Segredo da sujeira do umbigo é revelado

Publicado em 4.03.2009

Após três anos de pesquisas, cientistas austríacos descobriram uma espécie de pêlo que atrai fiapos de algodão para o umbigo. O químico Georg Steinhauser, que realizou o estudo, fez a descoberta depois de analisar cuidadosamente 503 fiapos que retirou do próprio umbigo.

Análises químicas mostraram que os fiapos do seu umbigo não são apenas feitos de tecido. Em sua composição encontram-se fragmentos de pele morta, gordura, suor e poeira.

A pesquisa do Dr. Steinhauser mostrou, também, que alguns pedaços da “flunfa” (como alguns chamam a sujeira) são, originalmente, formados no cabelo e, durante o dia, eles descem pelo corpo e vão parar no umbigo.

Os pêlos que as pessoas tem espelhados pelo corpo e, principalmente, ao redor do umbigo, possuem escamas que, para o químico, funcionam como pequenos ganchos. Esses ganchos aumentam o atrito entre o tecido das roupas e o corpo, fazendo com que fiapos se soltem e vão parar no umbigo no fim do dia.

Steinhauser também pesquisou a sujeira umbilical de seus amigos e da sua família. Depois disso concluiu que, se o pêlo ao redor do umbigo for retirado, o resultado é um umbigo livre de fiapos – mas só até o pêlo crescer novamente.

Outra sugestão para manter seu umbigo livre de fiapos é usar apenas roupas velhas – já que, por estarem mais gastas, elas tendem a soltar menos fiapos. De acordo com a pesquisa, um milésimo do peso de uma blusa nova pode parar em seu umbigo no período de um ano.

Há, também, a idéia de usar um piercing no local, afinal ele impediria a entrada dos fiapos antes que eles se alojem no fundo de seu umbigo.

Steinhauser, cujo outro projeto é o estudo da erosão em sua aliança de casamento, declara que a verdadeira natureza da sujeira do umbigo é um assunto mais preocupante do que pode parecer.

“Espero poder passar informação para aqueles médicos que são contemplados com perguntas como: ‘porque alguns umbigos coletam mais fiapos do que outros?’” explica o austríaco.

Um estudo anterior, que contou com as “amostras” de 5 mil voluntários, mostrou que os “hospedeiros normais” dos fiapos de umbigo são homens de meia idade, com excesso de peso e com a barriga peluda.

Outro pesquisador, Karl Kruszelnicki descobriu até mesmo o motivo da cor, normalmente azulada, dos fiapos. “Usamos mais calças azuis e cinzas. Jeans, na maioria das vezes. E, como o atrito entre o tecido e nossos corpos é normal, alguns fiapos acabam em nossos umbigo.

No entanto, há o curioso caso de Graham Baker. O médico australiano descobriu que a sujeira de seu umbigo é vermelha – no entanto, ele dificilmente usa roupas dessa cor. Curioso, Baker coleta suas amostras e as guarda em potes desde 1984. O costume lhe rendeu um lugar no Guiness: a maior coleção de “flunfa” do mundo. [Telegraph]

Autor: Eduardo Martins

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

24 Comentários

  1. Eu nao acho serto gastar dinheiro com coisas sem tanta importancia, mas vejamos o lado bom vcs nao entraram nesse site atoa, ficaram curiosos com algo e querendo ou nao provavelment respondeu auguma duvida intao acho q é iguinorancia d quem fala mal pq se o cite nao tivece publicado, nem materia pra comentar vcs teriam mesmo q seja mal. idaí q o cara quis colecionar flunfas? pelomenos ele fez alguma coisa ao invez de falar mal do feito dos outros!

    Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
raiva-grande
Explosão de raiva é bom para carreira

Uma nova pesquisa af...

Fechar