.

Neste vídeo, uma gota de combustível é incendiada, e em seguida é rapidamente extinta. Trinta segundos mais tarde, uma fosforescência brilhante formada por uma nuvem de vapor se espalha em toda a câmara de combustão. Chamas são esféricas em baixa gravidade porque o ar quente e flutuante não pode subir para empurrá-las.

Nos primeiros testes, a equipe queimou heptano e metanol no espaço, mas desde o mês passado os pesquisadores iniciaram uma série de experimentos com combustíveis mais complexos que são efetivamente usados no espaço, como a gasolina. [NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Michel Lopes:

    Ussa nitrogênio líquido

  • José:

    Renato, pense bem, e necessario que você tenha contato com a estrutura, exemplo, um lavadora se você pendura um objeto entre o centro e a base ele ainda continuara estatico, eu sei que o principio da força centrifuga está na velocidade. Será que o fogo agiria da mesma forma que na terra até porque os gases agem de forma diferente a essa força?

    • Renato:

      José, agora entendi o que você quis dizer com a necessidade de atrito; sem dúvida, pendurar um objeto dentro de uma máquina de lavar não vai gerar força centrífuga neste objeto.
      Agora, imagine uma estação espacial em forma de anel com centenas de metros de diâmetro, anel este formado por um tubo com alguns metros de diâmetro, girando no espaço; quanto mais distante do centro da estação, maior a força centrífuga e consequentemente a gravidade artificial.
      Qualquer objeto dentro deste tubo apresentará peso, inclusive o ar, o que fará com que uma chama de vela em qualquer ponto deste tubo aponte para o centro da estação, pois o ar quente, mais leve, será forçado a subir, dando lugar ao ar frio, mais pesado.

  • José:

    Já ouviram falar de se criar um força centrifuga (semelhante a um lava roupa) no espaço na estação espacial para simular gravidade. Meu professor de fisica comentou, mas eu acho improvável por que depender do atrito.

    • Renato:

      José, para simular gravidade não é necessário atrito, basta alguma estrutura que gire em torno de um centro; no filme “2001 Uma Odisseia no Espaço”, de 1968, há uma estação espacial circular que lembra uma roda gigante que, ao girar, gera força centrífuga e produz gravidade artificial, proporcional à velocidade de rotação.

  • José:

    Nossa, nunca pensei que o fogo se comporta se dessa forma no espaço em meio a baixa gravidade, já tinha ouvido fala sobre a respostas das plantas nesse ambiente, principalmente, a ação dos fitohormonios, agora, o que vamos leva para o espaço para ser avaliado. Que tal uma animal, como o peixe? Nadando em meio a agua flutuando, e um maximo não! Nossa são tantas possibilidades. No mesmo tempo divertida e é logico também seria pela importancia da pesquisa.

    • negative:

      gostei da ideia do peixe..

    • Lucca:

      Verdade amigo! Imagine o comportamento de um peixe no espaço! Deve ser muito interessante. 😀

    • Walrus:

      Se colocar água para flutuar e depois jogar um peixe dentro, esse peixe ao tentar nadar empurrará a água deslocando-a para longe, logo a experiência não daria certo a menos que mantivesse alguns limites físico-estruturais.

Deixe seu comentário!