15 coisas no seu corpo que são inúteis, mas que já possuíram uma função

Por , em 5.04.2016

O corpo humano é impressionante – a forma como funciona, seus mecanismos para nos manter vivos e tudo o mais. No entanto, nem tudo é perfeito. Algumas coisas que na realidade nos atrapalham ou são absolutamente inúteis ainda estão caminhando para a extinção, ou são coisas que precisamos conviver para atingir um segundo objetivo. Como:

Alergias

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 1
Por que existem alergias? Elas são imbecis, visto que reagem mal a coisas que não nos ameaçam (como o pólen de flores ou amendoim). Segundo vários estudos, a resposta para isso pode ser um “erro”. Certos compostos que causam alergia se assemelham a proteínas encontradas em parasitas, de forma que as reações alérgicas podem ser respostas imunes mal adaptadas.

Pelos púbicos

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 2
A evolução tratou de se livrar de quase todos os nossos pelos, exceto em alguns lugares do corpo, onde eles continuam a ter funções importantes. Por exemplo, o cabelo que protege o nosso couro cabeludo. Mas e os pelos púbicos? Uma hipótese é de que existem para aumentar o cheiro que liberamos para atrair potenciais parceiros, visto que é um dos locais do corpo onde mais suamos.

Dedos enrugados

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 3
Estudos já sugeriram que a forma com que nossos dedos se enrugam quando passamos muito tempo na água é uma maneira do corpo de aumentar a aderência, evitando deslizes e escorregamentos.

Cócegas

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 4
As cócegas são valiosas lições sociais. Por um lado, elas podem ser um mecanismo para a ligação social entre pessoas, ajudando a estabelecer relações entre membros da família e amigos – afinal, é um momento de carinho e riso. Além disso, muitas partes do corpo mais sensíveis às cócegas, como o pescoço e as costelas, são também as mais vulneráveis em um combate – logo, as crianças podem aprender a proteger essas partes vitais durante as “lutas de cócegas”, uma atividade relativamente segura.

Sons agudos

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 5
Sons irritantes como o arranhar de unhas em uma lousa são tão enlouquecedores para nós porque, no passado, esses barulhos de alta frequência poderiam fazer parte de um “sistema de aviso” entre humanos, a fim de anunciar perigo.

Dente do siso

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 6
Antes, nossos antepassados mastigavam muito mais plantas e alimentos crus, e tinham mandíbulas maiores. Depois que passamos a cozinhar, ao longo dos anos, nossas mandíbulas diminuíram e o siso deixou de ser necessário. A evolução já se encarregou de livrar alguns de nós desses dentes, mas ainda serão necessários mais uns bons anos para que todos nasçamos sem essas inconveniências.

TOC

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 7
O transtorno obsessivo-compulsivo é uma condição debilitante que pode atrapalhar muito a vida da pessoa. No entanto, pode ser que esse comportamento tenha sido muito útil no passado – por exemplo, quando as pessoas tinham que constantemente se preocupar com coisas cotidianas, como “o que é e de onde vem esse barulho?”. Logo, existe uma teoria de que obsessões e compulsões são originárias da sobreatividade de um módulo mental que a maioria de seres humanos possuem e tem a função de imaginar situações de risco, sem intervenção voluntária.

Enjoos matinais

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 8
Evolutivamente falando, tais ânsias podem ter salvado a humanidade. As comidas mais propensas a causar enjoo (carne vermelha, ovos, aves, peixes) são também mais propensas a conter parasitas. Além disso, o primeiro trimestre é o mais vulnerável para o feto.

Engasgar

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 9
Engasgar é um fenômeno basicamente humano. Outros animais não passam por isso. Nós passamos, basicamente, porque podemos falar. Nossas cordas vocais evoluíram muito para baixo na garganta, a fim de nos presentear com uma ampla gama de sons, mas como a laringe fica tão perto do esôfago, a comida que fica presa ali pode cortar nosso suprimento de ar.

Arrepios

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 10
Os arrepios são resquícios de quando tínhamos mais pelos. Quando espetados, eles faziam com que nós parecêssemos maiores – assustando e afastando predadores – e também podiam nos proteger melhor do frio. Em alguns animais peludos, continuam tendo essas funções.

Balançar a orelha

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 11
A maioria de nós não consegue mexer as orelhas. Os que conseguem demonstram mais um resquício evolutivo, de uma função que costumávamos ter – como outros animais fazem, um dia já fomos capazes de virar nossas orelhas em direção a um som, para identificar de onde está vindo.

Ficar vermelho

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 12
Pesquisas descobriram que as pessoas que ficam vermelhas após cometer um erro ou uma gafe social são consideradas mais confiáveis e julgadas de forma mais positiva do que as que não coram. Logo, tal mecanismo pode ter surgido para evitar brigas e consequências mais graves de inevitáveis falhas.

Testículos

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 13
Quem já levou um chute no testículo sabe o quão dolorido isso pode ser. Além disso, é muito fácil levar uma pancada lá. Seria melhor se ele fosse dentro do corpo, não é mesmo? Só que o esperma sobrevive melhor fora do corpo. Como andamos eretos, as bolas ficam ali, penduradas, só esperando para serem acertadas.

Apêndice

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 14
Hoje, o apêndice só causa problemas. No entanto, ele existiu como uma extensão do ceco, órgão comum em herbívoros, em uma época que a humanidade comia muito mais plantas.

Transtorno afetivo sazonal

vantagens evolutivas de funcoes corporais aparentemente inuteis 15
Transtorno afetivo sazonal é um distúrbio de humor caracterizado pela depressão relacionada a uma determinada época do ano – especialmente no inverno. Os cientistas acreditam que a condição surgiu para levar a bebês mais saudáveis. A fase “maníaca” no verão ocorre quando é mais propício ficar grávida. A depressão do inverno garantiria uma mãe menos ativa, e livre para se concentrar na criança que está chegando. [Cracked]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (12 votos, média: 4,25 de 5)

19 comentários

  • Gerson Luiz Belchior:

    A informação do item testículos está errada. O correto é que a divisão celular meiose, que faz o esperma, só ocorre abaixo de 37°.

  • Dinho01:

    Nunca vi vantagem nessa história dos testículos.Seria mais lógico que o esperma suportasse a temperatura do corpo.Erro de projeto.

  • Marci Jones:

    Claro que animais não humanos engasgam.
    Minha cachorra outro dia quase morreu engasgada.

  • Zairo Assuncao Menezes:

    nao tem lógica dizer que diminuimos a arcada dentaria porque comemos comida cozida, isso é lamarckismo

    • Cesar Grossmann:

      Acho que é um problema da linguagem coloquial, Zairo. Como comemos alimentos cozidos, não há uma pressão evolutiva para arcadas dentárias mais fortes. Com isso, não houve um impedimento pra arcadas menores se tornarem mais comuns. Talvez até houve uma pressão evolutiva para elas se tornarem mais comuns, como seleção sexual, por exemplo.

    • Amauri Alves da Silva:

      Faria mais sentido dizer que os membros de mandíbula menor conseguiam absorver melhor as proteínas e vitaminas pois cozinhavam o alimento…

  • Eduardo Daltro:

    hoje em dia se descobriu que o apêndice(órgão linfoide secundário) e um reservatório de bactérias..

    • Cesar Grossmann:

      Não deixa de ser um órgão vestigial…

    • Douglas L Carlesso:

      Li em algum lugar que ele está relacionado ao sistema imunológico, remove-lo pode reduzir a capacidade de resposta do organismo a infecções.

    • Amauri Alves da Silva:

      Possivelmente, bactérias para digerir celulose, já os animais não possuem enzimas que diferem celulose.

  • michellima:

    Me cadastrei só pra elogiar, muito boa a matéria.

  • jacoblebon:

    por que tentar perder peso, se você comer todos os dias a mesma comida ?

    • Cesar Grossmann:

      O que uma coisa tem a ver com a outra?

  • Cesar Grossmann:

    Metade dos meus filhos não tem mais o apêndice…

    🙁

    • Debi Debi:

      Tomara que vc não tenha um filho apenas

    • Cesar Grossmann:

      Tenho 4 filhos (3 meninos e uma menina), dois deles já removeram o apêndice. Metade dos meus filhos…

    • EvandroJGC:

      Foi por apendicite ou pra prevení-los de ter?

    • Cesar Grossmann:

      Por apendicite. Acho que uma intervenção cirúrgica tem que ser bem justificada, não faria uma apendicectomia em alguém que não tem apendicite.

    • EvandroJGC:

      Também fiz, terça passada, mas nem tinha mais apêndice, foi grau 4. Pior é que eu pensava em fazer, justamente por precaução…

Deixe seu comentário!