5 coisas sensacionais encontradas em nosso próprio sistema solar

Nosso sistema solar sempre foi o equivalente no mundo da ficção científica a Curitiba: é um bom lugar para se visitar, mas não é o cenário mais emocionante para um drama épico. No entanto, nós andamos subestimando a capacidade da nossa galáxia de nos surpreender. As vizinhanças do nosso sol escondem mais coisas incríveis do que imaginamos.

5. Vulcões de gelo de Encélado

5
Em meio a outros 62 satélites naturais de Saturno, pode ser que Encélado não chame atenção alguma. Porém, algumas imagens em super close são o suficiente para que você veja que a sua superfície é constantemente abalada por enormes explosões de gelo. Sim, Encélado é o lar de milhares do que os cientistas estão chamando de criovulcões.

Devido à proximidade e à imensa força gravitacional sufocante do planeta-mãe de Encélado, a lua está constantemente sendo deformada e esmagada, fazendo com que as reservas subterrâneas de gelo se quebrem e pulverizem em um oceano subterrâneo. Enquanto as forças continuam a acumular-se, o mar subterrâneo, assim como um estudante do ensino médio japonês, eventualmente sucumbe à pressão e estoura. Grandes nuvens de água são atiradas no espaço, congelando instantaneamente e fazendo com pareça que uma lua inteira tenha brotado motores a jato espontaneamente.

Estes vulcões criogênicos de Encélado foram descobertos muito recentemente pela sonda espacial Cassini, depois de ela ter capturado imagens reais dos grandes jatos de gelo. Segundo os cientistas, esta descoberta também poderia explicar o que mantém a reposição dos escombros que compõe os famosos anéis de Saturno. Se você está tendo problemas em entender essa relação, imagine Saturno como um grande cafetão que bate em seus pobres empregados de confiança, até que, eventualmente, eles cuspam mais gelo para deixar o planeta ainda mais glamouroso.

4. Halos e explosões solares

Magnificent CME Erupts on the Sun - August 31
Aproximadamente a cada década, o sol protagoniza uma série de explosões de gás ionizado superquente chamado de plasma. Devido ao poderoso campo magnético da nossa estrela-mãe, esse gás então circunda a superfície do sol em maciços e instáveis círculos solares (imagine um bambolê de fogo. A realidade é algo bem próximo a isso. Só que gigante). Depois de algumas semanas, os bambolês solares já terão acumulado energia suficiente para começa a oscilar. Após armazenar ainda mais energia, a estrutura cai, o que provoca uma gigantesca explosão de eletricidade, calor e radiação 10 vezes o tamanho da Terra.

Ocasionalmente, um desses bambolês solares pode ficar tão grande a ponto de causar uma erupção solar de classe X (as mais poderosas) – uma enorme explosão capaz de produzir buracos no próprio sol. Felizmente, no entanto, nem todo fenômeno solar envolve explosões furiosas lá no espaço. Os halos solares (aquele anel de luz que às vezes circunda o sol), por exemplo, ocorrem aqui mesmo na Terra, quando a luz do astro é refratada por cristais de gelo na atmosfera. O resultado final é uma bela e incomum visão do sol, com halos solares e parélios (as manchas brilhantes que podem ser observadas no halo) se movendo suavemente pelo céu.

3. Um monte de planetas que você desconhece

3
Responda rápido: quantos planetas existem no sistema solar? “Ahá!”, você dirá na frente do seu computador, fazendo com que seus colegas de trabalho te olhem estranho. “Isso depende se você está considerando Plutão, que foi rebaixado ao status de ‘planeta anão’ em 2006!”, será a sua resposta. Pense de novo. Se a sua conta para nos nove planetas, supondo que você inclua Plutão, o mais correto seria multiplicar esse resultado por 50, ou talvez até por 1.500. No fim das contas, existem centenas (ou até milhares) de planetas que você desconhece.

Até agora, temos classificados oficialmente cinco planetas anões aqui mesmo em nosso sistema solar (embora já tenhamos observado muitos mais): Plutão, Eris, Ceres, Makemake e Haumea. A maioria deles está fora do gueto solar – muito além de Netuno – mas Ceres, por exemplo, está realmente muito perto de nós, uma vez que orbita entre Marte e Júpiter. Mas o planeta-anão de destaque neste momento é o gelado Haumea, descoberto em 2004.

Nomeado em homenagem à deusa havaiana do nascimento e da fertilidade, Haumea é uma rocha congelada estranhamente semelhante a uma bola de futebol americano, com um décimo do tamanho da Terra. Pelo menos isso é o que os cálculos científicos complexos nos dizem sobre o planeta. Nós ainda não fomos capazes de observar fisicamente o Haumea, mas sabemos algumas coisas sobre ele, como seu ciclo perpétuo de congelamento, morte e renascimento.

As análises mostram que as grandes quantidades de radiação existentes em Haumea são a principal causa do derretimento contínuo do gelo que há em sua superfície. Porém, o gelo imediatamente voltar a congelar, provavelmente porque o planeta está localizado a 7,36 bilhões de quilômetros do sol. Os cientistas também estudam a hipótese de que pode haver matéria orgânica em Haumea por causa de sua mancha vermelha. Ainda não temos informações suficientes, entretanto, para saber se essa matéria orgânica um dia descobrirá a nossa existência e redirecionará todo o seu poderio radioativo para cá. Esperamos que não.

2. Formações bizarras em solo marciano

DB-TIFF

Astrônomos da Agência Espacial Europeia registraram, recentemente, um par de crateras de quase 50 quilômetros de diâmetro na superfície de Marte. De acordo com especialistas, essass formações se deram devido a uma combinação de impactos vindos do espaço e de explosões subterrâneas. Mas por que falar disso? Não apenas porque estamos interessados ​​na causa desses eventos subterrâneos e porque somos fascinados por mudanças geológicas, mas basicamente porque essas crateras são totalmente parecidas com um par de olhos enlouquecidos.

A paisagem marciana não é o vasto deserto monocromático que você pensa. Na verdade, lá existem diversas dunas de areia, crateras e formações rochosas de outro mundo, que se encaixariam perfeitamente em uma das paisagens surrealistas de Salvador Dali. Uma montagem recente de paisagens produzida pelo sistema de imagem de alta resolução HiRISE, a bordo da sonda Mars Reconnaissance Orbiter, nos mostrou tudo, desde o que parece ser a ponta de um lápis enterrado, passando pelo que pode se assemelhar a um par de mamilos.
2--
Além de tudo isso, também é possível observar formações gigantescas de poeira correndo em toda a superfície de Marte. Sem as restrições que encontramos aqui na Terra devido à gravidade, essas estruturas conseguem crescer e se tornar muito maiores do que qualquer formação que encontramos por aqui. Se você procurar bem, pode até achar um capacete de Stormtrooper escondido entre as rochas do planeta vermelho.
2-

1. As condições extremas de Vênus e sua tempestade eterna do tamanho da Europa

1
Basta olhar para as evidências e você prontamente presume que o planeta Vênus é o retrato fiel da visão cristã do inferno. O segundo planeta mais próximo do sol é envolto por um gás nocivo e possui temperaturas de superfície quentes o suficiente para derreter chumbo. Isso sem contar a pressão 90 vezes maior do que na Terra, que transformaria qualquer pessoa imediatamente em carne moída humana.

O clima por lá também não é dos mais agradáveis. Você já ouviu falar da chuva ácida, com certeza, mas você sabia que Vênus possui um vórtice perpetuamente girando, mais ou menos do tamanho do continente europeu, que é praticamente indestrutível? Graças aos dados coletados pelo satélite Venus Express da Agência Espacial Europeia, agora sabemos que este ciclone gigantesco, chamado de Vórtice Polar Sul, se quebra e se reagrupa constantemente.

O ciclo parece ser inquebrável, o que significa que é muito provável a hipótese de que há uma tempestade eterna acontecendo em Vênus. E, reiterando, é do tamanho da Europa inteira! O vórtice é tão grande que a tempestade, na realidade, possui dois olhos (ou centros). E se uma tempestade continental imortal incessantemente furiosa não é o suficiente para te deixar assustado, bem… acho que você ficará decepcionado, pois esse é o máximo de condições adversas com as quais Vênus te presenteará caso um dia você vá passear por aquelas bandas. [Cracked]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

3 respostas para “5 coisas sensacionais encontradas em nosso próprio sistema solar”

Deixe uma resposta