Forma de usar internet pode indicar depressão

Publicado em 17.05.2012

Segundo um novo estudo da Universidade de Ciência e Tecnologia de Missouri, EUA, a forma como as pessoas usam a internet pode indicar se elas estão em maior risco de depressão ou não.

O estudo contou com entrevistas a 216 estudantes universitários, que indicaram se eles tinham sinais de depressão ou não. 30% deles demonstraram pelo menos critérios mínimos para o diagnóstico de depressão.

Em seguida, os pesquisadores observaram o uso da internet desses mesmos estudantes e descobriram que os mesmos 30% tinham um padrão de uso distinto dos seus colegas não depressivos.

Os sinais da depressão que podem ser vistos através da internet são:

  • Mudar de páginas e aplicativos frequentemente;
  • Uso significativamente maior de softwares de compartilhamento de arquivos;
  • Atividade frequente em plataformas de mensagens instantâneas ou e-mails.

O pesquisador Sriram Chellappan explica que esses sinais fazem sentido, porque a depressão muitas vezes é associada com distração e falta de atenção (que se relacionam ao primeiro sinal), e a condição é muitas vezes sentida como uma forte sensação de solidão (que se relaciona com os outros sinais, de necessidade de interação humana, que pode ser uma resposta natural de autopreservação).

Aplicações

O cientista quer utilizar esse conhecimento para criar um software que detecte sinais de depressão em usuários da internet. O software monitoraria o uso de um indivíduo e o alertaria sobre os indicativos de depressão. Também poderia ser usado em escolas, e outros ambientes, para alertar pais, professores e responsáveis do risco de depressão nas crianças e adolescentes.

O software seria uma ferramenta eficaz para que os usuários procurem ajuda médica o quanto antes, evitando que a doença se torne grave e prevenindo o suicídio.

Depressão e seus fatores de risco

Outros estudos já relacionaram internet e depressão no passado. Por exemplo, as redes sociais, geralmente consideradas divertidas e positivas, se usadas em excesso podem ser prejudiciais. Um relatório da Academia Americana de Pediatria descreveu um novo fenômeno conhecido como “depressão do Facebook”, no qual crianças e adolescentes que gastam uma enorme quantidade de tempo em sites de redes sociais acabam desenvolvendo sintomas de depressão.

Compulsão pelo “Google” também já foi estudada. Cientistas da Universidade de Leeds mostraram que pessoas que usam ferramentas de pesquisa frequentemente têm mais chances de apresentarem sintomas de depressão. Alguns usuários desenvolvem um hábito compulsivo na internet, substituindo suas relações “reais” com relações virtuais, o que pode ter um impacto sério na saúde mental.

E outros fatores de estilo de vida podem fazer diferença. Um estudo liderado por Almudena Sánchez-Villegas revelou que consumidores de fast food têm 51% mais chances de desenvolver depressão. Quanto mais fast food você come, maior o risco de depressão. Trabalhar demais e ter enxaqueca (principalmente para as mulheres) também aumentam o risco de depressão.

E porque é tão importante evitar esse risco? Porque estudos descobriram que depressão aumenta chances de doenças cerebrais degenerativas, como demência e Alzheimer. Como se não fosse ruim o bastante ter depressão e sofrer suas consequências, você ainda pode ficar mais doente no futuro.

Fique atento e procure ajuda médica o quanto antes! Pesquisadores das Universidades de Riverside e Duke, ambas nos Estados
Unidos, sugerem mais um meio de combater a depressão, além de remédios: desenvolver gentileza e otimismo nas pessoas e produzir felicidade. Para isso, é só praticar pequenos atos de bom humor no dia-a-dia, como meditar, escrever as coisas boas que lhe aconteceram no seu dia, e ser gentil com os outros. Fácil, não?[Gizmodo]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

5 Comentários

  1. Usar fast food geralmente indica uma pessoa costumeira de maus hábitos nutricionais. Tal pessoa ainda confia perigosamente em seus próprios recursos de mocidade, e isso tudo a leva à depressão: falta de juízo.

    Thumb up 0
  2. é as vezes a vida é tão chata e sem graça; tanta gente que passa dificuldades e pior que a nossa, mais que lutam ate o final; esses são fortes, tem aquele ditado por traz de um sorriso pode haver muita tristeza.

    Thumb up 17
    • Eu sou leitor da Hypescience a uns 3 anos, acho e tudo o que eu desejava era que este artigo tivesse sido publicado a 4 dias atrás. Seria o tempo necessário para tentar ajudar minha tia que tinha todos estes exatos sintomas e que acabou cometendo suicidio. Queria ter evitado isso e ajudado ela.

      Thumb up 2

Envie um comentário

Leia o post anterior:
love-sex
Entre bons moços e bad boys, entenda o que querem as mulheres

Um homem sexy e bem ...

Fechar