Nova estratégia pode transformar computadores quânticos em realidade

Publicado em 28.02.2012

Nos últimos anos, vários métodos têm sido aplicados em busca da criação de um poderoso computador quântico, que revolucionaria a computação ao permitir o uso de qubits (unidade de informação que vai além do código binário de 0 e 1) e faria cálculos muito mais rapidamente do que um computador normal. Até o momento, nenhuma tecnologia desenvolveu tal aparelho, mas isso pode ser alcançado a partir do conceito de hibridismo de tecnologias.

Esta possibilidade está sendo estudada por cientistas de várias universidades europeias. Como se trata de computadores quânticos, estes trabalhariam com a menor partícula quântica “controlável”, o átomo. A ideia, em linhas gerais, é usar os próprios átomos como qubits, que permitem um novo leque de cálculos computacionais.

O problema é que não é fácil fazer os átomos desempenharem esse papel. Os experimentos mais avançados, até hoje, conseguiram prender em um campo elétrico não mais do que 14 átomos, por poucos minutos, para fazê-los atuar como qubits. A solução para isso já é conhecida, mas apenas teoricamente: usar fios supercondutores.

A partir de experimentos semelhantes voltados para o mesmo fim, cientistas descobriram que fios supercondutores podem ser “programados” para se comportar como qubits, o que eliminaria a necessidade de átomos. Mas o meio ambiente tende a destruir estes mini fios disfarçados de qubits, já que forçam uma condição não natural. Dessa maneira, é muito difícil manter fios supercondutores nesta função.

E neste ponto entra o hibridismo: se não dá para usar apenas átomos ou apenas fios supercondutores como qubits, talvez um computador quântico possa ser composto de ambos. Para isso, estão desenvolvendo a seguinte ideia: um disco rígido (HD) feito a base de átomos, responsável pela memória do computador, associado a um CPU composto de fios supercondutores, para o qual as informações seriam lançadas.

Em outras palavras, pretendem dividir um computador quântico em duas partes: uma fica sob responsabilidade dos átomos e outra é controlada por fios supercondutores. Em cada uma, os componentes seriam capazes de desempenhar o papel de qubits. Para que isso seja possível, o plano é usar um avançado chip feito de diamante.

De todos os materiais testados, o diamante é o que melhor consegue manter um estado elétrico alterado em seu interior (pré requisito necessário para a existência de um qubit), e também o que “segura” tal estado por um maior período de tempo.

Com um chip de diamante, os cientistas esperam que tanto o HD atômico quanto o CPU de fios possam alcançar o máximo de sua eficiência. Ainda não está claro, contudo, como um chip de diamante poderia ser moldado para dar conta desta tarefa. Este é o próximo desafio dos pesquisadores. [Science News]

Autor: Dalane Santos

Dalane Santos tem 21 anos, é recém-formada em jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e escreve para o Hypescience desde fevereiro de 2012.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

10 Comentários

  1. A idéia de computação quântica pra mim é vaga ainda.
    Na prática, isso mudará em que?

    Thumb up 3
    • um eletron (o que vai ser lido como bit) gira trilhoes de vezes por segundo seu nucleo.

      em suma, escreve ou le trilhões de vezes por segundo… muito acima da computação atual

      Thumb up 3
    • Nossa,

      Mudaria tudo, devido a propriedade probabilistica da matéria sub-atômica que permite um atomo ser 0 = ausência; 1 = presença; e o mais incrivel, 0 e 1 ao mesmo tempo.

      Resumindo, suponhamos que um computador normal tenha como problema um labirinto para achar a saida, ele terá de avaliar possibilidades 1 a 1. Já o quantico testa todas ao mesmo tempo.

      resumindo o que demoraria séculos num computador normal pode levar apenas alguns dias num computador quantico.

      Thumb up 6
    • Hum… entendi… legal sua explicação… valeu!

      Thumb up 1
  2. Ao menos quando virar sukata, poderíamos vender o diamante e comprar outro mais “venenoso”.
    Na verdade, acho que no futuro colocarão um chip na cabeça do cidadão e ele com o pensamento ouvirá músicas, assistirá filmes e outras coisas mais!
    Bem, isso se o planeta aguentar até lá!

    Thumb up 1
  3. Daqui vinte cinco anos já teremos isso nas lojas se os investimentos continuarem assim.

    Thumb up 6
    • Imagine a velocidade e coisas que poderíamos aprender graças a essa maravilha!

      Thumb up 6
    • diamantes podem ser feitos industrialmentes, aplicando calor e precao em uma quantidade de carbono !

      Thumb up 2

Envie um comentário

Leia o post anterior:
_58649496_002950295-1
Vegetarianos poderiam comer carne criada em laboratório?

A carne produzida em...

Fechar