Nova moda na Ásia: cirurgia para obter rosto “mais ocidental”

Publicado em 26.05.2011

Lee Min-kyong é uma garota coreana de 12 anos que, apesar de ser uma ótima dançarina de balé, possui uma auto-estima baixa. A solução? Cirurgia plástica para ocidentalizar os olhos, sugerida pela sua própria mãe.

“Estou animada. Depois da operação, meus olhos vão parecer maiores, acho que vou ficar mais bonita do que eu sou hoje”, acredita a menina. Sua mãe, Hyu Jang-hee, afirma que a ideia partiu dela mesma, e não de sua filha. “Estou mandando ela fazer isso, porque eu acho que vai ajudá-la. Essa é uma sociedade em que você tem que ser bonito para chegar a algum lugar. Ela é minha única filha”.

A definição de “bonita”, explica o cirurgião plástico Kim Byung-gun, não é o rosto-padrão asiático, mas algo mais próximo de um rosto caucasiano.

Kim diz que sua clínica, uma das mais bem sucedidas em uma cidade apelidada de “capital de cirurgia plástica da Ásia”, realiza cem cirurgias por dia, que vão desde operações nas pálpebras, como o caso da menina bailarina, até intervenções para raspar o nariz e remodelar o contorno da face.

As cirurgias, já populares entre os coreanos, estão em alta entre os novos ricos chineses. Cerca de 30% de seus pacientes são estrangeiros e, desse grupo, 90% são chineses.

“Os pacientes chineses e coreanos me dizem que eles querem ter rostos como os americanos. A ideia de beleza aqui é toda ocidentalizada. Os povos asiáticos querem deixar de ter os traços físicos que os caracterizam como tal”, explica ele.

E a ideia da ocidentalização não para por aí. O cirurgião-dentista Hak Jung luta contra uma tendência bizarra: as mães coreanas pedem para que o músculo debaixo da língua, que se conecta ao fundo da boca, seja cirurgicamente cortado em seus filhos.

A crença é que, dessa forma, as crianças coreanas consigam falar inglês com mais clareza. Pessoas da região do Pacífico da Ásia têm dificuldade em pronunciar o fonema “L”, diz Jung, mas ele mesmo considera a cirurgia uma loucura, causada pelo espírito competitivo na Coreia.

“Nos últimos dez anos, tem havido essa histeria de aprender inglês precocemente. Daí, as mães recorrem às mais estranhas formas de deixarem seus filhos com uma melhor pronúncia”, explica Jung.

O comentarista americano de origem asiática, Martin Wong, vê estas operações de ocidentalização como algo muito profundo do que simples procedimentos cirúrgicos. Para ele, trata-se de uma forma de “imperialismo cultural”.

“Eles estão fazendo uma declaração sobre sua própria raça, sobre de onde eles vêm e quem eles são”, declara Wong. “Eles não estão fazendo isso de propósito. Não estão dizendo que eles pensam que são inferiores ou mais feios que os ocidentais, mas essa é a mensagem que passam mesmo assim”.

Mensagem ou não, para Min-kyong, a cirurgia de 20 minutos valeu a pena e o desconforto pós-cirúrgico não foi nada em relação à satisfação com seu novo rosto. E quando a menina de 12 anos de idade se vê dançando pelo espelho estúdio, ela não pensa em imperialismo cultural. Ela só vê uma menina bonita.[CNN]

Autor: Bruno Calzavara

Bruno Calzavara é recém-formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e está de volta à equipe do Hype após dois anos. Adora todos os esportes, exceto futebol. Gosta de chocolate e de sorvete, mas não de sorvete de chocolate.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

41 Comentários

  1. A realidade, é que a mídia é fodaca no padrão ocidental estético de beleza, isso ocorre também no japão e na China.
    Não pensem vocês que os branco europeus são lindos assim. A maioria é extremamente feia e horrenda, e não há olhos azuis ou cabelos loiros que salve, quanto a pessoa é realmente feia.
    Temos que saber diferencial pardrão estético de beleza da realidade, pois são totalmente contraditórios. Raramente há uma pessoa que se encaixe no padrão de modelos suécas altas.
    Outra coisa. Já está provado que pessoas idiotas que cresceram baesado a realidade em programas de tv e modinhas idiotas, acaba adotando um padrão comportamental e estético totalmente fora da realidade. Não é atoa vermos tantas garotas sofrendo de anorexia para ficarem com corpinho de Barbie.
    Quanto a mixigenação. Não há criação de gente feia, apenas uma somatória de genes aloatórios. A maioria das pessoas da Terra, 99%, são feias. Entendam isso! Isso se reflete também na mixigenação. Gente feia com gente feia, igual gente feia. Raramente pessoas binitas nascem de gente feia.
    Parem com esse nazismo racil ridículo.
    O ator Keano Reeves é idolatrado pela mulherada, mesmo sendo um mestiço de caucasiano com asiáticos/japoneses.
    http://www.best-cine.com/wp-content/uploads/2011/04/cinema-Keanu-Reeves.jpg

    O que esta acabando com o mundo, são as políticas multi culturais, obrigando povos com cultura mais evouida, a conviverem com pessoas que vieram da ásia ou da áfrica, sem que o segundo aceite viver na sociedade do primeiro. Pegue como exemplo, os muçulmanos, que estão dominando a Europa. Ele não mudam seus costume, matam suas filhas em nome da honra, não tem vonvade de aprender a língua nativa, são totalmente anti sociais com os outros ocideitais, sem falar que muito estupram as mulheres ocidentais não muçulmanas. Onde isso irá parar? Está paracendo essa atrocidade de cotas raciais, onde se pega uma pessoa sem capacidade intelectual para ingressas numa universidade, e a joga de qualquer jeito, sem o menor preparo. Como acham que vão se comportar essas pessoas no mercado de trabalho?

    Thumb up 0
  2. concordo com marcela os mestiços são bonitos e mostram também a evolução dos povos.por exemplo daqui a trinta nos não haverá mais ruivos por que para nascer uma criança ruiva é necessário os dois pais seres ruivos!Apesar da menina esta mais bonita agora acho que a aparecia americana esta fora de controle!a diversidade e um dos grandes bens da humanidade!

    Thumb up 3
    • Argumente, por favor.

      De que maneira os mestiços mostram a evolução dos povos?? Achei que as populações isoladas mostrassem isso melhor, visto que possuem um conjunto de características que se harmonizam, já que apareceram sob pressão evolutiva em conjunto.

      Não entendi direito: você está feliz porque não existirão mais pessoas ruivas?? Que tipo de superstição é essa??

      Completamente contraditória: se vc gosta de diversidade, por que diabos comunica tão alegremente a extinção dos ruivos??

      Thumb up 7
  3. Para mim, não mudou quase nada. Se melhorou, foi uns 10% e olha lá.

    O que é indesejável no rosto dos asiáticos, e que eles querem mudar por meio de cirurgias, são as seguintes caracteríticas:

    Olhos muito fechados, paracendo que tá com conujuntivite.

    Cara muito redonda, parecendo que está inchada.

    Nariz achatado, tipo de boxeador.

    Thumb up 4
    • Primeiro: tome cuidado com o que vc estimula. Como diz o ditado: cuidado com o que deseja, pode conseguir.

      Observações importantes: Se vc estimula miscigenação de populações não ocidentais, com ocidentais, usando como base a atual porcentagem de caucasianos na Terra, é provável que ocidentais se extinguam rapidamente, se somar-se ainda a recessividade geral do fenótipo indo-europeu.

      Depois: mestiços são lindos, é o que vc disse. Porém, vc apenas estimula a miscigenação com ocidentais. A questão que se levanta é: mestiços de orientais com ameríndios, são bonitos ou não?? Mestiços de africanos e orientais?? Mestiços de sul asiáticos e australomelanésios??
      Ou seja, se excluirmos o sangue ocidental(leia “caucasiano”), ainda haverá beleza??

      Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
casa
ONG ensina a construir casas à prova de desastres

A ONG Build Change e...

Fechar