Cientistas removem genes de doença de Parkinson de células-tronco

Publicado em 9.03.2009

celula-tronco

A comunidade científica está, novamente, a um passo adiante do processo que visa transformar células da pele em células tronco (ao invés de usar células embrionárias) – e de tratar doenças como o mal de Parkinson.

Pesquisadores do the Whitehead Institute for Biomedical Research, em Massachusetts, conseguiram algo incrível usando as células tronco: removeram os genes responsáveis pela formação de câncer.

Trocar as células que possuem o gene do câncer por células tronco modificadas pode ser possível no futuro. Afinal, como as células são feitas a partir da própria pele do paciente, a chance de rejeição é mínima. No entanto, atualmente, o uso para essas células está nos laboratórios, testando o efeito de novos remédios e tratamentos, de acordo com Dirk Hockemeyer, um dos pesquisadores.

“Estamos longe de transplantar células tronco” declara Hockemeyer.

Sabe-se que, enviando um código genético, uma célula da pele pode ser alterada e transformada em uma célula tronco (que tem a capacidade de se transformar em qualquer tecido). No entanto, os resultados de um transplante ainda são imprevisíveis e há grande suspeita de que, se não forem realizados de forma correta, podem causar câncer.

O time de cientistas usou vírus para transferir três genes para células de pessoas diagnosticadas com doença de Parkinson. Depois que a informação genética foi alterada, os genes foram removidos.

O resultado foram células tronco, com as propriedades das células embriônicas, mas sem os genes da doença de Parkinson. E o DNA das células ficou praticamente idêntico ao original. [Reuters]

Autor: Alessandra Nogueira

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1 comentário

  1. uma pena que haja tanta resistência por parte da comunidade científica internacional em utilizar células totipotentes “virgens”, ou seja, cels tronco embrionárias (mórula ou blástula) ao invés de céls já diferenciadas, como as da pele. talvez essas pesquisas já estivessem bem mais avançadas ao se trabalhar essas cels antes que os antígenos de histocompatibilidade se manifestem.

    Thumb up 7

Envie um comentário

Leia o post anterior:
maio-grande
Nova roupa de banho ‘seca a si mesma’ instataneamente

Qualquer gota de águ...

Fechar