10 palavras em inglês que são difíceis de traduzir

Publicado em 15.07.2011

Apesar de ser uma língua considerada universal e mais fácil do que muitas outras – incluindo o português – existem palavras em inglês que representam conceitos difíceis de traduzir para outras línguas. Inclusive, há centenas de palavras que são encontradas somente em inglês, sem correspondentes que as expressem suficientemente em outros contextos. O Dicionário de Inglês Oxford lista mais de 250.000 palavras distintas, não incluindo muitos termos técnicos ou gírias, o que torna o inglês uma das mais ricas línguas em termos de vocabulário. Como a cultura americana é muito conferida nesse lado do mundo, veja alguns exemplos de palavras que representam um desafio para tradutores:

1 – Pimp

A palavra “pimp” se refere ao verbo transitivo, não o substantivo. “Pimp” significa, aproximadamente, “decorar” ou “enfeitar”. Esse verbo se tornou popular em programas de TV como “Pimp My Ride” (que ajeitava carros antigos, parecido com o quadro “Lata Velha” brasileiro). Embora esse termo seja uma homenagem à cultura hip-hop e sua conexão com a cultura de rua, ele se tornou comum e mesmo padrão em uso comercial. A gíria espanhola “pompear”, usada em alguns países latino-americanos, evoluiu como uma derivação direta com um significado próximo.

2 – Auto-tuned

O mundo inteiro está familiarizado com aquela voz não natural, quase robótica, saindo de cantores ao longo dos últimos 10 anos ou mais. Qualquer música gravada é alterada para ter um som melhor. Tanto é assim que o inglês até inventou uma palavra para isso: auto-tuned. Muitos idiomas, entretanto, não tem um correspondente ainda. O adjetivo descreve um cantor cujas imprecisões, erros e falta de sintonia foram digitalmente disfarçados para que parecer que ele executou a canção perfeitamente. Como é um termo relativamente novo, é praticamente intraduzível.

3 – Trade-off

Essa palavra faz parte da lista “não consigo explicar com menos de 5 palavras”. O termo descreve uma situação em que alguém tem que perder alguma qualidade em troca de outra qualidade. Trata-se de uma decisão em que a pessoa compreende totalmente as vantagens e desvantagens de cada escolha. O termo é particularmente difícil de traduzir em qualquer idioma sem o uso de muitas palavras ou a explicação explícita do cenário.

4 – Spam

Essa é uma das palavras que provavelmente todos sabem o significado, mas que não tem tradução e é usada em sua forma original em muitas línguas. A definição de spam é o uso de sistemas eletrônicos para enviar mensagens não solicitadas indiscriminadamente. Nenhuma outra língua tem uma palavra não derivada para este conceito. Spam é, também, um termo para uma carne enlatada.

5 – Bromance

Esse é uma espécie de termo retro que não está mais em uso. Cunhado na década de 90, descreve uma relação muito íntima, mas não sexual, entre dois ou mais homens. Em muitas culturas, incluindo a americana, bromance é confundido com homossexualidade e, portanto, nenhuma outra cultura cunhou um termo para descrever essa relação incomum. Embora o termo possa ser descrito na maioria dos idiomas, nenhuma outra língua além do inglês tem uma palavra para isso.

6 – Facepalm

Esse termo popular nos EUA descreve o gesto de por a palma da mão sobre o rosto, em uma demonstração de exasperação. O gesto é obviamente mundialmente conhecido mas, surpreendentemente, nenhuma outra língua além do inglês parece ter um termo original para esse ato bastante comum.

7 – Kitsch

“Kitsch” define toda arte que é considerada uma cópia inferior de um estilo existente. O termo também é usado de uma forma mais livre quando se refere a qualquer arte pretensiosa, desatualizada ou de mau gosto. Com a única exceção do alemão (de onde a palavra veio para o inglês), o termo é intraduzível para qualquer idioma.

8 – Gobbledygook

Essa palavra é definida como qualquer texto contendo jargão, ou inglês especialmente complicado, que resulta em um texto excessivamente difícil de entender, ou mesmo incompreensível. O termo foi cunhado em 1944 por Maury Maverick (na foto acima). Mesmo para os tradutores de literatura profissionais, essa palavra representa um desafio.

9 – Serendipity

“Serendipity” é qualquer descoberta inesperada, mas feliz. Você também pode chamá-la de achado sortudo, coincidência ou acidente. A palavra foi votada como uma das dez palavras em inglês mais difíceis de traduzir em junho de 2004, por uma empresa de tradução britânica. No entanto, devido ao seu uso sociológico, a palavra tem sido exportada para muitos outros idiomas.

10 – Googly

O “googly” é um termo do jogo de críquete. É um movimento complicado, um tipo de lançamento curvado com giro feito por um jogador com sua mão direita sobre o lado direito do corpo. O “googly” é importante no jogo em questão, mas é usado sem muita frequência porque sua eficácia é graças ao seu valor de surpresa. O termo é tão exclusivo do idioma inglês que o artigo da Wikipédia sobre ele não está disponível em qualquer outra língua. Se fosse para ser traduzido em outra linguagem, seria algo como “tiro curvado de críquete feito por um jogador com a sua mão direita”.[Listverse]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

82 Comentários

  1. Em tempo: a correspondência para “bromance” em português seria “amigação” (de “amigar-se”: tornar-se amigo, amante, ter mancebia. Mas isso não está na moda…

    Thumb up 0
  2. Muito bacana o post, nem conhecia o site mas já comecei gostando.
    Acho que o pessoal que critica mais ferronhamente não percebeu que você não disse que as palavras não possouiam tradução ou significado, só que estes são meio dificeis.

    Thumb up 3
    • sim, ignorantes no quesito história da arte traduzem assim mesmo.
      Até descobrirem que certos termos não tem tradução, até pq Kitsch nem termo é, é um movimento artístico.

      Thumb up 5
    • é uma pena não ter te perguntado

      Thumb up 19
    • Temos muita coisa pior, mas pelo que que entendi,
      PIMP –> maqueado, produzido, pimpão.
      AUTO TUNED –> reafinado, som-maqueado.
      SPAM –> espalhamento.
      KITSCH –> chinfrim, brega.
      GOBBLEDYGOOK –> garatuja verbal, babozeira.
      Baahh !!!

      Thumb up 16
    • Pimp, se nao me engano, pode ser algo como cafetão também

      Thumb up 6
  3. sei lá…. não faz diferença ksksksksksk
    falo um montão de coisas e ninguem entende ksksksksksk..

    Thumb up 3
    • O correto seria “I don’t speak english”

      Thumb up 16
  4. Eu traduziria GOBBLEDYGOOK como BLABLABLA

    Ou ainda como a expressão “estar falando grego”

    Thumb up 9
  5. Na verdade, a questão das diferenças gritantes entre os idiomas mexe com a cultura de cada região do mundo, conferindo-lhe características únicas, e principalmente no que se refere à abordagem de pessoas de outros países, ou seja: estrangeiros e compatriotas.
    Assim, ao chegar num país estranho para nós, mesmo falando seu idioma, nossa perspectiva mental está falando um idioma estrangeiro mas nossas idéias “falam” na nossa língua pátria.
    Então, só a continuidade da nossa permanência naquele país é que vai nos proporcionar o automatismo cerebral para que possamos usar o respectivo idioma de forma normal, ou seja: sem “apelar automaticamente” para uma “tradução instantânea” na nossa língua pátria.

    Thumb up 5
    • Inglês…a língua mais fácil de se aprender,porque usam frases prontinhas.

      Mas o interessante são as gírias e a pronúncia delas…pra não cair numa fria…
      O cara chaga na mina…You are so cool ( Você é tão bacana,etc)
      You are so cold ( Você é fria, uma geladeira)hahahaha..tapa na certa!

      Thumb up 6
  6. PIMP- tamem pode servir como “chulo” aquele senhor que arranja trabalho e cuida das prostitutas

    Thumb up 5
  7. faltou “hallow”, os tradutores penaram tanto pra conseguir traduzir o título do último Harry Potter que a escritora teve que liberar um título “alternativo”

    Thumb up 4
  8. Oi Marco Andrade, a “casa do caralho” original surgiu por altura das explorações das grandes naus portuguesas e a casa do caralho era exactamente um compartimento que ficava no ponto mais alto da embarcação para se poder ver ao longe a proximidade de terras ou outros navios.
    Muitas vezes se alguma pessoa da embarcação se portasse mal, tinha como castigo ficar naquele compartimento, que era uma autentica tortura.
    Daí a expressão “vai para o caralho” ou seja vais para o campartimento da tortura.

    Thumb up 11
    • Interessante, gostei, parabéns e obrigado.

      Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
7
7 formas “antigas” de misticismo que são na verdade invenções recentes

Tem muitas formas de...

Fechar