Visão noturna com óculos normais: nanocristais

Por , em 15.12.2016

Óculos de visão noturna tradicionais são enormes, requerem muitas camadas de lentes e precisam de energia para funcionar. Para deixar essa ferramenta mais prática e possível de ser incorporada aos óculos comuns, uma pesquisa da Universidade Nacional Australiana criou um tipo de nanocristal que pode dar uma turbinada no óculos de grau comuns, sem deixá-lo mais pesado.

A escuridão, conforme nossa percepção, é a ausência de luz nos espectros visíveis que nossos olhos conseguem captar. Mesmo assim, ainda há muita luz em outras frequências que não conseguimos detectar. Óculos noturnos tradicionais, como aqueles usados pelas forças armadas, usa um espectro quase infravermelho e converte fótons dessa luz em elétrons que iluminam uma tela fosforescente dentro do equipamento, que permite a criação da imagem.

Já os nanocristais da universidade australiana podem ser usados em óculos sem nenhuma fonte de energia, ao converter fótons de luz infravermelha em outros fótons do espectro visível, permitindo que o olho humano veja no escuro.

“Os óculos de visão noturna atuais são uma combinação de ótica e eletrônica. Eles recebem luz do limiar do infravermelho, que não é visível, e converte os fótons em eletricidade. Mas com essa tecnologia, não precisamos mais de eletricidade, nós convertemos a luz em luz diretamente, apenas mudamos a cor e frequência”, explica um dos pesquisadores envolvidos no trabalho, Mohsen Rahmani. A pesquisa foi publicada na revista Nano Letters.

Para permitir que a luz passe, o nanocristal é fabricado em um painel de vidro. Essa tecnologia é pioneira. O protótipo atual contém apenas uma única nanopartícula de 300 nanometros de largura, mas criar milhares ou milhões deles poderia criar uma superfície metamaterial que pode ser aplicada ao vidro.

“Os nanocristais são tão pequenos que cabem em filmes ultrafinos que podem ser colocados em óculos normais para permitir visão noturna”, diz o pesquisador principal, Dragomir Neshev.

Atualmente, a nanopartícula precisa de luzes intensas para realizar a conversão de frequências, mas os pesquisadores esperam melhorar a tecnologia em breve.

Além de ser aplicados em óculos, os nanocristais podem ser usados em outras tecnologias, como de hologramas. [NewAtlas]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 4,71 de 5)

Deixe seu comentário!