10 Tecnologias resistem bravamente à extinção

Por , em 13.07.2010

As tecnologias obsoletas, para as quais já existem substitutos mais eficazes, sumiram completamente do mapa? Bem, ainda não. Embora não sejam mais usados pela maioria, alguns aparelhos que eram muito úteis no século passado continuam em voga – alguns mais, outros menos -, por diversos motivos: falta de recursos para comprar aparelhos novos, utilidade ainda presente nos velhos, ou simplesmente saudades dos tempos antigos.

10 – Telegrama

Foi uma das revoluções da comunicação no século XX. Em 1929, no ápice desse recurso de linguagem, foram enviados mais de 200 milhões de mensagem de pontos e traços, convertidos para letras – o famoso código Morse. Em 2006, no entanto, um dos pilares do telegrama foi definitivamente enterrado. A Western Union, instituição que mais transmitiu telegramas na história, fez sua última transmissão. Ainda se mandam telegramas, mas ele já perdeu todo o seu sentido prático; é apenas usado por entusiastas e radioamadores.

09 – Máquinas de escrever

Esse aparelho deveria entrar em uma completa inutilidade com a massificação dos computadores, já que, se não é todo mundo que pode ter um computador, os profissionais que ganham a vida escrevendo de alguma forma têm acesso a esse recurso. Mesmo assim, nem todo mundo desistiu da máquina de escrever. Em Nova York (EUA), por exemplo, cerca de um milhão de máquinas de escrever ainda são mantidas em funcionamento, por aprendizado, saudosismo ou preservação da história.

08 – Fax

Embora a maioria tenha desistido de usar fax – que surgiu em 1947 e aparentemente mal durou meio século -, ele ainda tem utilidade real para algumas tarefas. Criado para transmitir, a longas distância, cópias idênticas de documentos (ou fac-símiles, daí vem a abreviação fax), ele segue tendo essa função para quem deseja comprovar a autenticidade de papéis importantes. E não são poucas pessoas, cerca de meio milhão de fax foram vendidos ano passado, para céticos profissionais da advocacia, de imobiliárias e corretoras de seguros. Para algumas atividades, o documento enviado por email, em pdf, ainda não tem a mesma confiabilidade do fax.

07 – Telefones “com fio”

Pode parecer loucura, mas o telefone comum, que é presença comum em nossas casas, já poderia ter sido totalmente suplantado pelos celulares e se tornado peça de museu. Mas há algumas razões para que a mudança ainda não tenha sido completada. Primeiro, o telefone da parede não tem uma bateria que precisa ser recarregada em poucos dias e não deixa de funcionar quando a companhia de luz não atende nossas necessidades. Além disso, muitas pessoas não gostam muito de todos os outros acessórios – calculadora, joguinhos, conversor de medidas e músicas – que vêm juntos, preferem um simples telefone. 95% dos idosos americanos ainda não adotaram o celular porque consideram o velho telefone mais confiável para pedir ajuda, para contatar a ambulância, a polícia ou a enfermeira. Ainda há cerca de 100 milhões de telefones funcionando nos EUA: os outros já passaram para o celular. A questão é até quando a original invenção de Graham Bell irá sobreviver.

06 – Toca-discos

Contrariando as previsões de que os CDs e o MP3 acabariam por varrer o disco de vinil do mapa completamente, essa mudança criou uma legião de fãs do grande disco preto. Uma gravadora americana fez um levantamento que constatou um aumento nas vendas dos discos de vinil do ano passado para cá – de 1,9 para 2,8 milhões de unidades -, mesmo agora que o império da música digital e portátil já se colocou sobre a indústria musical. Comparado à venda de CDs (374 milhões) e downloads de músicas na Internet (1,2 bilhões), esse número pode não representar muita coisa, mas os devotos do gramofone têm uma opção adaptada para a nova era: toca-discos digitais, que podem converter músicas do vinil para o seu PC, a fim de se ouvir no IPod. É um método menos violento de desapego…

05 – Caixa registradora

A caixa registradora parece estar com seus dias contados, já que as grandes lojas já adotaram sistemas computadorizados para as atividades do caixa. Um software que faz cálculos imediatos, contabiliza produtos e soma preços automaticamente é realmente uma facilidade comparada ao método manual das maquininhas do “dim-dim”. Esses sistemas computadorizados, no entanto, ainda são caros, razão pela qual muitos lojistas ainda não os adotaram.

04 – Polaroide

Em fevereiro de 2008, a fotografia digital fez uma vítima na sua caminhada rumo ao progresso. A empresa Polaroid, que produzia câmeras de fotografia instantânea – a foto é revelada na hora – foi á falência, derrotada pelas tendências do século XXI. Para que os amantes da foto instantânea possam continuar usando essa tecnologia, a Polaroid foi comprada por outra empresa, que agora continua a disponibilizar a foto instantânea.

03 – CDs e DVDs

Com a popularização das mídias digitais, que, em seu sistema de downloads e armazenamentos virtuais, têm colocado o IPod nas mãos de milhões de pessoas, os discos já estão ficando para trás. A tendência não poderia ser diferente, já que a mídia virtual apresenta maior capacidade, velocidade e facilidade do que estes; basta comparar, por exemplo, o armazenamento de um arquivo em um PenDrive com a gravação de um CD. Um dia, os CDs terão o mesmo destino dos disquetes – a nossa memória na era dos computadores.

02 – Televisão analógica

Ainda vai levar um tempo para que a TV digital destrone completamente a analógica da sala de estar das pessoas. Só nos Estados Unidos, 90 milhões de tevês analógicas foram vendidas no último ano. As razões para essa resistência no mercado são durabilidade, preço baixo – bem mais baixo, pelo menos por enquanto – e também a qualidade das imagens. Parece besteira, mas os sinais digitais ainda estão em adaptação e alguns experimentos deram errado – a TV analógica, por enquanto, ainda é a mais garantida. Além disso, a manutenção da TV convencional é complicada, e as pessoas preferem simplesmente comprar outra; portanto, ainda há demanda.

01 – Radioamador

A CB (Banda do Cidadão) foi uma faixa de Rádio (27 MHz) disponibilizada pelo governo americano nos anos 50 para uso popular. A partir daí, pessoas de todas as partes do mundo passaram a poder usar as ondas de rádio por diversão, sem vínculo com nenhuma emissora. Essa atividade, hoje em dia, está caindo em desuso, mas ainda se pode conseguir uma licença para ser um Radioamador. [msnbc]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

36 comentários

  • Franco4:

    As pessoas são muito desinformadas com relação a tecnologias novas e antigas pois são levadas pela propaganda enganosa dos fabricantes, que tem um único objetivo: faturar mais com produtos de baixo custo de produção. Dois exemplos básicos de que tecnologia nova não significa melhor qualidade. Tvs de LCD ou plasma: Perdem feio quanto a qualidade dos velhos CRT. Os tubos tem uma taxa de contraste acima dos 50.000, para se ter uma idéia deste parâmetro o olho humano tem uma taxa de contraste de 130.000 ou mais, enquanto os lcs não passa de 2.000 e as plasma de 10.000. Nas tvs de lcd as cores são imperfeitas e as imagens borram em cenas de velocidade, as plasmas são melhores nestes items. A solução p/as velhas tvs de lcd, “velhas” pois ficarão absoletas em breve quando a tv de oled “led orgânico” ficarem mais baratas, pois tem uma taxa de contraste proxima ao CRT. Quanto aos toca discos e a midia analógica como vinil ou fitas de rolo, estas tecnologias são imbatíveis, não tem pra ninguem, nem dvd ou blue-ray a midia digital é melação só, mais quantidade e pouca qualidade. Se vc passar uma midia digital em um analizador de espectro de audio o cd, dvd ou blue-ray não passam de 40% do audio original, enquanto o vinil e a fita chega a 70% por uma simples e básica lei da física: todo som e imagem é analógico e não digital. Não existe, portanto musica digital ou imagem digital, é mito. O movimento e a vibração é analógico ou contínuo, e não fragmentos binários. Para vc curtir seu blue-ray, dvd e cd tem lá um chip que converte a papagaiada digital para analógico senão vc não houve a música ou a imagem e é esta conversão que na musica se processa toda a perda do espectro de audio. O PCM foi inventado na decada de 30 mais sua utilização prática se deu na era espacial quando os russo fizeram a primeira transmissão digital das fotos do lado oculto da lua. Neste caso o processo da transmissão digital não sofre interferências das radiações solares como sofre a transmissão analógica. A transmissão em PCM a mãe de todas as tecnologias hoje utilizadas nos modernos celulares e nas tvs de transmissão digital, veja bem “transmissão” não imagem digital. A pior de todas as mídias: o mp3 10% do espectro de audio.
    Franco.

  • Jadson:

    Infelizmente o site não prioriza a realidade brasileira e teima em traduzir pesquisas americanas para tudo: “100 milhões nos EUA… disponibilizado pelo governo dos EUA…, etc”. Não somos norte americanos, vamos dar um pouco de valor ao que existe de bom no Brasil. Prova do que falo são os usuários de rádio amador que comentaram nesse post, não vi nenhum americano falando sobre o assunto…

  • Augusto:

    Comentando o erro acima sobre Radioamadorismo e CB (PX) Banda do Cidadão, São Categorias Diferentes,

    Radioamadorismo tem uma Grande Disputa de Fabricantes de Marcas Famosas Japoneses ou Americanos que sempre tem novidades com lançamentos de linhas que acompanham e até superam Tecnologias usadas em comunicações,Por exemplo Internet Banda larga em 1.2GHZ, Dstar você fala com o Mundo em VHF em Salas Privadas, Satélites de Radioamadores que estão lá no espaço, só para Licenciados Falarem, mandarem Fotos, SSTV Sinais Digitais, e até Reflexão Lunar Uma Atividade com grande abrangência, até através de um Computador voçe fala com um Radioamador em qualquer lugar do mundo, até os Astronautas lá no espaço completam suas conversas com Radioamadores do mundo Todo, Foi o Caso de Marcos Pontes ( Astronauta Brasileiro).

    Diferente do CB PX que não evoluiu.

    Quem Fala da decadência do Radioamadorismo devia primeiro conhecer a atividade para comentar, procurar um Radiamador atualizado na Tecnologia, não aquele Radioamador desatualizado que não evoluiu no Tempo que ainda tem Radio Valvulado.

    • rafael:

      é o radioamador nasceu do px e em 98% dos casos o radioamador começou com radinho de px né.
      E com certesa o radio px evoluiu, como os equipamentos de radioamador, entretanto a maioria dos equipamentos de radioamador HF possuem a faixa dos 11m ou px e tambem temos muitos radioamadores que estao ate hoje na frequencia…
      Nao defendendo os 11m px e nem os radioamadores mais com certesa sao diferentes mais somente na frequençia pois temos muitos operadores radioamadores que estudam para fazer o exame e nao praticam normalmente a etica e a tecnica operacional, nao esquecendo tambem que tambem temos esse tipo de pessoas no 11m px entao resumindo “somos todos irmao nesse pequeno mundo´´

  • PY2WAR:

    Gente, tem coisas que caem em desuso, mas dizer que radioamaorismo esta em desuso é um sandisse. Existe uma indústria de alta tecnologia que fabrica equipamento de ponta, e vale lembrar o número de radioamadores está aumentando.

    Visitem os sites de alguns fabricantes e verá, e ainda muita coisas que se tem hj em termos de comunicação, internet e todo esse mundo vem do radioamadores, por experiências e estudos.

    Além disso a reserva estratégica de um país conta com a comunicação via rádio, apagão, chuvas tudo isso acaba com as tecnologias comuns.

    Ah, e Faixa do Cidadão não é radioaamdorismo, por favor!

    Informar-se é melhor do que publicar algo que não reflete a verdade!

    73!

  • Romero:

    Que monte de trankera,por mim já estariam todas no lixão mais próximo,kkkkkkkkkkk

  • fernando:

    Nota-se total falta de informação do repórter em escrever a matéria.Mistura CB com radioamadorismo!!!!!Alias,para ser jornalista ultimamente,não está nem precisando fazer faculdade.Acho que entrará em extinção tambem.

  • Silvio Freire:

    O fato é que as tecnologias sobrevivem porque as pessoas ainda as usam e em alguns casos elas são insubstituíveis, por exemplo:
    -Telegrama, com confirmação de entrega torna-se um documento comprobatório do recebimento de uma informação.
    -Fax, há muitos momentos em que o fax é a maneira mais prática e rápida de mandar informação.
    -Toca-discos, é comprovado que o som do toca-discos é superior ao CD.
    -Polaroid, já existe tecnologia para fotografar digitalmente e imprimir em uma impressora portátil. Só que é caro e ainda inviável por causa disso. E não existe a “mágica” da imagem aparecendo.
    -TV analógica, é obviamente preço o motivo da sobrevivência. TV LCD é um dos 10 maiores objetos de desejo dos brasileiros. Só que vai levar alguns anos para todos comprarem. E a TV analógica velha vai ser reaproveitada em outro lugar da casa.
    -Caixa registradora? Preço!
    -Telefone com fio, mesmo com telefones sem fio domésticos, toda casa sempre tem um daqueles velhinhos, que será o único a funcionar se acabar a luz.
    -Máquina de escrever, o mesmo motivo, com menor ênfase, claro.
    -Rádio amador é rádio amador, é único, não tem nada a ver com Faixa do Cidadão, Walkie-talkies, rádio comunicação naval ou telefone por satélite. E quem usa é um apaixonado com amigos no mundo inteiro.
    -CDs e DVDs serão como LPs, serão guardados por quem gosta.
    E acho que esqueceram do VHS.

  • Eduardo Garcia:

    @vielmond:
    Tenta ligar um carro com carburador ne um dia muito frio!
    @Fabius: Aquelas “impressoras velhas” devem ser as matriciais
    não são pq as pessoas gostam de coisas velhas mas pq a fita “cartucho” é muito mais barato do que qualquer jato de tinta.

  • Cleber A M:

    Pessoal , aquele motorzinho de dentista , pelo amor de Deus , ainda temos que ouvir na sala de espera aquele barulho maldito.

  • Josenildo:

    Apesar de está lista como a número um, devemos lembrar que nos recentes grandes desastres (Haite e Chile) as primeiras notícias chegaram por rádio amadores, só depois foram divulgadas na internet e as demais mídias.
    Rádios amadores, acima de serem um hobby, permanecem sendo muito úteis.

  • willney:

    Tenho em casa uma náquina de escrever, imagine quando falta energia? Outra coisa: é um charme o som de suas téclas e campainha:)

  • adlberto:

    quero ver é substituirem o papel higiênico. e olha que ele é velho

  • RICARDO PU2OKE:

    Nos Radio-amadores Brasileiros, não deixamos nosso Hobby por nada, mesmo com um ciclo solar tão Baixo que não nos favorece nossos comunicados via radio e a migração de varios colegas para novas tecnologias de comunicação como mensageiros eletronicos, telefonia celular, internet, etc…
    É o único meio de comunicação em caso de emergencia, estados de calamidade,catastrofes, terromotos, furacões, etc…
    Somos o Back up de redes de emergencia.
    S.RICARDO – ESTAÇÃO DE PU2OKE – MOGI DAS CRUZES – SP. GG66vl

    • Augusto Ferreira:

      Beleza, Ricardo!
      Não entendo pq o pessoal insiste em dizer que nosso hobby está ultrapassado, principalmente depois do advento de outras modalidades de comunicações.
      Gostamos da comunicação via rádio por si só. O que buscamos não é simplesmente o resultado final de nos comunicarmos com alguém, mas a forma com que fazemos isso.
      Seria algo tão absurdo como criticarmos quem tem em velejar seu grande hobby, sendo que barcos à motor já existem há muitas e muitas décadas, ou ainda não entendermos os motivos que levam uma pessoa a ficar por horas e horas pescando quando poderiam simplesmente comprar peixes em qualquer supermercado.
      Assim como velejar, pescar, etc., a comunicação via rádio é uma paixão que satisfaz nossos corações, e não apenas uma necessidade básica de comunicação pois, se assim fosse, bastaria pegarmos um telefone, acessarmos um chat via MSN ou Skype, etc…
      Um grande abraço

  • vielmond:

    Nunca fiquei na estrada com um carro antigo. Já com carros atuais, ocorreu varias vezes de ter que rebocar o carro para a oficina porque a porta trancou.Mais ainda: para que serve o sensor de oxigenio para um carro que não “voa” a mais de 2000 metros. E por final, além de ser mais difícil regular um motor com injeção eletrônica (só em oficina especializada), o consumo de combustível não compensa apesar de todos os gadgets que transformam o automóvel em artigo de bazar……..só falta acrescentar o jogo da velha para se distrair …..e acabar no necrotério !
    Não sou contra a tecnologia que facilita nossa vida. Faz 29 anos que tenho computador em casa. Falando nisso só ir na internet para clicar “só leitura” e ver como esse comando complica, para muitos, o manuseio dos arquivos!

  • Fabius:

    Em meu trabalho, existe alguns momentos que é necessário o envio de certificados urgentes, e eu SÓ posso fazer isso via FAX!!! A maioria das empresas usam fax, eu achava obsoleto atualmente mas realmente não é.

    E sobre Máquinas de escrever, lojas menores emitem ainda a famosa notinha fiscal por ela…. e essas notas são imprimidas com aquelas impressoras velhaaaassss pra xuxu! heheheehe

  • Rowibema:

    “toca-discos digitais, que podem converter músicas do vinil para o seu PC…”
    Como é isso? Tenho cerca de dois mil discos de vinil. Seria mais fácil ouví-los via PC!

    • Augusto Ferreira:

      Apesar do tempo decorrido desde sua pergunta, sendo que acredito que já tenha obtido a resposta há meses, resolvi responder seu questionamento mesmo assim:
      Existem no mercado alguns toca-discos com conexões USB que, ligados à um PC, permitem que o sinal lido pela agulha seja enviado ao computador, gerando arquivos naquele local.
      Não lembro de detalhes agora, mas existem os Numark’s (ION)etc… e com preços bastante acessíveis, se bem que a parte analógica destes aparelhos deixam MUITO a desejar em relação aos toca-discos realmente de alto nível que existiam (e ainda existem, pois seguem sendo fabricados)… mas quebram muito bem o galho.
      Espero ter ajudado.
      Um abraço

  • Farofa:

    Uma vez eu vi uma polaroid digital

    E rádios amadores ainda não estão completamente banidos. Basta você ir em algum encontro de jipeiros, você verá que muitos deles tem um radio amador no interior de seus carros… è muito divertido fazer um rali e falando baboseiras para que estiver ouvindo.

  • Stella Paiva:

    Gente, o telegrama ainda é insubstituível! Que outra forma de rapidamente alcançar alguém que não tenha acesso à internet e cujo telefone esteja com defeito (fato nada raro, aliás)? Outro dia eu estava louca pra saber do meu mecânico quando o carro ia ficar pronto; ligava pra oficina sem parar, mas parece que ninguém lá escuta o telefone tocar. Daí, mandei um telegrama (pela net mesmo): “por favor me ligue”. Foi tiro e queda! O telegrama transmite uma tremenda sensação de urgência, ninguém resiste!

  • Astronomo Amador:

    Radiomadorismo usa a mesma tecnologia que os governos usam, o rádio e satélites. Não tem nada de antiquado, por ex! Usa a internet (o chamado packet radio e até reflexão lunar e por meteoros).
    Além do mais ele é um hobby e como tal não fica desatualizado. Da mesma forma que o Hubble não aposentou os astronomos amadores e nem as ferramentas eletricas o serrote e martelo.

    • Augusto Ferreira:

      Exatamente isso…
      Como comentei logo acima, radioamadorismo é um hobby, e não tem nada de antiquado (ou alguém imagina que um rádio que chega a custar até perto de R$ 40.000,00 é construído com tecnologia ultrapassada?).
      Se fosse assim, qual o motivo de ainda existirem veleiros se podemos usar motores de pôpa? Ou porque ficaríamos horas a fio pescando com um caniço e carretilha, se poderíamos simplesmente comprar peixes no supermercado? Ou pq correríamos maratonas se poderíamos ir de um ponto ao outro usando um confortável automóvel com direção hidráulica e ar-condicionado?
      Hobby não tem esta idéia de ultrapassado… hobby é hobby e pronto.
      Grande abraço

  • Paulo Roberto:

    O homem não é uma tecnologia – ela é a sua essencia de crescimento enquanto criativo e eficácia cerebral. Eis por que novas produções substituem outras que atenderam num momento da escala de crecimento do homem, mas que frente a esse outras facilidades se impõe e portanto, cria-se mecanismos facilitadores. Todas são úteis, foram úteis, mas se retiram para dar vez aqueles que permitam uma vida mais confortável ao homem, ou alguém acha que estando na Idade da Pedra uma diligência puxada a cavalos não facilitou a vida e, posteriormente, na Idade Média, um automóvel a vapor não aliviou sobremaneira a dureza das carroças? É isso: crescer sempre, facilitando a vida do homem, que também já puxou uma jornada diária de 18 hs e que tende cada vez mais para uma almejada diária de 4 a 6 hs, que redundará em muito a uma excelência na qualidade de vida.

  • Lucas:

    Cara os Cd’s nao serao substituidos tao cedo, tanto que ja temos um novo formato de midia que o o blu-ray, a maioria das pessoas nao gosta do formato digital, prefere midia fisica mesmo sendo mais cara, mais lenta, e ainda ocupar “espaço” e consequentemente gerar lixo num futuro proximo

  • Antonio Tacito de Souza e Silva:

    Sempre terão lugar, até porque muitos não abrem mão por vários
    motivos, quer seja sentimental ou mesmo hoby.
    De qualquer forma, é sempre bom curtir o que nos traz prazer
    ou simplesmente uma boa nostalgia…..

  • Mara:

    Herculano, o homem está sendo substituído aos poucos. E é tão imperceptível essa mudança que quando ele “acordar” não será mais humano.

  • Janette Carvalho:

    A superação do vinil ainda resiste. Eu mesma tenho coleções de discos longplay,entre nacionais e estrangeiros, com qualidade de som inigualável. Um toca discos que me oferece a chance de ouvir sons sem distorções.

  • Alex Keher:

    Ok,
    Essa lista pode crescer muito:

    Disketes – ainda há quem use e até o ano passado a Receita aceitava declarações em DSKs preferencialmente.

    Lâmpadas Incandescentes – Gastam mais, esquentam mais, queimam mais facilmente mas continuam por aí em quase todos os lares.

    Monitores CRT – Feios, obsoletos e cabeçudos ainda são vendidos novos.

    Carros carburados – os puristas não gostam das soluções eletrônicas e sondas lambdas.

    Câmbio Manual – É difícil, chato e cansativo mas ainda são maioria absoluta.

    Manivela em janelas de automóveis – Principalmente nas portas de trás dos mais populares.

    E finalmente o jornal – não falo de substituí-lo por Ipads ou kindles não. Falo de papel mesmo, mas num formato mais fácil de carregar, folhear … por que diabos não mudam isso?

  • Kerensky:

    Toca discos não são peça de museu. Eu mesmo tenho um e o prefiro mil vezes do que o surround 5.1 do meu pc…sou músico, e posso dizer com certeza que o vinil tem uma qualidade maior que a mídia digital…o som tem profundidade, é orgânico. Viva o vinil \o/

  • Daniel:

    As tecnologias mais bobas são as que sempre existiram, canetas,agulhas,cadeiras,rolhas e etc….

  • Gustavo:

    Apenas acho que os motivos errados foram citados para justificar a sobrevivência do telefone “com fio”: É mais barato que celular, na maioria das vezes tem mais qualidade nas chamadas. (Não são os joguinhos que fazem com que não se migre).
    Outro motivo é que a linha do telefone ainda é um dos principais meios de distribuir internet rápida.

  • Espedito:

    hittalo, aprender a escrever corretamente é o primeiro passo para se tentar criticar. Na minha opinião a matéria é bem interessante!

  • hittalo:

    que ideotese procurem coisas mis interessantes tava BON D+

  • Mota:

    O texto dá impressão de por tudo no mesmo saco.

    “Radioamador” não é o mesmo que CB´S”

    O Radioamador opera em todas as bandas que lhe são atribuídas internacionalmente, inclusive comunicações via satélite.

    Para ser Radioamador, é necessário ter conhecimentos de electricidade e electrónica e fazer um exame de aptidão, onde lhe é atribuído um indicativo reconhecido universalmente. Por exemplo as letras iniciais identificam o país: PY1XXX = Brasil, CT1XXX= Portugal, FR1XXX= França etc.

    Já para emitir na Banda do Cidadão (CB) é só necessário comprar o equipamento e a licença.

  • Herculano:

    Saudações.
    Há ainda uma outra tecnologia que resiste além de todas as mostradas, embora haja grande esforço em substituí-la. O homem!

Deixe seu comentário!