Cientistas confirmam que alguns exoplanetas estão em zona habitável

Publicado em 24.12.2010

Já faz um tempo que as descobertas dos planetas extra-solares, ou exoplanetas, Gliese 581g e Gliese 581d, em torno da estrela Gliese 581, levantou a questão de eles estarem em uma “zona habitável” – a distância certa que permite que a água líquida exista.

Ou seja, os planetas representam mundos possivelmente habitáveis, e alguns estudos com modelagem atmosférica chegaram exatamente a essa conclusão. Pelo menos dois modelos já mostraram que as condições para a água líquida poderiam existir lá, o que implica fortemente que é possível.

A Gliese 581 é uma anã vermelha localizada 20 anos-luz da Terra; na escala cósmica, apenas a poucos passos. Os astrônomos detectaram seis planetas orbitando a estrela.

O Gliese 581g tem cerca de 3 vezes a massa da Terra, e é provavelmente um planeta rochoso. Fica bem no meio da zona habitável, tornando-se um excelente candidato para a água líquida e a vida como a conhecemos – se o planeta realmente existir.

Os dois planetas nos lados de 581g ficam nas bordas da zona habitável e, portanto, têm inspirado interesse e intriga desde a sua descoberta em 2007.

O vizinho interior, 581c, já foi um bom candidato para a água líquida, mas estudos mostraram que o efeito estufa provavelmente tornou o planeta muito quente.

Gliese 581d, por outro lado, fica longe o suficiente para que os cientistas pensassem inicialmente que fosse demasiado frio para a vida. Mas um forte efeito estufa poderia aquecê-lo substancialmente, talvez o suficiente para suportar água líquida.

O Gliese 581d tem, provavelmente, de 7 a 8 vezes a massa da Terra, e os astrônomos suspeitam que é rochoso. A gravidade do mundo alienígena é provavelmente forte o suficiente para segurar uma atmosfera.

Os pesquisadores modelaram as condições da superfície que poderiam resultar em diversos tipos de ambiente em 581d, usando o nosso próprio sistema solar como guia. Eles assumiram, por exemplo, uma atmosfera composta de vapor d’água, dióxido de carbono e nitrogênio, encontrados no ar dos planetas rochosos Terra, Marte e Vênus.

A equipe de pesquisadores fez simulações com diferentes concentrações de dióxido de carbono, imitando os níveis encontrados em nosso sistema solar. Eles assumiram diferentes quantidades de espelhamento de CO2 aos níveis encontrados na Terra agora, nos primórdios da Terra e em Marte e Vênus atualmente. Também variaram a pressão atmosférica de baixa para alta.

No final, os pesquisadores descobriram que vários destes cenários atmosféricos resultaram em temperaturas de superfície média acima de 0 graus Celsius, o que significa que Gliese 581d bem poderia abrigar água em estado líquido.

Junto a isso, uma atmosfera de média ou alta pressão, com 95% de CO2, deve ser o suficiente para a água líquida. Da mesma forma uma atmosfera de alta pressão com apenas 5% de CO2.

Outro estudo de modelagem atmosférica também sugeriu que um forte efeito estufa – impulsionado pela grande quantidade de CO2 – poderia tornar Gliese 581d quente o suficiente para água líquida.

Esses trabalhos, embora intrigantes, ainda são provisórios e especulativos. O maior problema é que os modelos são baseados em suposições, já que não se sabe nada sobre a atmosfera dos planetas. Além disso, os astrônomos não têm certeza de que Gliese 581d é um planeta rochoso, como a Terra, Marte ou Vênus. Eles pensam que é, com base no seu tamanho, porém mais pesquisas são necessárias para confirmar isso.

Ainda assim, a possibilidade de que 581d poderia suportar água líquida é animadora, principalmente porque o universo é muito vasto e à caça de planetas alienígenas está apenas começando.

A Gliese 581 é praticamente vizinha da Terra, e está entre as 100 estrelas mais próximas. Isso implica que planetas como esse podem ser razoavelmente comuns. [MSN]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

28 Comentários

  1. Agressivo do jeito que o ser humano é, é bem capaz de surgir um novo “nazismo” –”

    Thumb up 0
  2. orra isso tudo e muito intrigante mais eu vo se o primeiro a corre dos alienigenas ….

    Thumb up 2
  3. O problema e se o ser humano topar com outra raça inteligente num desses planetas, ia ter atrito, e dos fortes…

    Thumb up 1
  4. Todas as espécies do planeta, absolutamente todas, querem de qualquer e todas as maneiras continuar existindo. A diferença é que os seres humanos estão cientes disso, enquanto as outras espécies não estão. O motivo de querer estar vivo ou de querer manter a espécie existindo a qualquer custo (principalmente a sua própria linhagem genética) ainda não se sabe, mas qualquer espécie tentará se multiplicar até que isso não seja mais viável. Talvez nossos genes são quem realmente mandem em nós e acreditemos que estamos agindo “de própria vontade”. Quem sente o desejo de usar drogas, por exemplo, é você ou suas células?
    Enfim, as pessoas reclamam de todas as calamidades sociais que nos acometem, mas mesmo assim não param de ter 3 ou 4 filhos.
    O cálculo é simples:
    – Se cada 2 pessoas tiverem no máximo 1 filho por várias gerações, o mundo começará a ter menos gente e provavelmente haverá um pouco mais de tranquilidade;
    – Se cada 2 pessoas tiverem 2 filhos, o mundo sempre terá a mesma quantidade de gente e continuará do jeito que tá. A não ser que colonizemos novos planetas ou que catástrofes naturais expurgue aleatoriamente alguns de nós;
    – Se continuarmos a ter mais de 2 filhos por cada 2 pessoas, será inevitável procurar mais espaço pra botar essa gente, a não ser que novamente eventos naturais de grandes proporções resolva a situação, ou que nós mesmos provoquemos nossa autodestruição através de, por exemplo, consumo de todos os recursos que permitam a nossa existência.

    Mas ainda sim, querer, mesmo que inconscientemente, perpetuar a própria espécie continua sendo caoticamente natural.

    Thumb up 7
  5. Os cientistas procuram por água, não vida.
    A vida extraterrestre pode usar outra substância para viver, não necessariamente água ou oxigênio.
    Eles não estão procurando no lugar certo por vida extraterrestre.

    Thumb up 6
  6. nao imagino e nem quero imaginar isso acontecendo a humanidade colonizando outros planetas levando nossa maldade e nossa democracia corrupta para outros planetas

    Thumb up 9

Envie um comentário

Leia o post anterior:
depilaser
Depilação a laser: prós e contras

O tratamento acaba c...

Fechar